Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Isabel Jonet

 

 

"Há profissionais da pobreza para quem assistência é forma de vida... que fazem da mendicidade um modo de vida"

 

“em Portugal há aquilo a que chamamos a transmissão intergeracional da pobreza e temos que quebrar essa transmissão”

 

Ela andava calada desde Abril.... bem que podia ter continuado.

 

Um dos problemas de quem vive na rua é que chegam a um ponto em que é muito difícil que voltem a ter a capacidade de terem uma vida estruturada, quanto mais tempo viverem na rua mais difícil será que de lá saiam, há estudos que mostram que assim é e todos os que andam na rua a tentar ajudar estas pessoas, tem consciência disto.

 

Mas isto é evidentemente muito diferente do que pretendeu afirmar Isabel Jonet, o facto de ser difícil retirar as pessoas da rua não significa que estas pessoas se tenham tornado em profissionais da pobreza, significa que o estado e todos nós temos que por um lado nos empenharmos muito mais para podermos efectivamente ajudar estas pessoas a voltarem a ter uma vida digna e por outro lado, melhorar a situação do país para que não haja mais pessoas a irem parar à rua.

 

Não sei onde foi Isabel Jonet buscar os dados para fazer estas afirmações, mas pretender que as pessoas vivem na pobreza porque querem é o cúmulo da insensibilidade e da estupidez.

 

Evidentemente há casos e casos, mas não se pode generalizar, se a pobreza é intergeracional é porque as pessoas não tem condições para dar uma melhor forma de vida aos seus filhos e termina por se entrar num círculo vicioso, não porque tenham escolhido isso como forma de vida, quem não quer o melhor para os seus filhos?, quem é o pai que se poder escolher não dá educação e meios aos seus filhos para que eles tenham uma vida decente?

 

Sinceramente não consigo perceber onde vai a senhora buscar estas ideias, mas ela fazia um enorme favor a si e ao resto do mundo, se estivesse sempre calada é que cada vez que abre a boca sai asneira, as suas palavras são uma enorme falta de respeito pelos milhares de pessoas que não conseguem ter meios para sobreviver sem ser na rua e até para quem os tenta ajudar.. que não me parece de todo que seja o caso dela.

 

É caso para dizer... E porque no te callas?

 

Ler Takes Anteriores aqui

 

Jorge Soares

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:30


6 comentários

Imagem de perfil

De Gaja a 13.09.2014 às 13:13

Claramente estaria a falar de famílias ciganas. É o problema de não se poder chamar os bois pelos nomes, salvo seja. Hoje em dia não se pode tocar em certos assuntos senão cai o carmo e a trindade.
Será também o problema da Isabel Jonet, já tem dito algumas verdades, expressa-se é sempre da forma errada criando sempre mal-entendidos
Imagem de perfil

De Jorge Soares a 13.09.2014 às 15:57

Não, o problema e que ela não estava a falar de ninguém , estava como é o seu hábito a generalizar e a dizer aquilo que pensa, ela vê a vida desde o seu trono, desde a vivenda fina e cheia de criados em que mora e faz juízos de valor a partir do que pode ver desde o seu jardim.. que deve ter as sebes altas.

Há famílias ciganas que abusam das ajudas sociais, assim como há famílias africanas e portuguesas, mas isso não lhe dá direito a ela nem a ninguém a generalizar, de todos modos, se ela, ou tu ou eu, conhecemos algum caso desses, o que há a fazer é denunciar a quem de direito para que o abuso seja corrigido e punido, não ir para conferências mandar bitaites

Jorge Soares

Imagem de perfil

De Gaja a 13.09.2014 às 18:42

“Temos hoje um conjunto de pessoas que revestem uma nova forma de pobreza, nomeadamente famílias que nunca imaginaram que estariam nessa situação, que estão desempregadas, com créditos, e são requeridas novas respostas às quais não estávamos habituados”, salientou Isabel Jonet.
Se há famílias que nunca imaginaram estar nessa situação, outras há que dela fazem forma de vida, acusou a mesma responsável: “

Onde é que ela generalizou aqui?

E já que falas em denúncias, explica-me onde as faço? A sério....não faço a mínima ideia onde deverei fazer uma denúncia.
Aliás, pensando bem....como denunciar algo que é feito nas barbas do Estado? Quando é o próprio Estado a dar direitos a certas situações, sem uma investigação prévia e eficaz das condições em que certas pessoas vivem?

Passo todos os dias por uma zona de barracas onde vejo tudo sentado com minis na mão a olharem para o ar (será que vivem dele?)
O que te digo é que o meu Peugeot já com 14 anos até fica corado ao passar ao pé das máquinas que estão lá estacionadas...
Imagem de perfil

De Jorge Soares a 13.09.2014 às 19:45

Vou começar pelo fim, passas por uma zona de barracas e vês lá pessoas sentadas a beber minis... e o que te leva a pensar que as minis são compradas com o dinheiro que vem do estado? e que as máquinas que lá vês paradas são compradas com dinheiro do estado?

Cocordo contigo, o estado faz mal o seu papel e dá recursos a muita gente que não precisa deles em prejuízo de quem precisa, assim como falha ao não fiscalizar quem paga os impostos em prejuízo de todos nós...

Onde denunciar, simples, na segurança social, tu conheces alguém que vive dos subsídios sem precisar deles?, basta ires à segurança social e dizer.


Todos nós já ouvimos as histórias dos ciganos que vão levantar o dinheiro de mercedes e achamos que isso é verdade.... gostava de saber como é que com um subsidio de 500 euros se consegue viver e comprar um mercedes.

Jorge Soares



Sem imagem de perfil

De Anónimo a 14.09.2014 às 17:50

Jorge, moro num concelho que atribui casas a quem não tem rendimentos suficientes para pagar a renda ou a compra de casa. Numa das entregas, vi ninguém me contou, um senhor levantar a chave de casa "montado" num bmw x5. Toda a gente viu, toda a gente sabe, mas ninguém podia provar que o carro era do senhor porque não estava em nome dele. E agora?! Ele ficou com a casa, a maioria não paga renda e continuam com grandes carrões.

E a senhora não generalizou, disse que haviam alguns.

Tenho uma vizinha que trabalha o suficiente para ter direito a sub. De desemprego e vai buscar comida à igreja. Não me diga que é por falta de acompanhamento. Nem sequer vive em barracas vive mesmo num apartamento.
Imagem de perfil

De Jorge Soares a 14.09.2014 às 18:49

Já o disse e volto a repetir, estão a confundir pobreza com fraudes, alguém que tem um X5 não é certamente pobre, se recebeu uma casa à que não tinha direito isso é fraude, não é disso que a Isabel Jonet estava a falar, ela falou de quem faz da pobreza modo de vida, de certeza que o X5 não foi comprado com o RSI e o senhor em questão não é pobre, é sim vigarista,.


Jorge Soares

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.



Ó pra mim!

foto do autor



Queres falar comigo?

Mail: jfreitas.soares@gmail.com






Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D