Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Isabel Jonet

 

 

Eu juro que não tenho nada contra a senhora, mas é que ela insiste em pôr-se a jeito... cada vez que abre a boca.

 

“O pior inimigo dos desempregados são as redes sociais”,... e eu que pensei que eram a crise, o encerramento das empresas e o governo que insiste em medidas da austeridade que reduzem o poder de compra e o investimento das empresas.

 

as pessoas ficam desempregadas e ficam dias e dias inteiros agarradas ao Facebook, ou agarradas a jogos, agarradas a amigos que não existem e vivem uma vida que é uma total ilusão”.

 

Ninguém duvida que existirão casos de pessoas que baixam os braços e até desistem de continuar a bater com o nariz nas portas das empresas, mas não há nada pior que a generalização. As redes sociais são não só um escape para muita gente como também uma forma activa de procurar emprego, existem no Facebook e na internet imensas páginas para procura e partilha de anúncios de emprego, há imensa gente que arranja entrevistas e empregos através das redes sociais, já seja através destas páginas ou através d econtactos dos tais amigos que a senhora acha que nem são reais.

 

A Isabel Jonet parece que cada vez que abre a boca sai asneira, as suas palavras são uma enorme falta de respeito pelos milhares de desempregados do país. É caso para dizer... E porque no te callas?

 

 

Jorge Soares

publicado às 19:06


19 comentários

Sem imagem de perfil

De Bento 2014 a 03.04.2014 às 12:23

Peço desculpa mas a minha reflexão também passa por isto que li no "Blasfémias":
3 Abril, 2014
por jmf

A Isabel Jonet tem um defeito: fala com franqueza. E tem outro defeito ainda maior: diz o que pensa sabendo sobre aquilo de que fala. Isto para além desse defeito supremo que é não ser politicamente correcta, isto é, não ser de esquerda.

Está por isso envolvida, de novo, numa polémica inflamada pelas redes sociais – precisamente porque se atreveu a falar de redes sociais. Disse uma coisa óbvia: se os desempregados se fecharem em casa têm mais dificuldade em regressar ao mercado de trabalho. Nenhum Linkedin os salva. Para além de que todos sabem, mas fingem que não sabem, que não é no Linkedin que os desempregados passam as suas horas vazias.
Sem imagem de perfil

De Ricardo Silva a 03.04.2014 às 16:58

Graças a Deus ainda vai havendo bom senso por aí. A sociedade não admite franqueza, ninguém gosta de ouvir as verdades. A meu ver esta Sra. cometeu dois erros: Falar das redes sociais (que estão na moda e ai de quem critique!) e de generalizar.

Sobre as redes sociais...acho que nem vale a pena falar muito...como em tudo na vida, deve haver equilíbrio um meio termo por assim dizer, nem 8 nem 80 como diria o povo. Empregado ou desempregado, ir para facebooks, twiters, instagrams e por aí fora, dizer que se acordou, lavou os dentes, tomou o pequeno almoço, viu um gato a passar, foi à casa de banho, ect, ect, ect... é a meu ver um exagero que não deve ser saudável de alguma forma.

Quanto aos desempregados, há com certeza muita gente que procura incessantemente por trabalho e luta todos os dias por encontrar um emprego, já para não falar em todas as pessoas que apenas para não estarem desempregadas aceitam qualquer tipo de trabalhos, no entanto, a verdade é que o povo português genericamente gosta de se encostar. É impossível negar este facto! Culturalmente somos assim. E é nestes termos que concordo com a Sra. há com toda a certeza uma grande fatia de desempregados que desperdiçam o dia nas redes sociais, a publicar tudo e mais alguma coisa, a criticar tudo e mais alguma coisa e a fazer tudo menos aquilo que seria mais importante...ai não tenho dúvidas disso! Mas shhhiuuu, isto não se pode dizer! Deus que me livre de ser apanhado a criticar quem desperdiça demasiado tempo nas redes sociais... Ainda surge para ai um movimento qualquer no facebook para revogar todo e qualquer dos meus direitos para opinar sobre um determinado tema...

Espera... Não foi isso que a Sra. fez? Dar a sua opinião sincera sobre um tema? Ups... Estou tramado...Logo já vou levar com a PIDE!
Sem imagem de perfil

De Bento 2014 a 03.04.2014 às 17:50

Graças a Deus!
Imagem de perfil

De Jorge Soares a 03.04.2014 às 20:01

Ricardo, concordo, tudo na vida tem que ser com moderação... e isso é válido para empregados ou desempregados... e também devia ser válido para as figuiras públicas que vão dar as suas opiniões à televisão.

A isabel Jonet é uma figura pública e usa isso em seu proveito porque isso lhe dá jeito a ela e às suas instituições, convinha que percebesse que esse estatuto de figura pública também tem um preço a pagar, neste caso o preço que ela tem que pagar muitas vezes é o de ver as suas palavras escrutinadas e interpretadas. Se não está disposta a aceitar isso, tem bom remédio, não falar em público.

Ninguém é dono da verdade, e como o Ricardo concordou, ela generalizou, de resto vou repetir o que já disse noutra resposta:


Ela pode dizer o que pensa, tal como eu e o senhor podemos, mas temos que ter consciência que aquilo que dizemos vai ser julgado pelos outros, eu não sou uma figura pública e mesmo assim muitas das coisas que digo aqui no blog são julgadas... mas eu sei que faz parte do jogo.

Ela como é costume generalizou e o que disse, pelo menos para mim, não tem nem pés nem cabeça, ela tem direito à opinião dela e eu à minha.

O problema dela não é falar das redes sociais, é a opinião que ela tem das redes sociais, que é além de errada, retrógrada... mas isso não é novidade nenhuma nos comentários dela... ela vive mesmo noutro mundo qualquer, num mundo que pelos vistos só existe na cabeça dela.

Jorge Soares
Imagem de perfil

De Jorge Soares a 03.04.2014 às 19:56

Desculpe mas não percebi, em que é que ser ou não politicamente correcto implica ser de direita ou esquerda? Eu também não sou politicamente correcto e não sou de direita.

A isabel Jonet queira ou não é uma figura pública, se não fosse não tinha tempo de antena como tem, e como figura pública tem que perceber que aquilo que diz está sujeito ao escrutínio público.

Ela pode dizer o que pensa, tal como eu e o senhor podemos, mas temos que ter consciência que aquilo que dizemos vai ser julgado pelos outros, eu não sou uma figura pública e mesmo assim muitas das coisas que digo aqui no blog são julgadas... mas eu sei que faz parte do jogo.

Ela como é costume generalizou e o que disse, pelo menos para mim, não tem nem pés nem cabeça, ela tem direito à opinião dela e eu à minha.

Ao contrário do que parece dizer, o problema dela não é falar das redes sociais, é a opinião que ela tem das redes sociais, que é além de errada, retrógrada... mas isso não é novidade nenhuma nos comentários dela... ela vive mesmo noutro mundo qualquer, num mundo que pelos vistos só existe na cabeça dela.

Jorge Soares

Comentar post



Ó pra mim!

foto do autor


Queres falar comigo?

Mail: jfreitas.soares@gmail.com






Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D