Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Saudade

por Jorge Soares, em 02.11.12

Cabo Verde

 Imagem minha do Momentos e Olhares 

Sorri quando a dor te torturar
E a saudade atormentar
Os teus dias tristonhos vazios

Sorri quando tudo terminar
Quando nada mais restar
Do teu sonho encantador

Sorri quando o sol perder a luz
E sentires uma cruz
Nos teus ombros cansados doridos

Sorri vai mentindo a sua dor
E ao notar que tu sorris
Todo mundo irá supor

Que és feliz 

 

Charles Chaplin 

 

Praia, Cabo Verde

Fevereiro de 2010

Jorge Soares

publicado às 21:23

"Anoitece...

por Jorge Soares, em 01.11.12

Pôr do sol em Cabo VerdeImagem minha do Momentos e Olhares 

 

"Anoitece...


É tarde !...e quando anoitece
Cai o silêncio na Ria

Ressurge quando amanhece

Com aves em cantoria

Em noites maravilhosas
Com brisas de maresia
Medito trechos em prosa

Num quadro de Poesia

Adormeço ao som do mar

Durmo deitado na areia

Num sonho de Amor Primeiro

Na esperança de te encotrar

Neste meu leito de areia
Que é cama de Marinheiro"

 

João Severino

 
Pôr do Sol em Cabo Verde
Fevereiro de 2010
jorge Soares

publicado às 21:20

Porque não sorris à vida, menino negro?!

por Jorge Soares, em 31.10.12

Porque não sorris à vida menino negro?

Imagem minha do Momentos e Olhares

 

Menino Negro

 

Porque não sorris
À vida,
Menino negro?!

Ela espera por ti
E quer dar-te,
Comovida,
O melhor que ela tem:
O Amor,
A Esperança,
Serão a tua herança
Neste mundo de dores.

Sorri à vida,
Menino negro,
Sorri à Vida!
Ela espera por ti.

Nos teus olhos,
Que a noite inveja,
Nascem estrelas
De mil cores
Em arco-íris de Alegria
E de Bonança...

Menino negro,
Sorri à vida!
Ela espera por ti
E não se cansa
De esperar por ti
Cada dia...


in POEMAS DE UMA VIDA

Maria Rita Valente-Perfeito

 

Retirado de Sorrisos sem Cor

Cabo Verde 

Fevereiro de 2010

Jorge Soares

publicado às 21:17

Uma pequena folha

por Jorge Soares, em 25.10.12

O Outono

 

Imagem minha do Momentos e Olhares

 

Tu eras também uma pequena folha 
que tremia no meu peito. 
O vento da vida pôs-te ali. 
A princípio não te vi: não soube

que ias comigo, 
até que as tuas raízes 
atravessaram o meu peito, 
se uniram aos fios do meu sangue, 
falaram pela minha boca, 
floresceram comigo.

 

Pablo Neruda

 

 

Desculpem lá mas hoje não me apetece mais que disfrutar da beleza das coisas, gosto do Outono..e das folhas caídas.

 

Setúbal, Outubro de 2012

Jorge Soares

publicado às 22:32

E os passos que deres ....

por Jorge Soares, em 25.08.12

E os passos que deres ....

 

Imagem minha do Momentos e Olhares

 

Recomeçar

 

Recomeça....
Se puderes
Sem angústia
E sem pressa.
E os passos que deres,
Nesse caminho duro
Do futuro
Dá-os em liberdade.
Enquanto não alcances
Não descanses.
De nenhum fruto queiras só metade.

E, nunca saciado,
Vai colhendo ilusões sucessivas no pomar.
Sempre a sonhar e vendo
O logro da aventura.
És homem, não te esqueças!
Só é tua a loucura
Onde, com lucidez, te reconheças...

 

Miguel Torga

 

 

Os meus passos sobre a areia molhada

Praia do Carvalhal, Grândola, Setúbal, Outubro de 2011

Jorge Soares

publicado às 17:54

Viver

por Jorge Soares, em 24.08.12

Viver

Imagem minha do Momentos e Olhares 

 

 

"Viver é apreciar tudo o que a Vida oferece..
A Vida é feita de momentos..
Momentos bons... Momentos menos bons...
Viver é saber agarrar cada momento
E dele retirar toda a magia..
Viver é lutar por fazer de todos os momentos,
Momentos mágicos..
A Vida é um caminho longo
Onde tudo depende de nós...
Cada um tem o seu caminho a perseguir...
Cada um tem o seu caminho a descobrir..."

 

Mafalda Veiga (??)

 

Fim de tarde em Troia

Outubro de 2011

Jorge Soares

publicado às 17:51

Preciso ser um outro para ser eu mesmo

por Jorge Soares, em 23.08.12

Preciso ser um outro para ser eu mesmo

Imagem minha do Momentos e Olhares 

 

Identidade


Preciso ser um outro 
para ser eu mesmo 

Sou grão de rocha 
Sou o vento que a desgasta 

Sou pólen sem insecto 

Sou areia sustentando 
o sexo das árvores 

Existo onde me desconheço 
aguardando pelo meu passado 
ansiando a esperança do futuro 

No mundo que combato morro 
no mundo por que luto nasço 

Mia Couto, in "Raiz de Orvalho e Outros Poemas"

 

Faro de Busto

Luarca, Astúrias,  Espanha

Agosto de 2011

publicado às 17:50

E à força de sorrir, de me encantar ...

por Jorge Soares, em 21.08.12

E à força de sorrir, de me encantar ...

 

Imagem minha do Momentos e Olhares

 

Encantamento

 

Quantas vezes, ficava a olhar, a olhar 
A tua dôce e angelica Figura, 
Esquecido, embebido num luar, 
Num enlêvo perfeito e graça pura! 

E à força de sorrir, de me encantar, 
Deante de ti, mimosa Creatura, 
Suavemente sentia-me apagar... 
E eu era sombra apenas e ternura. 

Que inocencia! que aurora! que alegria! 
Tua figura de Anjo radiava! 
Sob os teus pés a terra florescia, 

E até meu proprio espirito cantava! 
Nessas horas divinas, quem diria 
A sorte que já Deus te destinava! 

Teixeira de Pascoaes, in 'Elegias'

 

Praia da Roca, Castanheira de Pêra

Junho de 2011

Jorge Soares

publicado às 17:45

Quando Setembro chegar…

por Jorge Soares, em 20.08.12

Quando Setembro chegar…

 

Imagem minha do Momentos e Olhares

 

uando Setembro chegar…

 

Quando Setembro chegar o verão terá acabado e o amanhecer virá me acordar, apressado.
Não mais haverá folhas secas caídas ao chão, pois as cores, antes tímidas, voltarão em puro êxtase, bailando num festival deliciosamente provocante.

Quando Setembro chegar o sol estará pleno, iluminando os mares do meu mundo.
Uma brisa suave teimará em bater de leve em meu rosto, desajeitando meus cabelos húmidos e pesados. Um aroma antigo se fará presente, trazendo consigo a quietude do meu ser.

Quando Setembro chegar serei embalada por uma música e por alguns instantes deixarei de respirar. Em órbita, minha razão terá sido arrancada de mim por algo que não pretendo explicar.
Teremos tempestade.

Ventania.
Um doce fechar de olhos.
Um meio sorriso preso nos lábios.

Quando Setembro chegar correrei ao encontro dos sentidos. Ao abrir uma janela descobriria um novo cheiro, ao escancarar uma porta um novo gosto. Na intimidade de um toque, desvendaria um olhar.
Uma onda de felicidade atingirá todo meu corpo. Alegria em forma de espuma nos pés, contentamento em forma de grãos de areia nas mãos. Não haverá nuvens no meu céu.

Quando Setembro chegar eu serei todas as estações do ano…

 

(Autora: Ludmila Guarçoni)

 

Borboleta Zebra "apanhada" no jardim aqui à volta do prédio em Setembro do ano passado.

Setúbal, Setembro de 2010

Jorge Soares

publicado às 17:44

Não te apresses: também a água deste rio é vagarosa ...

 

Imagem minha do Momentos e Olhares

 

 

Se eu definisse o tempo como um rio,



a comparação levar-me-ia a tirar-te

de dentro da sua água, e a inventar-te

uma casa. Poria uma escada encostada

à parede, e sentar-te-ias num dos seus

degraus, lendo o livro da vida. Dir-te-ia:

«Não te apresses: também a água deste

rio é vagarosa, como o tempo que os

teus dedos suspendem, antes de virar

cada página.» Passam as nuvens no céu;

nascem e morrem as flores do campo;

partem e regressam as aves; e tu lês

o livro, como se o tempo tivesse parado,

e o rio não corresse pelos teus olhos.

Nuno Júdice
Cascata no rio Suarón,
Mazo de Meredo, Vegadeo, Asturias
Agosto de 2011
Jorge Soares

publicado às 17:40


Ó pra mim!

foto do autor



Queres falar comigo?

Mail: jfreitas.soares@gmail.com






Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D