Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




adolescente.png

 

 

Imagem do Sol

 

J. tem 15 anos e vive há 16 meses na ala pedopsiquiátrica do Hospital Dona Estefânia. A doença que a levou a ser internada nesta unidade já foi estabilizada e os médicos deram-lhe alta clínica há mais de um ano.

 

Há noticias que são difíceis de digerir, esta é muito difícil, até porque há o que está escrito preto no branco e o que está escrito nas entrelinhas.

 

O que está escrito preto no Branco é que uma jovem de 15 anos está há mais de um ano encerrada numa enfermaria de um hospital, onde partilha os seus dias com  "doentes agudos com perturbações mentais", isto porque a CPCJ considera que a sua família, na noticia falam da mãe, não está em condições de a acolher em segurança e não haverá vagas para ela em nenhuma das mais de cem instituições que há neste país.

 

Para quem não sabe em Portugal há mais, muito mais de cem instituições de acolhimento, e por incrível que pareça não há em nenhuma uma vaga para esta jovem que está assim condenada a viver os seus dias entre médicos, enfermeiros e pessoas doentes.

 

Não sai, raramente tem visitas, não vai à escola e os únicos jovens da sua idade com quem se dá são os tais  "doentes agudos com perturbações mentais"... se eu não mandar os meus filhos para a escola de certeza que me cai em cima a CPCJ e a segurança social de Setúbal e haverá até quem me ameace com os institucionalizar, mas pelos vistos isso não se aplica aos jovens que estão à guarda do estado.

 

O que não está escrito preto no branco e se percebe nas entrelinhas é que o verdadeiro problema não será realmente a falta de vagas nas instituições, o problema será que não há vagas para ela devido aos seus antecedentes de problemas psiquiátricos, se fosse uma jovem normal e sem problemas, de certeza que haveria vagas.... que nesse caso não seriam necessárias, pois não fossem os seus problemas estaria com a família... fantástico não é? 

 

É assim que o estado e a segurança social tratam dos jovens que tem ao seu cargo, não é por isso de estranhar que existam mais de 8000 jovens e crianças institucionalizadas, ora se demoram mais de um ano em arranjar solução para uma jovem que está a perder a sua vida encerrada num hospital...

 

Há mais alguém que  pense que tudo isto não passa de uma forma de maus tratos do estado para alguém que está à sua guarda? Qual é a CPCJ que protege as crianças dos maus tratos do estado?

 

Jorge Soares

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:41


7 comentários

Imagem de perfil

De Vasco a 17.12.2014 às 00:17

Ui, que tema sensível este.
Quantas CPCJ existem apenas para alguns "senhores" conseguirem projeção e destaque social? Ainda recordo as palavras ordinárias de um elemento feminino da primeira, na qual representei uma escola, a respeito de um aluno,sem que ela soubesse que este tinha sido meu no regular.
Felizmente existem exceções.
Imagem de perfil

De marta-omeucanto a 17.12.2014 às 10:17

Este é apenas um de muitos casos. Posso dizer que, muitas vezes, nas próprias instituições onde foram colocados para serem protegidos, é onde mais precisam de protecção. E nem sempre as crianças ou jovens em risco são colocados nas instituições certas, ora por falta de vagas, ou porque já sabem com o que vão lidar e "empurram" para outro lado.
Penso que deveria haver um apoio e acompanhamento maior aos pais destes jovens e crianças, para que os filhos possam voltar ao meio familiar de onde foram retirados, já que não têm onde os colocar.
Assim, parece que estão a lidar com animais, e não com pessoas. E até os maus tratos a esses já são punidos. Mas o estado, quase sempre, sai impune...
Sem imagem de perfil

De Cris a 17.12.2014 às 12:07

Quando penso que mais nada me pode surpreender, eis que a vida me dá motivos para abrir a boca de espanto. Não sei o que te dizer, Jorge. Estou triste. A vida humana deixou de ter valor, a não ser que produzas e que consumas... Que merda de mundo!
Imagem de perfil

De golimix a 18.12.2014 às 10:55

Não me faças falar da CPCJ! Que há coisas.....
Há, felizmente, excepções.

Concordo com a CRis. Pobre de quem não produz e consome.
Imagem de perfil

De mãe de coração a 19.12.2014 às 09:36

Por mais anos que viva há coisas que nunca vou entender... ainda há quem se ofenda quando o nosso país é colocado em pé de igualdade com qualquer outro país do 3ºmundo!!! Lamento mas parece-me o mais correcto.
Tratar os nossos jovens desta maneira é próprio de países de 3º mundo!!!
Imagem de perfil

De Kok a 20.12.2014 às 22:04

Como afirmo no comentário ao post seguinte, estamos vivendo num país que só geograficamente faz parte da Europa.
Porque exceptuando "meia dúzia" de nabados que se governam E BEM, todos os restantes resta-lhes "desenrascarem-se" o melhor que podem e sabem.
Qaulquer semelhança com países sul americanos (sei que lá viveste), não é pura coincidência.

1 abraço pah!

Comentar post



Ó pra mim!

foto do autor



Queres falar comigo?

Mail: jfreitas.soares@gmail.com






Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D