Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Isabel Jonet

 

 

"Há profissionais da pobreza para quem assistência é forma de vida... que fazem da mendicidade um modo de vida"

 

“em Portugal há aquilo a que chamamos a transmissão intergeracional da pobreza e temos que quebrar essa transmissão”

 

Ela andava calada desde Abril.... bem que podia ter continuado.

 

Um dos problemas de quem vive na rua é que chegam a um ponto em que é muito difícil que voltem a ter a capacidade de terem uma vida estruturada, quanto mais tempo viverem na rua mais difícil será que de lá saiam, há estudos que mostram que assim é e todos os que andam na rua a tentar ajudar estas pessoas, tem consciência disto.

 

Mas isto é evidentemente muito diferente do que pretendeu afirmar Isabel Jonet, o facto de ser difícil retirar as pessoas da rua não significa que estas pessoas se tenham tornado em profissionais da pobreza, significa que o estado e todos nós temos que por um lado nos empenharmos muito mais para podermos efectivamente ajudar estas pessoas a voltarem a ter uma vida digna e por outro lado, melhorar a situação do país para que não haja mais pessoas a irem parar à rua.

 

Não sei onde foi Isabel Jonet buscar os dados para fazer estas afirmações, mas pretender que as pessoas vivem na pobreza porque querem é o cúmulo da insensibilidade e da estupidez.

 

Evidentemente há casos e casos, mas não se pode generalizar, se a pobreza é intergeracional é porque as pessoas não tem condições para dar uma melhor forma de vida aos seus filhos e termina por se entrar num círculo vicioso, não porque tenham escolhido isso como forma de vida, quem não quer o melhor para os seus filhos?, quem é o pai que se poder escolher não dá educação e meios aos seus filhos para que eles tenham uma vida decente?

 

Sinceramente não consigo perceber onde vai a senhora buscar estas ideias, mas ela fazia um enorme favor a si e ao resto do mundo, se estivesse sempre calada é que cada vez que abre a boca sai asneira, as suas palavras são uma enorme falta de respeito pelos milhares de pessoas que não conseguem ter meios para sobreviver sem ser na rua e até para quem os tenta ajudar.. que não me parece de todo que seja o caso dela.

 

É caso para dizer... E porque no te callas?

 

Ler Takes Anteriores aqui

 

Jorge Soares

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:30


88 comentários

Sem imagem de perfil

De Joaquim Baptista a 13.09.2014 às 19:48

Puxa Isabel Jonet estás a falar do Salgado o ex do BES ou , como tenho -te ouvido muito, do outro... do Dias Loureiro, esse pobrezinho que vive há muito da nossa pobreza, ou do Relvas pronto para os negócios que nos tramam. Não! estás a falar do ex BPN ou do BPP . Tens razão, só prova que Portugal é agora outro País mais evoluído , mais moderno mais preocupado com as pessoas. Menos preocupado com os pequenos ratos os esfomeados que a tua classe ajuda todos os dias a criar.
Obrigado Isabel Jonet , és muito boa em analise social.
Sem imagem de perfil

De Cesar Sobral a 13.09.2014 às 20:04

Ao Sr.Jorge Soares,
A sra.Isabel Jonet não generalizou.
Ela disse e muito bem que há gente que é profissional da esmola.
Todos nós conhecemos casos desses.
Preferem pedir a ter de trabalhar. E o sr. Jorge Soares deve saber que há produtores agrícolas a ter de contratar mão de obra estrangeira (filipinos,nepaleses,indianos etc,etc) porque não a arranjam em Portugal. Trabalhar faz calos...
Tenho admiração por Isabel Jonet.
E você o que é que já fez pelo seu semelhante ?
Imagem de perfil

De Jorge Soares a 13.09.2014 às 22:19

Todos nós?.. hummm eu não conheço, quer dizer, conheço alguns comerciantes que não passam factura,.. a mim passam, porque eu exijo, mas isso não são pobrezinhos, são parasitas, esses contam?

Vamos lá ver, pelos vistos todo o mundo conhece casos como os que referiu a Isabel Jonet... todos menos eu... e já agora, conhecem, não denunciam, são cúmplices, ou acham bem que eles vivam assim?


Jorge Soares
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 14.09.2014 às 16:56

Fazendo o perfil do Sr. Jorge Soares, poderia dizer que exige sempre fatura para bem de todos, é socialista para bem de todos, tem memória curta ou não conhece ninguem inscrito no RSI, é racista e acha que só existem pobres ciganos, é lirico porque acha que se podem denunciar todas as situaçoes com as quais não concordamos, acha que ele próprio tem direito a opinião mas os outros não (principalmente se for contrária á sua)...Pois deixe que lhe diga a minha opinião : ou tem 15/16 anos ou é completamente alucinado socialmente. Dos considerados pobres em Portugal, 60% fazem da pobreza uma forma de vida que já passa de pais para filhos. Destes 60% pelo menos 50% teriam trabalho se o aceitassem...
Mas fique feliz, porque apeasar de termos um governo democ´racontinuamos a viver "socialistamente"...ainda bem para os pobres!

MP


Imagem de perfil

De Jorge Soares a 14.09.2014 às 18:45

Fantástico, consegue escrever essas palavras todas e não acerta uma.

Jorge Soares
Imagem de perfil

De jos a 13.09.2014 às 21:29

O maior problema nisto tudo é que os nossos pobrezinhos de hoje, para além de não andarem descalços e rotos, são mal agradecidos e usam o que lhes deveria ser proibido possuir, frequentam lugares que lhes deveria ser proibido frequentar...Ora pobre é pobre mesmo!
Sem imagem de perfil

De jj a 13.09.2014 às 21:47

Mas o que é que a senhora disse que seja mentira ??? É a mais pura das verdades. Onde é dito que é generalizado ???
Imagem de perfil

De Jorge Soares a 13.09.2014 às 22:16

A sério, é tudo verdade?e conhece casos desses? e não os denuncia porquê?
Sem imagem de perfil

De José C. M. Velho a 14.09.2014 às 03:42

A Isabel Jonet é uma Madre Teresa de Calcutá. Uma profissional da pobreza que não pretende acabar com ela mas, antes, fazer com que a pobreza; toda ela, verdadeira ou não, se prolongue indefinidamente pelo tempo que lhe convier à sua convicção religiosa de superação do pecado ou ao engrandecimento/enriquecimento da sua piedosa ação.

A Isabel, tal como a Madre Teresa, ou o Banco Alimentar, constituem um perigo social, não só na ideia que transmitem e que conseguem contaminar o povo parvo, como também na insidiosa ação social de manutenção das classes medievais. A sociedade, organizada num Estado do povo, deve servir para quê? Para o aprofundamento das desigualdades e a manutenção da pobreza? Para a criação de seitas organizadas de apoio aos necessitados?

É uma vergonha social aquilo que faz a Santa Casa da Misericórdia, a existência de um Banco Alimentar Contra a Fome, a sobrevivência de Jonets que acreditam que na imobilidade da sociedade e no fado do destino. É uma vergonha que consigam arranjar mesquinhas desculpas, desde os grupos étnicos ao cozido do café. É uma ignomínia acreditar que há quem pense que o pobre nada mais deve fazer senão agradecer o pão que lhe dão, porque é pobre e porque deve ser assim apontado e confundido com as exceções que todos dizem conhecer (e que eventualmente existirão) mas que são tão-só isso exceções, não a regra. Estupidez seria a palavra adequada aos veneradores das santas Jonets, poluidores da sociedade.
Sem imagem de perfil

De iFernando a 14.09.2014 às 08:09

Tantas conclusões erradas neste post. Aconselho-o a ler bem o que Isabel Jonet diz ou escreve. Por exemplo, afirmar que Há é diferente de afirmar que são Todos.
Sem imagem de perfil

De antoniopestana a 14.09.2014 às 09:23

A indigência é o afastamento ou a falta de necessidade de se relacionar com qualquer profissão e isso não pode ser ,de modo algum,considerado uma profissão uma vez que não existe contributo para uma causa comum.
Sem imagem de perfil

De Maria a 14.09.2014 às 10:25

Para começar bem:
"O dono deste Blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts."
Depois de ler este texto perdi o "apetite" de comentar. Pode-me acontecer como a técnica da Segurança Social que levou 4 facadas por cortar um RSI. Também me pode acontecer de levar um "arraial de pancadaria" como aconteceu ao funcionário do Centro de Emprego que cortou um subsidio. Também me pode acontecer como uma técnica da Segurança Social que viu o seu carro arder por diminuir subsídios a uma família (APENAS estou a falar de casos relatados nos jornais e não de conhecimento próprio)
Que fácil é criticar Isabel Jonet... Que fácil é fazer este papel porque não tem consequências (ou se tem será um processo que qualquer advogado se encarregará de desfazer).
e fico por aqui, porque alem de não ser fiscal (como referiu uma das pessoas que comentou) não tenho que gerir o dinheiro dos outros (dinheiro publico) nem tempo para perder em tribunais.
já agora, ainda no âmbito do jornais, é bem conhecida a senhora que pede na rua todos os dias e os filhos são multimilionários. Não sai da Rua porque não quer porque tem um vicio e pelos vistos ninguém a convence do contrario. Fazer um estudo na faculdade é simples (até o Google ajuda). Comentar situações é simples. Fazer algo pelos outros é que vejo pouco quem faça (não estou a dizer quem não faz). Muitas pessoas infelizmente passam fome porque tem vergonha de pedir. Estas é que são difíceis até de ajudar....
ahhh e não comento mais não é por cobardia. apenas prefiro gastar energia a ajudar os outros.
e mais não digo.
Sem imagem de perfil

De Cris a 14.09.2014 às 18:55

O dinheiro público é de todos nós, o que significa que também é seu e deveria estar atenta àquilo que fazem com ele.
Sem imagem de perfil

De Carlutxi a 14.09.2014 às 10:42

A Sra. Desta vez tem razão. Claro que n fala de quem vive na rua. Fala de quem tem filhos inscritos em várias comarcas, para receber vários subsídios, vive á conta de esquemas e passa os dias a n fazer nada. Só quem não anda no terreno ou n quer é que não vê. A Sra desta vez tem razao
Sem imagem de perfil

De Antonio Jordao a 14.09.2014 às 12:11

Não conhece o país, o país real. Já vi que não sabe que há pais que preferem colocar os filhos a pedir que a estudar. Isto é a realidade.

Comentar post




Ó pra mim!

foto do autor



Queres falar comigo?

Mail: jfreitas.soares@gmail.com






Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D