Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Seremos masoquistas ou mentirosos?

por Jorge Soares, em 23.09.15

sondagens.jpg

 

Imagem do Público

 

Passei os últimos 4 anos a ouvir as pessoas queixarem-se dos aumentos de impostos, da austeridade da TRoika com a bençao do governo, das mentiras do Passos Coelho, das incoerências do Portas, das trafulhices do Sócrates e da falta de oposição do PS.... quando tentava explicar que a culpa era de quem tinha votado neles, normalmente a resposta era: "Eu não fui"

 

Depois de tantas queixas e lamúrias o mínimo que estava à espera era que pelo menos não fossem votar nos mesmos... afinal das duas uma, ou somos um povo de masoquistas ou de mentirosos que tem medo de assumir a sua responsabilidade.

 

Pelos vistos os portugueses gostaram muito do que aconteceu no país nos últimos anos e querem mais.... este país tem os governantes que merece.... 

 

Jorge Soares

publicado às 23:05


6 comentários

Sem imagem de perfil

De Patricia a 24.09.2015 às 09:36

Eu já não falo apenas na visão egocentrica de ter que viver com menos 25% do ordenado.
Eu falo da educação, da saude em portugal.
Eu falo d aumento de alunos por turma, da diminuição de psicologos na escola, de auxiliares educativos, de aumento desmensurado das metas curriculares, do não incentivo das componentes artisticas, como só a matematica, ingles, fisica e programação fossem importantes ( deixa cá frisar que EU SOU professora de informática nuam escola de engenharia).
Eu falo da falta de medicamentos e materiais, de enfermeiros e de medicos nos hospital, das indicações absurdas de cada medico de familia ter 10 minutos de tempo de referencia para atendimento de cada doente....

Depois disso tudo, como se pode querer votar no sentido de manter este paradigma!!
Imagem de perfil

De aespumadosdias a 24.09.2015 às 10:37

Quando começaram a sair estes resultados, não queria acreditar. Agora começo a pensar que teremos a vitória de Passos e Portas mas estarão lá por pouco tempo pois não vão conseguir aprovar o orçamento.
Sem imagem de perfil

De Anonimo a 24.09.2015 às 13:31

Sera masoquismo sadismo ou a bruta realidade a qual parece impossivel modificar.

A acontecer isso e a acreditar nas sondagens, pois bem isso demonstra que as pessoas tendem para um conservadorismo e uma rotina nas suas vidas, ou seja aqueles que mantem um emprego uma pensao mais ou menos e ja reajustaram as suas financas e orcamento a esta realidade, nao querem passar por uma situacao de incerteza com novas medidas e novas receitas que de um ponto de vista pessoal parece mais favoravel mas pode revelar-se incerto sendo as pessoas avessas ao risco.

Por outro lado as pessoas veem o que acontece com os outros paises nomeadamente na grecia onde um "revolucionario"ia por a europa em sentido e ele e que acabou a acertar o passo e a fazer continencia mais parecendo um agente duplo da troika, e nao acredita que quem quer que va para o governo mude alguma coisa.

Resta o voto ideologico partidario por conviccao que cai sempre nos mesmos.
Imagem de perfil

De J. M. a 24.09.2015 às 14:16

Acredito mais que se trata de Falta de Alternativa séria e decente! E continuo na minha convicção de que o maior masoquismo é aceitar que esta "classe de políticos" faça da Política um jogo de interesses pessoais e um exclusivo de alguns formatados e privilegiados sem verdadeiro intuito de cuidar da Res Publica.
Maior masoquismo é não exigir que o Governo do País se faça pelos cidadãos e para os cidadãos, em vez de ser pelos atuais políticos e para os interesses dos tubarões.
Sem imagem de perfil

De queima beatas a 24.09.2015 às 18:33

Os portugueses não são tão burros que façam as contas apenas aos últimos quatro anos. Sabem que burro pode coxear por tropeção mais antigo.
Imagem de perfil

De Kok a 24.09.2015 às 21:57

Bem sei que isto não passam de sondagens, algumas seguramente feitas à medida de quem as pede, mas ainda assim é de facto incrível constatar (o que eu chamo de) falta de memória das pessoas.
Um governo que vendeu em saldo empresas de referência da economia portuguesa, que "promete" continuar na mesma linha de alienação de mais valias económicas, que (não só prometeu não o fazer mas) aumentou impostos, que afirmou ser um disparate o "boato" o 14ª mês vir a ser cortado e afinal cortou-o como cortou o 13º mês, alcançar esta percentagem?
Eu quero acreditar que os resultados eleitorais não corresponderão àqueles valores.

Comentar post



Ó pra mim!

foto do autor



Queres falar comigo?

Mail: jfreitas.soares@gmail.com






Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D