Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




O direito a fazer-se à vida

por Jorge Soares, em 02.09.15

refugiados.jpg

 

Imagem de aqui

 

Hoje de manhã enquanto ouvia a noticia de que a câmara de Lisboa está disposta a disponibilizar dinheiro e meios para apoiar refugiados que cheguem a Portugal, fiquei a pensar quanto tempo demoraria até ouvir alguém dizer que deveriam gastar esse dinheiro para ajudar pessoas de cá.... não demorou muito, à hora do almoço alguém tinha colocado a noticia no Facebook e lá estava a frase "Deveriam era usar esse dinheiro para ajudar portugueses"

 

Passei uns dias de férias na Croácia, a pouca televisão que vi foi principalmente canais de noticias em especial italianos, que passavam horas e horas a falar e a debater o drama dos migrantes e refugiados... talvez porque eles e os Gregos são quem não pode fugir ao assunto... não há como devolver as pessoas ao mar, só lhes resta tentar encontrar uma solução.

 

O que se tem visto nos últimos dias é para mim que sou Europeu e já estive no papel do emigrante que tem que sair do seu país para poder ter uma vida decente, vergonhoso. A maioria dos europeus olha para este problema como se não fosse seu, esquecem que é de seres humano que estamos a falar, de pessoas que por um motivo ou outro tiveram que deixar tudo para trás e muitas vezes colocando em perigo as suas vidas e as dos seus, ir à procura de um sitio onde se lhes permita viver.

 

Hoje alguém dizia que a ideia do espaço Schenguen tem os dias contados, que esta crise irá fazer com que os países se voltem a fechar dentro das suas fronteiras.... se calhar tem razão.... mas servirá de quê?

 

Nos anos 60 e 70 Havia muitas fronteiras na Europa, isso por acaso impediu que milhões de portugueses chegassem à França, à Suíça, à Alemanha, ao Luxemburgo? É claro que não, não impediu na altura e não irá de certeza impedir agora.... quando as pessoas estão desesperadas e se querem fazer à vida, não há fronteiras que as impeçam.

 

A Europa tem a memória curta, não foi assim há tanto tempo que estiveram no papel de quem agora cá chega, quantos irlandeses, ingleses, gregos, polacos, húngaros, etc, etc, há nos estados Unidos? Quantos Portugueses, espanhóis, Italianos, turcos, há na América do Sul?.... Já fomos ajudados e bem recebidos por todo o mundo, agora é a nossa vez de ajudar, não?

 

Há quem diga que nos últimos 4 anos mais de 200 mil jovens portugueses tiveram que emigrar... e se tivessem erguido muros para que eles não pudessem passar as fronteiras?

 

Jorge Soares

publicado às 22:27


51 comentários

Sem imagem de perfil

De Daniel a 03.09.2015 às 16:40

Espero que todos os que comentaram a favor de um abrir de portas escancarado para esta gente,sejam os primeiros a dirigir-se as entidades oficias oferecendo a sua casa para abrigar estes desgraçados e disponibilizarem-se para os sustentar a troco de nada!
Já agora façam também um pequeno execicio mental.
Se fosse ao contrário, Europeus a fugir na direcção dos paises de onde vem esta vaga de refugiados, será que nos iam aceitar tal como somos??
Imagem de perfil

De Jorge Soares a 03.09.2015 às 17:18

acontece que alguns dos que escrevemos e comentamos já passamos por parte disso, há quem já tenha ido bater a outras portas para poder ter futuro e tenha sido recebido de braços abertos.

A Europa nem sempre teve o nível de vida que tem agora e em Portugal nem é preciso recuar muito... quantos portugueses tiveram que ir para outros países nos últimos dois ou três anos porque por cá não viam futuro?.... Não me consta que tenham feito muros de arame farpado para os impedir de entrar lá para onde foram.

Jorge Soares
Imagem de perfil

De Jorge Soares a 03.09.2015 às 17:20

Esqueci uma parte, quando a minha família teve que emigrar não houve quem abrisse as portas, tivemos que ser nós a fazer com que elas se abrissem... é isso mesmo que esta gente toda quer, que lhes permitam ter uma vida em que possam construir o seu futuro.

Jorge Soares
Sem imagem de perfil

De Anonimo a 03.09.2015 às 21:29

Emigrar e uma coisa, multidoes a atravessar fronteiras a querer ir "exigir" ir para alemanha ou inglaterra (sao pobres) mas pedem a rica, nao sao emigrantes, sao gente que foge de algo que de outro modo nao fugia. O problema esta na terra deles mas nos temos que arcar com as consequencias, enquanto o isis continua a sua selvageria nos indignamo-nos com os mortos, e achamos que a europa e que tem que resolver o problema e nao o mundo, haja paciencia. Esta e a melhor entrada do isis na europa se ja tinhamos problemas com estas pessoas de segurança e terrorismo, que nao se integram e mantem os seus costumes e religiao imaginemos daqui a uns anos a situaçao explosiva que daqui pode vir, chamem-lhe racismo ou o que quiserem mas nao podemos acolher todos os que querem vir, criamos estruturas e apoios sociais que ja mal chegam para nos, imaginem entao acolher todos os que quiserem vir para ca.

Comparar isto com emigraçao e com os nossos emigrantes so por brincadeira.
Sem imagem de perfil

De Anónima (a mesma) a 03.09.2015 às 21:45

Cá vem o comentário racista que me vai fazer explodir a cabeça!
"se ja tinhamos problemas com estas pessoas de segurança e terrorismo, que nao se integram e mantem os seus costumes e religiao imaginemos daqui a uns anos a situaçao explosiva que daqui pode vir, chamem-lhe racismo ou o que quiserem"
1. Por acaso ja teve algum problema com um migrante desalojado ou algo parecido? E está a falar em "Nós" porquê? Nós quem?
2. Por acaso pensa que todos aqueles humanos vêm para cá armados até aos dentes? Um pai de uma criancinha de poucos anos vai esconder bombas no meio dos brinquedos do filho (se existirem)?
3. Por acaso conhece aquela gente para dizer que não são capazes de mudar? De se adaptar a uma nova vida noutro lugar completamente diferente?
4. SIM, CHAMO, NO MINIMO, DE RACISMO!
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 03.09.2015 às 22:12

Ainda bem, ora expluda la a vontade, mas antes disso convem que conteste o que eu disse, se chama emigrantes a deslocaçoes em massa de populaçoes, e em segundo lugar porque e que agora fogem essas populaçoes e do que o que mudou no planeta para fugirem alguma catastrofe natural? o sentimentalismo nao me tira a racionalidade para explodir

Em segundo lugar tem que analisar se esses massas humanas se podem receber e que impacto vao ter nas nossas estruturas sociais. porque um emigrante vem ganhar a vida e espera regressar a sua terra, estas pessoas nao e o caso.

Se conheco aquelas pessoas e se mudam ou se adaptam??? em que mundo tem andado a viver, por acaso conheco e seguem a sua religiao, costumes e procuram que a sociedade os reconheça nao se adaptam as nossas leis estas e que tem que se adaptar a eles criando excepçoes.experimente criticar a religiao ou costumes deles.

Por ultimo e nao e para aqui chamado, uma das "tecnicas" de expansao dos muculmanos sao a expansao de celulas familiares se perceber, o resto vera qual o melhor caminho de entrada do isis na europa.
Sem imagem de perfil

De Anónima (a mesma) a 03.09.2015 às 22:19

Estou a ver que não vale a pena bater na mesma tecla...
Ficou assim tão ofendido com o comentário de uma adolescente teimosa? Uau! Vou ter futuro em irritar aqueles que me chateiam!
Bem... Boa noite e até amanhã!
Sem imagem de perfil

De Anonimo a 03.09.2015 às 22:25

Ah sim entao em que tecla esta a bater porque nao aparece nenhuma ideia alinhavada, lamento entao a desilusao de uma teenager teimosa. quanto a ficar ofendido tem muito que aprender nesse campo, ja tenho calos na ponta dos dedos para me ofender tao facilmente.Bons sonhos
Sem imagem de perfil

De Adolescente Teimosa a 04.09.2015 às 13:03

Acabei por mudar de nome, fica melhor.
E quanto à tecla, é uma expressão, sabia?
Este post era para alertar pessoas com as suas ideias!
E estou a ver que a maioria delas, por mais que critiquem, acabarão por apoiar a ideia que não deve demorar muito a chegar: expulsá-los e mandá-los de novo para a guerra.
Esta gente está a FUGIR DE UMA GUERRA! Se rebentasse cá uma guerra, fugiria do país, não? E depois os amigos espanhóis diziam que não podia passar senão a Europa vinha abaixo com o peso que iria fazer se ultrapassasse uma linha feita por pessoas e não pela Natureza.
Conclusão: pessoas com as suas ideias não deveriam ser considerados Homos sapiens sapiens (para os mais atrasados), Humanos! Nem sequer Pessoas eu deveria chamar-vos!
Tudo isto, pois não mudam de ideias (era uma das suas críticas aos estrangeiros, não era?)
Sem imagem de perfil

De Anonimo a 04.09.2015 às 14:27

Claro que sabia ou e assim tao ingenua? Claro que sabia de uma teenager vivendo no mundo das ideias em choque com o que ve acontecer no mundo real.

Mas e assim mesmo e lamento que nao saiba ver que o tal homo sapiens tem uma natureza invarialvelmente imovel ou seja progrediu tecnicamente culturalmente, mas a nivel de emocoes sentimentos e afectos somos iguais ao nosso antecessor homo sapiens, altruistas egoistas ambiciosos generosos etc etc. Uma coisa e viver no mundo platonico das ideias de um ideal, outra e cair na real sem se magoar e sofrer muito nesta vida, nem todos sabem, mas convem nao esquecer que o homem e o lobo do homem
Imagem de perfil

De Jorge Soares a 03.09.2015 às 22:57

E a sua solução é fechar a fronteira e deixar que o ISIS as mate a todas?

Jorge Soares
Sem imagem de perfil

De Anonimo a 03.09.2015 às 23:05

Nao, mas como se fez nas outras guerras aos refugiados? repartiam-se por algum continente? ou criaram-se campos de refugiados supervisionados pela onu nas proximidades e uma vez acabada a guerra voltavam a casa,

A sua ilusao de que depois de acolhidos por um pais vao voltar ao seu destino de partida nao passa disso uma ilusao.

Compreendo o drama humanitario e esse e o problema mais urgente,por isso talvez o nao incentivo a virem mais seria o acolhimento num campo de refugiados.
Sem imagem de perfil

De ana a 04.09.2015 às 09:25

Não Jorge, mas também não queremos que o ISIS nos mate a nós, pois não?
Sem imagem de perfil

De Fernando Romeiro a 03.09.2015 às 17:34

Sr. Daniel estes migrantes não são "desgraçados" , SÃO HUMANOS como você e eu, merecem todo o apoio que nos for possível dar.
Vamos devolve-los à procedência?
Vamos criar campos de concentração e de extermínio como os nazis?
Vamos vende-los com escravos?
Infelizmente não tiveram a sorte de nascerem na Europa, onde há alguma segurança, e se fosse os nossos pais, irmãos até portugueses a passarem por toda esta tragédia o que faria?
Por favor sejamos Humanos e dignos da nossa raça.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 03.09.2015 às 21:34

tem razao mas inversa,os nazis metiam judeus em comboios para campos de concentraçao a alemanha e a europa vai receber comboios de muculmanos mandados pelo isis.
Sem imagem de perfil

De Daniel a 03.09.2015 às 20:26

Eu não me quis alongar muito no comentário que fiz , mas só para que conste:
Eu também sou emigrante.... na Arábia Saudita, sim da terra sagrada destes gajos!
E o que tenho a dizer é o seguinte pela experiencia que tenho já de alguns anos a trabalhar por aqui é que, quando lhes derem a mão eles vão vos comer o braço e pedir o resto para sobremesa!
Da Turquia para frente poucos se aproveitam!
Eles não são como nós, não têm a mesma cultura, nível civilizacional , religioso, etc...
Sim no meio da porcaria também há gente boa, é verdade, o problema é que ainda não inventaram nenhum aparelho para avaliar o carácter das pessoas e os métodos usados são lentos e nem sempre acertam!
Uma coisa é certa sabendo que 1500 ou mais vêm para Portugal assim de magote sem controlo e investigação de quem são, vou passar a ter de ter as mesmas precauções em Portugal de que quando estou na Arábia Saudita e isso é muito triste!!
Não sou contra acolhimento de refugiados mas tem de haver critério e controlo de que cruza as nossas fronteiras!
Se querem resolver o problema acabem com os conflitos que origiram este fluxo migratório, abrir as portas só vai piorar o problema, se de um lado eles levam porrada do outro vão ser explorados e marginalizados, não vai mudar tão cedo nem com imagens de crianças afogadas no Telejornal, até porque este fim de semana joga a Seleção e a malta vai mandar as couves as crises humanitárias!
Imagem de perfil

De Jorge Soares a 03.09.2015 às 22:59

Imagino que emigrou porque lhe apeteceu, porque por cá podia ter as condições de vida e trabalho que a Arábia saudita lhe dá.. certo?

O seu comentário vindo de alguém que foi acolhido por um povo e um país que lhe dá pão ... é triste...

Jorge Soares
Sem imagem de perfil

De Daniel a 04.09.2015 às 06:22

Não acordei numa manhã e lembrei-me de vir para a Arabia Saudita!
Fui porque me apresentaram uma oferta de trabalho na minha area de competencia com um ordenado impossivel de obter em Portugal! Fiz contas a vida, ponderei o prós e contras e arrisquei. Não me arrependo e voltava a fazer tudo de novo.
Quanto ao gostar do país de acolhimento, nem por isso, eu só ca venho trabalhar, faço turnos de 28 dias a bordo de uma plataforma e descanço outros 28 em Portugal!
Durante o tempo de trabalho estou sempre a bordo e tenho contacto com gente de todo o mundo, sem duvida que os piores são os do médio oriente em termos de personalidade, arrogancia, falta de civismo, algo como nunca vi na minha vida, mas sim há excepções, poucas, mas há!
Já agora por acaso não são os Arabes que me pagam, a empresa não é Arabe é Europeia, simplesmente opera na Arabia Saudita, como amanhã até pode operar em Portugal para onde até posso ser deslocado!
Já cá estou a tempo suficiente para perceber que dos europeus que cá trabalham poucos ou nenhuns gostam de cá estar, mas é onde há trabalho.
Eu antes de conhecer a realidade também achava e dizia para mim mesmo, "caramba, também não hade ser assim tão mau", mas o facto é que é!!

Voltando ao assunto do blog, se vierem refugiados logo se verá quem tem razão, para bem dos Portugueses eu espero estar enganado!!
Imagem de perfil

De Corvo a 05.09.2015 às 01:16

Bem visto!
E ainda melhor dito.
Tanta gente solidária, tanta gente abnegada, tanta gente generosa, altruísta, filantrópica.
Quantos abriram as portas e acolheram?

Comentar post



Ó pra mim!

foto do autor



Queres falar comigo?

Mail: jfreitas.soares@gmail.com






Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2010
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2009
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2008
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2007
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D