Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




violada.jpg

 

Imagem de aqui

 

Curiosamente soube da noticia através de um dos jornais espanhóis online, não sei se sou eu ou se é o país que anda distraído. No Público conta-se a história

 

É uma criança de 12 anos, pelo menos desde os 10 que tem sido abusada e violada pelo padrasto,  ainda que já aos seis anos havia suspeitas, na escola desconfiaram e levaram-na ao hospital, descobriu-se que está grávida de 5 meses.

 

A lei portuguesa no caso de gravidezes que resultem de violação só permite o aborto até às 16 semanas, admitindo-se que possa acontecer até às 24 semana no caso de doenças incuráveis no feto, ou em qualquer altura se estiver em causa a grave e irreversível lesão física ou psíquica da mulher.

 

A criança está internada no Hospital de Santa Maria à espera de avaliação psicológica e de uma decisão que permita ou não o aborto.

 

Estamos a falar de uma criança de 12 anos que com seis anos terá sido vitima de uma tentativa de abuso, desde os 10 que é abusada e violada por alguém que devia ter um papel protector na sua vida. Segundo quem a conhece “é uma miúda que não se queixa, muito sofrida, triste. É introvertida e tímida, ainda infantil”. Será que sequer tem ideia do que significa ser mãe e da forma em que isso irá mudar a sua vida? Será sequer que tem a noção do que é abortar?

 

A lei diz que será permitido o aborto "se estiver em causa a grave e irreversível lesão física ou psíquica da mulher", será que há alguma dúvida que ser mãe aos 12 anos de um filho que foi resultado de uma violação, vai afectar de forma grave e irreversível a vida desta criança?

 

Vive no seio de uma família desestruturada e que sobrevive graças ao apoio de terceiros, queremos mesmo acrescentar um bebé a esta equação? Quem é que nestas condições vai garantir o bem estar da mãe e da criança? Que futuro tem esta mãe criança e que futuro poderia ter o seu filho se ela não abortar?

 

Qual será a decisão ao nascer a criança? Será de imediato retirada à família, que não tem condições para a ter consigo,  e será mais uma  a somar às mais de 8000 que já estão institucionalizadas e à ordem do estado? 

 

Considerações morais e religiosas à parte, há alguma dúvida que a decisão deve ser o aborto?

 

Jorge Soares

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:48


47 comentários

Imagem de perfil

De naterradosplatanos a 29.04.2015 às 08:47

Para mim não há!
Imagem de perfil

De Magda L Pais a 29.04.2015 às 09:45

Como dizia hoje uma pessoa amiga, esta criança quase que ainda está em idade de colo, como é que pode ir dar colo a outro?
é inconcebível, para mim pelo menos, que não seja feito o aborto. É uma criança, por amor a todos os deuses conhecidos e desconhecidos
Sem imagem de perfil

De Vitalina Ferreira a 29.04.2015 às 10:37

Fazer o aborto, sem dúvida! Prisão perpétua para este padrasto!
Sem imagem de perfil

De Teodoro a 29.04.2015 às 10:41

Caro Jorge, não faz sentido para sí nem para ninguem. Bom quase ninguém, sabia que o pessoal que está contra a lei da IVG defende que o aborto não se faça nem nestas circunstâncias? Pois é tambem temos fanáticos em Portugal, o pior é saber que esses senhores, dessas associações, normalmente estão bem financeiramente e vão fazer abortos a espanha.
Sem imagem de perfil

De Anonimo a 29.04.2015 às 10:44

Revolta-me estas discussoes acerca da lei do aborto e das crianças, será que esta situação se queria ou estava prevista na lei quando foi elaborada relativa a pessoas de tão tenra idade para serem maes? Seria esse o chamado espirito da lei? A meu ver não era, por isso agora para alem da discussão de estarem ou não ultrapassados os prazos para aborto ou as condiçoes em que ele era permitido, também temos um caso de idade da gestante que não seria o espirito da lei, mas que a lei tem que proteger. Como? Permitindo o aborto ou negando? Ja se puseram problemas analogos noutros paises.

Se se permitir ir avante com a gestação pode-se por em risco a saude fisica e psiquica da gestante, se não tem condiçoes para criar a criança depois nem sabe ou nem a familia dela quer, e mais uma para adopção.A meu ver não vejo motivos para não admitir o aborto em tais circunstancias desde que haja essa vontade, pois a lei admite o aborto em casos que afectem a suade fisica e psiquica da mulher para alem dos prazos previstos. é um caso de humanidade
Sem imagem de perfil

De Teodoro a 29.04.2015 às 10:58

A lei é como o sol quando nasce é para todos, se não sabem fazer leis então estejam quietos, que a lei está muito bem como está, aliás foi referendada pelo povo, porque motivo se iria mudar de novo por causa de meia dúzia de betos bem na vida com 7 ou 8 filhos, em que a mulher ainda é conotada com o ficar em casa a parir e tomar conta dos filhos. Já agora se em vez de 12 anos tivesse 18 e fosse violada e estivesse grávida, já era legitímo não interromper a gravidez?
Sem imagem de perfil

De Anonimo a 29.04.2015 às 18:52

“Já agora se em vez de 12 anos tivesse 18 e fosse violada e estivesse grávida, já era legitímo não interromper a gravidez?”

Se não percebeu eu explico melhor pode ser que a segunda entenda.

Se tivesse 18 anos não se punha em causa a inocencia ou não saber nada de nada, mas sim se quem tinha 18 anos cumpria as condiçoes legais no caso de querer abortar.

Aqui o caso muda de figura porque a lei a meu ver nem se aplica a estes casos, quem fez a lei não pensou em abortos deste tipo por isso independentemente de prencher os requisitos ou não da lei para o aborto, este devia ser sempre permitido nestes casos sem discussão ou saber se a lei o permite, mas isso depende sempre da ultima palavra dos pais.

Por ultimo ninguém falou em mudar ou não a lei compreendeu, mas que esta a meu ver não comtempla estes casos, ou seja estes não estavam no espirito da lei e do legislador, são excepçoes as excepçoes contempladas na lei.
Sem imagem de perfil

De Teodoro a 08.05.2015 às 15:03

Abortos deste tipo???? um aborto é um aborto! não pensou????
Sem imagem de perfil

De Anonimo a 08.05.2015 às 21:52

"Abortos deste tipo???? um aborto é um aborto! não pensou????"


Nao, nao pensei, veja la voce que me esqueci que um aborto numa criança é igual a um aborto numa mulher adulta. para alguma coisa existem criterios de idade e exercicio pleno de direitos ou tutela deles.Como os pais nem sequer podiam representar a filha e eram arguidos por esse crime tiveram que ser os medicos veja bem nem um tribunal foi chamado a dar autorização para o aborto.

Mas se calhar o senhor esta a referir-se ao aspecto moral do problema em que o mal é sempre mal independentemente de quem o pratica e nao podemos relativiza-lo, e então um aborto é sempre um aborto seja numa criança de tenra idade ou numa mulher de 20 ou 30 anos com plena autonomia e autodeterminaçao, usando uma palavra apropriada em moral usando do seu livre arbitrio, e entao neste caso a questao não é pela perspectiva de quem pratica o aborto mas pelo de quem sofre o aborto (o feto). Mas repito,veja bem, esqueci-me, ainda bem que o senhor teve o trabalho de me lembrar
Sem imagem de perfil

De SONIA a 29.04.2015 às 10:54

GENTE EU SOU TOTALMENTE A FAVOR DO ABORTO MAS NESTE CASO JA E CRIME UMA GRAVIDEX DE 5MESES JA È UMA CRIANÇA,TAMOS A COMETER UM CRIME PARA INCOBRIR OUTRO,A MAE DESTA CRIANÇA DEVIA TER ESTADO MAIS ATENTA E O PADRASTO DEVIA DE SER MORTO
Sem imagem de perfil

De Teodoro a 29.04.2015 às 10:59

Tenho pena de sí!
Sem imagem de perfil

De Teodoro a 29.04.2015 às 11:00

Já agora existe uma tecla que diz "Caps Lock"....santa ingnorância. (pelos vistos em diversos assuntos)
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 29.04.2015 às 12:34

sra sonia para alem de pena que tenho de si .a sra refere se a crime ??? ...pois aqui a questão é que não é a sua FILHA ..reflita antes de simplesmente se reduzir á insignificancia de publicar um comentario reles e baixo como o seu
..aii coitada da sra sonia

ahh e já agora : e se fosse a sra Sonia a violada???..provavelmente teria prazer ..pois :(
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 29.04.2015 às 12:32

E por acaso algum de vocês tem noção do que é abortar aos 5 meses de gestação? Que já não é só "aspirar qualquer coisinha", mas sim passar por uma indução de um parto? Que tem de haver dilatação, tem de haver contracções, tem de haver expulsão , tem que se passar por um parto exactamente igual a um parto de fim de termo, com a diferença que o feto nasce morto?!?! Isto porque se toma um comprimido antes para matar o feto.
Se estou contra o aborto nesta situação em particular? Não, não estou.
Mas não olhem para o aborto com leveza, e que é a resolução ideal porque faz "desaparecer" o problema. Porque qualquer que seja a decisão final, esta criança irá sempre ficar traumatizada e com sequelas físicas.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 29.04.2015 às 12:39

..e o que é que acha que pretende uma mulher violada?? um lindo bebé do violador para amar para toda a vida???? Para dizer mais tarde ao filho o teu pai foi um grande homem, não é que eu o tenha conhecido uma vez que ele me saltou para cima com ajuda de uns amigos numa rua escura e ainda me bateram e deixaram-me às portas da morte abandonada na rua? parece filme? pois as bacoradas de quem defende a não realização do aborto tambem.
Sem imagem de perfil

De teresa almeida a 29.04.2015 às 13:27

Não é necessário nada do que referiu relativamente ao parto, eu já fui mãe mais de uma vez e nunca tive contrações, nem dores nem dilatações, existe a cesariana...
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 29.04.2015 às 16:49

Ninguém vai fazer uma cesariana a uma criança de 12 anos, pensem um bocadinho ...
Sem imagem de perfil

De Teodoro a 29.04.2015 às 16:53

Pode explicar??
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 30.04.2015 às 17:51

É só ler o comentário que deixei ao comentário do Teodoro. Ninguém faz uma cesariana aquando de uma interrupção de gravidez, muito menos a uma criança de 12 anos. Esta iria ficar com sequelas físicas e a recuperação seria muito mais complicada.
Uma coisa é uma mulher estar a dar à luz um bebé saudável que por qualquer razão não consegue nascer de forma vaginal, outra é uma criança de 12 anos estar a fazer uma interrupção de uma gravidez de 5 meses.
Sem imagem de perfil

De Teodoro a 29.04.2015 às 14:45

Anonimo das 12:32, você é que já teve muitas contracções no cerebro e ficou assim...
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 29.04.2015 às 18:03

Teodoro: antes de partir para a ofensa, talvez seja melhor ler bem o que eu escrevi. Em lado nenhum eu disse que sou contra o aborto nesta situação ou noutra qualquer (aliás, votei a favor da liberalização do aborto). Apenas chamei a atenção que o aborto aos 5 meses não é algo fácil e fisicamente é extremamente violento, já que se tem de passar à mesma por um parto.
E como é que eu sei isto? Porque eu própria o ano passado fiz uma interrupção de gravidez ás 23 semanas/5 meses por uma grave má formação do feto. Tive 5 dias em indução de parto, tive contracções, dores, implorei por uma cesariana para "despachar a situação", levei uma epidural que não pegou e tive que passar por todas as dores e mais algumas até fazer finalmente a expulsão. Para terminar o ramalhete, a seguir ainda tive que fazer uma raspagem com anestesia geral.
O meu único objectivo com o meu comentário inicial, foi chamar a atenção das pessoas que um aborto aos 5 meses de gestação não é algo fácil, muito antes pelo contrário. E que não acolham tão rapidamente o aborto como a melhor solução ou a única.
Mas com isto, não quero dizer que defendo que devem levar a gravidez até ao fim. Mas esta é uma situação muito particular, cheia de pormenores muito peculiares, e devem ser pensados e pesados todos os pontos.
Sem imagem de perfil

De antoni a 01.05.2015 às 12:32

Muito bom testemunho. O problema do aborto e' esse mesmo. Parece ser a solucao mais facil. Funciona tipo borracha. Faz esquecer tudo o resto (e nao estou a defender a nao interrupcao). O resto e' uma crianca, numa familia extremamente destruturada, mas que ainda assim deve amar os seus pais. Qual e' o filho que percebe que o que os seus pais fazem e' errado? O problema e' o que vai ser deta crianca agora e que acompanhamento tera'? O aborto ou nao e', infelizmente, so' a ponta do icebergue.
O que se deveria estar a discutir e' o que fazer agora.
Imagem de perfil

De aespumadosdias a 29.04.2015 às 13:12

Pobre criança! Como é que uma mãe deixa que isto aconteça. A jovem com apenas 12 anos tem de ser muito acompanhada. Sou a favor da interrupção da gravidez. Tenho dúvidas que isso aconteça.
Sem imagem de perfil

De Maria Teresa Almeida a 29.04.2015 às 13:24

Clara que deve ser autorizada a interrupção da gravidez, manter esta gravidez e pemitir o nascimento do feto, é mais um crime sobre este menina e o condenar à desgraça mais uma criança, mesmo antes de nascer.

Sem imagem de perfil

De Anónimo a 29.04.2015 às 15:13

mas onde é que estava a mãe desta criança,e porque deixou isto acontecer esta mãe também deve ir pra cadeia

Comentar post


Pág. 1/2



Ó pra mim!

foto do autor



Queres falar comigo?

Mail: jfreitas.soares@gmail.com






Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D