Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Setúbal desde o rio Azul...o Sado

 

Vivo em Setúbal desde 1995, a primeira vez que cá vim foi em Julho, visita exploratoria à baixa, almoço de peixe grelhado e praia à tarde em Troia. Eu Gostei. Em Setembro viemos viver para Cá.

 

Curiosamente viemos viver para Setúbal porque apesar de nem eu nem a minha meia laranja sermos de cá, ambos recém licenciados, arranjamos emprego por cá. Desde o inicio que ouvia os mesmos comentários por parte das pessoas com quem ia falando, familia, amigos, conhecidos, a maioria das pessoas nunca cá tinha estado, mas todos tinham uma opinião formada.

 

-Vais viver para Setúbal?

-Sim

-Dizem que aquilo por lá está mau, não há empregos.

 

A mim nunca me pareceu, eu vinha de viver em Lisboa e antes disso em Caracas, a mim Setúbal parecia-me um lugar especial, praia e serra, cidade e campo, longe e perto do bulicio da cidade. Nunca me senti inseguro, bem pelo contrario, à medida que fui conhecendo a cidade e as pessoas fui gostando mais, e fui ficando. Agora a minha vida é cá, os meus filhos nasceram cá, gosto da cidade, das suas pessoas, do seu rio Azul... sou de cá.

 

Nos ultimos dias os comentários voltaram, todos ouviram falar da Belavista e do que por lá se passa. Mas o que se passa?

 

Hoje ouvia o Marcelo Rebelo de Sousa falar do assunto e não posso estar mais de acordo, ao contrario do que algumas pessoas tem tentado fazer passar, o que se passa na Belavista é um caso de policia, e é à policia que cabe resolver. 

 

Na Belavista vivem muitos milhares de familias, a grande maioria delas vive lá há 30 ou 40 anos e são pessoas de bem, é um bairro com muitas infraestructuras, com escolas, com creches, com instituições de solidariedade, com praças e jardins. Os meus filhos vão nadar à Belavista, foi na Belavista que organizamos dois encontros nacionais de adopção, já lá fui muitas vezes, nunca senti medo, nunca me senti a mais, ou pressionado.. ou inseguro.

 

É evidente que quando juntamos num bairro do tamanho de uma pequena vila todas as familias carenciadas da cidade, o mais normal é que com o tempo apareçam problemas sociais, problemas sociais que devem ser resolvidos como o devem ser em qualquer outro lugar.

 

Quem tenta olhar para a Belavista e ver o que aconteceu em França ou na Grecia, ou não sabe do que está a falar, ou está a tentar obter vantagem politica. Setúbal não é Paris, os portugueses não são os franceses e nunca serão.

 

Eu continuo a olhar para Setúbal e ver  a Cidade do rio Azul e dos bairros com vista para o Sado.. cada vez mais a minha cidade, e porque como dizia no outro dia no Momentos e olhares cada vez mais,..... a cidade somos nós

 

 

Jorge

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:00


Ó pra mim!

foto do autor



Queres falar comigo?

Mail: jfreitas.soares@gmail.com


Posts mais comentados





Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D