Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



a12.jpg

 

Imagem do Expresso

 

Passo na A12 todos os dias desde 1998 quando esta foi inaugurada, normalmente até à entrada da Ponte Vasco da Gama não há grande trânsito, hoje não foi a excepção. Passei lá por volta das oito da manhã, como em muitos outros dias entre o pinhal novo e o Montijo havia nevoeiro, na zona do Pinhal Novo, onde uma hora mais tarde se daria o choque em cadeia em que morreu uma pessoa e outras 14 ficaram feridas, a visibilidade seria talvez de 20 ou 30 metros.

 

Por norma sou uma pessoa que cumpro os limites, muito mais quando as condições não ajudam, esta manhã dei por mim a olhar para o velocímetro, ver que ia entre os 110 e os 120 e achar que ia com velocidade a mais, para o nevoeiro que estava... mas a julgar pela quantidade de carros que me ultrapassava, devia ser o único que pensava assim.

 

Não concordo quando se diz que os portugueses somos maus condutores, acho sim que há muita gente que principalmente nas auto-estradas abusa muito na velocidade e, talvez porque temos um clima amigo,  temos uma enorme dificuldade em adaptar a nossa condução ao estado da estrada e às condições atmosféricas.

 

Hoje estava nevoeiro, quando chove não é muito diferente, eu ia perto dos 120 e a julgar pela forma como passavam por mim, a maior parte dos outros carros ia de certeza muito acima dessa velocidade. Isto já para não falar dos muitos carros e até camiões que iam sem as luzes de nevoeiro ligadas.

 

O que aconteceu hoje na A12, para além de ser resultado do nevoeiro e da falta de visibilidade é também resultado da falta de bom senso e responsabilidade da maioria dos condutores, com 30 metros de visibilidade e velocidades altas, qualquer imprevisto ou até um carro ou camião numa velocidade mais lenta, termina quase de certeza em desastre e na A12, só não acontece mais vezes porque não está assim tantas vezes nevoeiro e o transito normalmente não é muito.

 

Mais que saber-se conduzir falta civismo e educação nas estradas portuguesas, todos nos achamos excelentes condutores e que mal entramos no carro ficamos acima da lei leis de trânsito e limites de velocidade parece que é algo que raramente nos diz respeito, infelizmente muitas vezes estas atitudes terminam de forma abrupta e grave como aconteceu hoje

 

Jorge Soares

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:03

O homem com mais sorte do mundo

por Jorge Soares, em 19.07.14

Maarten de Jonge

 

 

O senhor ali da fotografia chama-se Maarten de Jonge é holandês e ciclista, corre para uma equipa da Malásia, a  Terengganu Cycling. A passar uns dias na Holanda, tinha bilhete reservado  para o Voo da MH17 da Air Malásia que foi abatido por um míssil na Ucrânia.

 

Jonge vai competir no tour do Taiwan e por isso escolheu o voo da Air Malásia para ir para o Oriente, uns dias ante encontrou um voo 300 Euros mais barato à última hora decidiu trocar. Hoje sabemos que essa troca de voos lhe salvou a vida.

 

Acontece que não é a primeira vez que Jonge se livra de morrer num desastre aéreo por trocas de última hora, há uns meses ele também  tinha lugar marcado no voo da mesma companhia, ver aqui, que desapareceu não se sabe onde  com 229 pessoas a bordo. Na altura decidiu trocar o bilhete para outro voo que ia para a Holanda sem escalas.

 

Quais serão as probabilidades de uma sequência de eventos como estes acontecerem a uma só pessoa? Se não é a pessoa com mais sorte do mundo, deve andar lá perto.... 

 

Jorge Soares

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:09

Deus bom, deus mau, que deus?

por Jorge Soares, em 11.06.14

Solidão

 

"Deus existe porque o homem sozinho não consegue existir. Morre. Vive um bocadinho, faz umas coisas e depois morre. Deus existe porque a Arte não é suficiente. Deus existe porque o Amor não chega. Deus existe porque o homem sozinho é pior. É mais mau. É mais triste. É mais só."

 

Miguel Esteves Cardoso

 

 

Na semana passada por motivos de uma pequena cirurgia a uma vista, passei 24 horas na oftalmologia do Hospital Garcia da Horta, a meio da manhã antes de que me levassem para o bloco, para a cama ao lado da minha chegou um homem que manhã cedo tinha tido um acidente de trabalho, um descuido e se calhar a falta de óculos de protecção, fez com que uma vareta de plástico lhe acertasse em cheio numa vista.

 

Brasileiro, com um daqueles nomes que não lembra ao diabo, não se cansava de repetir a história a cada pessoa que se acercava da cama dele:

 

 

- Estava mesmo no fim do turno, já  quase ia para casa e de repente sentiu como aquilo lhe acertava na vista, de repente ficou tudo negro, sentiu sangue e ele só pensava que agora aos 50 anos, ia ficar sem a vista, como é que isso era possível?

 

-Felizmente deus é grande e nas urgências do hospital o médico tinha-lhe dito que era grave, mas não tão grave como parecia, que com um bocado de sorte, ele ia ficar bem... graças a deus, deus tinha sido muito bom com ele e não lhe tinha tirado a vista.

 

E a história era repetida uma e outra vez, a cada doente, enfermeira ou auxiliar que por ali passava... eu fui ouvindo em silêncio e só me apetecia perguntar ao homem, se deus era assim tão bom para ele, porque raios é que tinha permitido que a vareta lhe acertasse na vista, não era muito mais simples ter arranjado modo de  que nada daquilo acontecesse e ter-lhe poupado a ele o sofrimento e ao médico o trabalho de lhe estar a reconstruir uma parte do olho?

 

Finalmente levaram-me para o bloco, quando acordei a meio da tarde também já o tinham operado a ele, com anestesia local, imagino o que o pobre homem terá passado. Felizmente para ele os médicos fizeram um excelente trabalho e conseguiram resolver todas as desgraças que ele tinha sofrido naquela vista.

 

O tempo ia passando e ele ia contando a história agora também via telemóvel, estava feliz porque lhe garantiam que ia ficar bem, graças deus os médicos tinham-lhe conseguido salvar a vista... porque deus era grande e tinha-lhe salvo a vista. Das primeiras pessoas para quem ligou foi para o pastor da igreja, a pedir para fazer uma oração a agradecer que ele estava bem.

 

Não sei se era da anestesia pela que eu tinha passado ou do incómodo da vista operada, mas aquilo já me estava a irritar, o homem não se calava.

 

Chegou a hora das visitas, e com ela a pastora da igreja dele, com roupa, o carregador do telemóvel para ele poder continuar a contar ao mundo como deus é bom e lhe salvou a vista, comida e outras coisas pessoais. Depois chegaram mais pessoas, todas da igreja evangélica... 

 

Dei por mim a pensar que não fosse a igreja e ele não tinha visitas, nem quem lhe viesse trazer as coisas, nem quem o viesse buscar quando tivesse alta.... Um dos amigos que o vieram visitar disse isso mesmo, tinha estado 22 dias num hospital e não teve nem uma visita.. e foi lá, nesse hospital, que ele se virou para deus.

 

A solidão é algo terrível, não me parece que deus tenha tido nada que ver nem com o acidente nem com a cura. Se calhar se estivesse menos cansado depois de trabalhar a madrugada toda e usasse equipamento de protecção adequado, aquilo não tinha acontecido. Quanto à cura, sorte e bons médicos fazem milagres todos os dias.

 

Podemos pensar se deus é bom porque ele não perdeu uma vista, ou que é mau porque permitiu que aquilo acontecesse, mas não deixa de ser verdade que para ele e para muita gente que vive completamente só, a igreja, pelo menos a igreja dele, não deixa de ser uma coisa muito boa.

 

Já o disse aqui mais que uma vez, deus só existe porque falhamos como seres humanos, felizmente ainda há quem, como aquela pastora e aqueles amigos dele,  se agarre a deus para fazer o bem.

 

Dito isto, deus não existe, ponto final

 

Jorge Soares

 

PS: Não tem nada a ver, mas fui muito bem tratado pelo pessoal da oftalmologia do Hospital Garcia da Horta, simpáticos e atenciosos quanto baste e extremamente profissionais.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:20

Alguém conhece uma bruxa de confiança?

por Jorge Soares, em 22.04.14

 

Bruxa

Imagem de aqui

Azar é uma palavra sem sentido,

nada pode acontecer sem uma causa

Voltaire

 

 

Quem me costuma ler sabe que para além de ateu sou um céptico convicto, não há deus, não há destino e sorte e azar são só  palavras que servem para explicar os acasos da vida... desde que tenho uso de razão que vivo de acordo com estes princípios e nunca vi motivos para os trocar por outros.

 

Tudo isto é muito bonito, mas juro que por vezes me pergunto se não estarei completamente errado, principalmente quando os diversos acasos teimam em se juntar todos para o mesmo lado que só por acaso, é o mais chato... o último mês foi claramente uma destas ocasiões e juro que a estas alturas já me pergunto se tanto acaso junto já não será azar. Vejamos:

 

13 de Março - Numa rotunda à saída de Setúbal, um senhor com uma carrinha resolveu cortar a direito e invadiu a faixa de rodagem onde por mero acaso ia a circular a minha meia laranja, o resultado foi chapa batida e um prejuízo evidente no carro, que por acaso até já estava quase vendido.

 

Também por acaso o senhor só parou uns cinquenta metros mais à frente e porque viu que ia a ser seguido, já vamos perceber porquê, e claro, não assumiu responsabilidade nenhuma, só não se foi embora sem sequer esperar a GNR nem agrediu a P. porque foi impedido.

 

Dois ou três dias depois, estava eu a fazer uma receita complicada quando despejei para dentro do copo da Bimby uma boa quantidade de azeite, não reparei que a parte inferior não estava fechada e o azeite foi parar directamente ao motor.. que literalmente se afogou... a reparação ficou em 200 Euros.

 

Na semana a seguir, quando já eu tinha começado as minhas discussões com a companhia de seguros ZURICH, a do senhor que bateu no carro, uma manhã cheguei ao meu carro e reparei que este estava aberto, durante a noite tinham voado o computador portátil e o GPS... 

 

Com isto tudo estávamos no inicio de Abril e não havia maneira de eu saber quando iria ter o carro, que até já estava vendido, reparado, a esta altura do campeonato no call center da Zurich já não me podiam ouvir... mas não me servia de nada, eles estavam a estudar o assunto e eu só tinha que esperar.

 

Entretanto meteram-se as férias da Páscoa e rumamos ao Alentejo.

 

A 13 de Abril, estava eu em Vila Nova de Milfontes, entrei para o meu carro, não reparei que entre o eu entrar e o arrancar, alguém estacionou do outro lado da rua, quando dei por mim já tinha batido, os estragos eram evidentes e de certeza caros.

 

Finalmente durante a semana passada a Zurich tinha uma decisão, como as descrições do acidente não coincidiam e o segurado deles só tinha parado muito longe do local (o crime compensa), não conseguiam atribuir a culpa, eles só assumem 50%... e ainda por cima, enviaram-me uma carta onde dizem que vão pagar o valor... sem o IVA!!!! (viva a fuga aos impostos)

 

Agora digam-me lá, independentemente do que diga o Voltaire, isto é ou não azar a mais para uma pessoa só?

 

Alguém conhece uma bruxa de jeito? (de preferência como a da fotografia) .. es que you no creo em brujas, pero empiezo a pensar que, de que vuelan, vuelan!

 

Jorge Soares

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:08

De Chaves a Lisboa, quantos hospitais há?

por Jorge Soares, em 04.02.14

Ambulancia

 

Imagem do Público 

 

Ninguém gosta daquela frase que diz Lisboa é Lisboa o resto é paisagem, mas há alturas em que percebemos que não só isso é verdade, como é cada vez mais verdade.

 

Quando vemos uma noticia que diz que um jovem que teve um acidente de carro em Chaves terminou internado no Hospital de Santa Maria em Lisboa a mais de 400 kms de distância, porque supostamente em nenhum dos hospitais a norte de Lisboa havia vagas, ou médicos, ou ambas as coisas, ficamos a perceber que afinal é mesmo verdade, Portugal é Lisboa, o resto é paisagem.

 

Vejamos: Deu entrada no hospital de Chaves onde não havia os cuidados que ele necessitava, ao fim de três horas de espera foi decidido que teria que ser transferido. O hospital mais próximo é o de  Vila Real a 60 Kms, há outro em Braga, a 124 Kms, outro em Guimarães a 100 kms, há vários mais ali à volta, mas vamos focar-nos nos principais. Ao Porto, onde há não um, mas vários hospitais que supostamente são de referência, são 150 kms. Em Gaia também há um hospital, em Santa Maria da Feira há um grande Hospital, em Aveiro, em Coimbra estão alguns dos hospitais de referência no país, em Leiria, ....

 

Como é que é possível que seja preciso atravessar meio pais passando por várias capitais de distrito e por alguns dos maiores hospitais do país, para que alguém com suspeita de traumatismo craniano seja atendido?

 

Há algo de errado em tudo isto, felizmente o jovem chegou  com vida, em estado grave mas vivo, a Lisboa e desejo ardentemente que saia sem mazelas de toda esta situação, mas de quem seria a responsabilidade se ele tivesse falecido durante absurdo passeio em ambulância que foi obrigado a fazer?

 

Segundo o que li, todos hospitais teriam as vagas de neurocirurgia ocupadas... isto num dia que não tinha nada de especial e em que não haveria motivos para picos de procura... como será  nos períodos em que há muitas viagens e muitos acidentes? Se não conseguem responder à procura em períodos normais, como conseguem em períodos de grande afluência?

 

Tudo isto não só é incrível como é terrivelmente assustador, eu gosto muito de Portugal, gosto de viajar e de conhecer o meu país, mas será que depois de ouvir uma noticia como esta alguém fica com vontade de ir passear para Chaves? Ou para outra localidade qualquer que fique longe de Lisboa? Porque isto não acontece só aos outros, pode acontecer com qualquer um de nós, com os nossos filhos .... assustador, mesmo!

 

Jorge Soares

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:58

Erro humano?

por Jorge Soares, em 25.07.13

Comboio a Descarrilar em Santiago de Compostela

 

Imagem do Público

 

As imagens captadas por uma das câmaras de segurança da linha são arrepiantes, e mais se pensarmos que ali, naqueles poucos segundos, quase num abrir e piscar de olhos se perderam 80 vidas.

 

Desde o inicio que foi claro que o motivo do desastre foi o excesso de velocidade com que o comboio que saia da linha de alta velocidade e entrava na linha normal, abordou a curva. A velocidade máxima aconselhada para aquele local era de 80 Kms por hora, segundo o maquinista, iria a mais de 180. Uma velocidade de tal forma excessiva que fez com que um dos vagões literalmente voasse para fora da linha e fosse parar a um terreno que estava a mais de cinco metros de altura.

 

Resta saber o que fez com que isto pudesse acontecer, na Espanha as linhas de alta velocidade contam com inúmeros sistemas de segurança que em principio deviam impedir que este tipo de acidentes acontecessem, o facto de naquele local já estarmos muito próximos da estação, a menos de 4 kms, faz com que o controlo dos comboios seja completamente manual, cabendo ao maquinista controlar a velocidade de aproximação.

 

Não era a primeira vez que este maquinista ali passava, há mais de um ano que ele conduzia estes comboios nesta linha, ele conhecia perfeitamente o local  e sabia de certeza que aquela velocidade era excessiva, terá sido de certeza um erro humano a causar a tragédia, mas que tipo de erro humano consegue explicar tamanha irresponsabilidade?

 

O senhor gabava-se no Facebook de conduzir o comboio a 200 Kms por hora, o que nem é assim tão estranho, estamos a falar de um comboio de alta velocidade, o TGV espanhol, em muitos troços das linhas de alta velocidade essa é a velocidade normal, mas será que existe alguém tão irresponsável que sabendo que leva nas suas mãos as vidas de centenas de pessoas se atreve a deliberadamente ir a 190 Kms por hora numa zona de 80? Errar é humano, mas a irresponsabilidade neste caso pode ser um crime muito grave.

 

A meio da tarde o André sugeria que este tipo de acidentes constitui um bom argumento para que no futuro os transportes públicos sejam completamente automáticos, concordo, nada evitará que este tipo de acidentes aconteça, até porque sempre haverá falhas de material, mas retirar a variável "erro humano" do sistema tornará de certeza as viagens mais seguras.

 

Vídeo do desastre:

 

 

Erro humano de certeza, mas o que terá levado a esse erro trágico e fatal?

 

Jorge Soares 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:45

Se deus existisse era de certeza português

por Jorge Soares, em 22.01.13

 

 Fotogaleria do Expresso 

 

Eu não acredito em milagres, mas que do que se vê nas fotografias  tenham resultado só catorze feridos ligeiros é aquilo a que eu chamaria um milagre, é claro que também é a prova evidente de como os caminhos de ferro portugueses andam pela hora da amargura.

 

Num país em que os caminhos de ferro funcionassem a sério e em que os comboios andem com passageiros e não às moscas, de um acidente como o que aconteceu ontem em Coimbra resultariam dezenas de mortos... é claro que num país desses talvez estes acidentes não aconteçam

 

Jorge Soares

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:24

BMW destruído por Angélico Vieira

  .. uma morreu; outra, uma jovem de 17 anos, está também nos Cuidados Intensivos do Santo António, igualmente com “prognóstico muito reservado”; o terceiro sofreu apenas ferimentos ligeiros. ... curiosamente a noticia é sobre um quarto acidentado,  tem 28 anos e estará com prognóstico reservado..  eufemismo para entre a vida e a morte. Faltou dizer que o terceiro, o que sofreu apenas ferimentos ligeiros era o único que ia com cinto de segurança .... segurança, a palavra mágica que lhe poderá ter salvo a vida.

 

Foi este fim de semana, numa longa recta de uma auto-estrada com 3 faixas, com piso e marcações novas, o carro era um topo de gama de mais de 100000 Euros. Normalmente a culpa é da estrada ou do governo que não as constrói com qualidade, do parque automóvel de baixo valor e envelhecido... das leis que não são adequadas... tudo desculpas que não se aplicam neste caso... então? aqui a culpa será de quem?

 

Todos os anos morrem nas estradas portuguesas mais de 800 pessoas, 800 vidas  que se perdem, mais que em muitas das guerras e revoluções que se fazem por esse mundo fora. Dizem as estatísticas que a grande maioria dos acidentes é causada por jovens, jovens que deixam muitas famílias, muitas mães, muitos pais, muitos filhos em sofrimento...e tudo isto porquê?

 

O Angélico é só mais uma cara da irresponsabilidade com que a grande maioria dos portugueses se comporta na estrada, sentamo-nos ao volante e passamos de cidadãos de brandos costumes a bestas encartadas ... donos do mundo e da estrada..

Se somos multados não é porque não cumprimos as leis, é porque o estado faz leis estúpidas e a autoridade anda na caça à multa... a culpa nunca é nossa. E é algo transversal a toda a sociedade, não importa o grau de instrução, a idade ou o poder económico, sentamo-nos ao volante e viramos combatentes numa guerra sem quartel... uma guerra em que nunca há vitórias, só derrotas...  800 vidas ceifadas de modo estúpido por ano ... porque nos achamos donos do mundo e acima das leis.

 

A Suspeita chama-lhe guerra civil eu prefiro chamar-lhe o genocídio da estupidez tuga .... 

 

Jorge Soares

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:28

Mulher indemnizada por impotência do marido

 

Hoje foi um daqueles dias, começou com um computador que se recusou a arrancar, e eu que ia cheio de vontade de trabalhar, depois passei metade do dia a instalar tudo de novo e a outra metade a tentar perceber porque é que uma aplicação que funcionava perfeitamente simplesmente passou a não funcionar no dia em que o gajo mais chato e impaciente da empresa decidiu olhar para ela...e na véspera da entrada em funcionamento de uma serie de importantes alterações.... ainda não percebi!
 

Ao fim do dia fui dar uma olhadela pelo Reader, e eis senão quando (esta expressão é o máximo) um post da Mieepe que diz o seguinte:

 

Mulher indemnizada por impotência do marido 

 

Assim de repente esta é uma noticia assustadora.... mais tarde ou mais cedo.... e se a moda pega ....

 

Lendo com mais atenção.. aliás, depois de muito procurar, no site da RTP, lá percebi que quem pagou a indemnização foi a seguradora e não o marido, mas a noticia do correio da manhã não deixa de ser esclarecedora, vejamos:

 

...face à impossibilidade de qualquer relacionamento sexual com o marido, a esposa 'passou a ser acometida de permanente desgosto, apreensão pelo futuro, angústia, irritabilidade fácil e revolta'.

 

Nada que 50000 Euros não resolva!

 

Entretanto, hoje, 31 de Julho, é o dia mundial do orgasmo, "A data foi criada a quatro anos por mulheres inglesas, após descobrirem que 80% da mulheres não chegavam ao orgasmo"

 

80% ????????

 

Sem comentários

 

Jorge Soares

PS:A silly season chegou ao blog

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:43


Ó pra mim!

foto do autor



Queres falar comigo?

Mail: jfreitas.soares@gmail.com






Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D