Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Quanto tempo dura o BES?

por Jorge Soares, em 01.08.14

Bes

 

 

Imagem do Henricartoon 

 

Há uns 15 dias o Banco de Portugal assegurava que não havia problema nenhum com o BES, o problema era só mesmo com o GES, uns dias depois já diziam que afinal poderia haver algum problema mas que o banco tinha dinheiro mais que suficiente para tapar o buraco, com a entrada dos novos gestores a mensagem passou a ser que se esse dinheiro não chegasse haveria gente com vontade de investir no banco para tapar o buraco.

 

No inicio desta semana o buraco chegou aos 3500 milhões, hoje já se fala da intervenção do estado e já há quem diga que os mais de seis mil milhões que restam do acordo com a Troika não vão ser suficientes, começo a ter medo do que virá a seguir... será que o BES dura até ao fim da semana que vem?

 

Comparado com o BES o BPN era muito pequeno e é difícil saber onde está o fundo do buraco financeiro que restou depois da nacionalização, não sou economista e tenho algumas dificuldades em imaginar quais seriam, para o país e para todos nós, as consequências da falência do segundo maior banco do país.

 

Há quem aposte que a nacionalização vá acontecer brevemente, há quem grite a todo pulmão que o estado não deve meter as mãos nas asneiras dos privados e que deverão ser estes a pagar os prejuízos. Eu acho que deixar o banco falir está fora de questão, para além de que teria sempre que ser o estado a cobrir os depósitos até cem mil euros, as consequências na economia seriam de tal forma graves que teríamos de certeza a troika de volta antes do natal.

 

Com tudo isto, já seja pela nacionalização ou pela falência, o BES já era, resta saber quanto tempo demorará a ser tomada a decisão e ditada a sentença.

 

Jorge Soares

publicado às 23:33

Ricardo Salgado e a Justiça à Portuguesa

por Jorge Soares, em 24.07.14

Ricardo Salgado

 

 

Imagem do Público 

 

A  detenção de Ricardo Salgado foi noticia em pelo menos dois dos principais jornais espanhóis online e imagino que terá tido eco em muitas outras publicações pelo mundo inteiro. Não é todos os dias que ouvimos falar da detenção de um banqueiro e muito menos de um que até chegou a ser convidado a comparecer em conselhos de ministros.

 

Não sou dos que acham que todos os banqueiros são ladrões, os bancos existem porque o mundo precisa deles, são um negócio e os negócios existem para servir quem deles precisa e para dar lucro a quem teve a capacidade de os montar. É claro que os bancos e quem os dirige tiveram a sua quota parte de culpa na crise, tal como a tiveram os políticos e até todos nós que os elegemos.

 

Ricardo Salgado era até há uns dias atrás uma figura poderosa, havia (há?) muita gente a depender dele ou pelo menos do dinheiro que estava ao seu alcance, da politica ao futebol passando pela industria, muito poucos dos poderosos deste país não tinham ligações mais ou menos próximas ao BES e/ou à família Espírito Santo.

 

Hoje o senhor foi detido, interrogado durante horas e teve que pagar a módica quantia de 3 milhões de Euros para poder preparar a sua defesa em liberdade. Curiosamente a sua detenção estará relacionada com o caso Monte Branco, caso pelo qual já tinha sido investigado e na altura ilibado.

 

Imagino que o descalabro do grupo Espírito Santo terá deixado à vista muito lixo que estava escondido debaixo dos tapetes financeiros, mas ficamos sempre a  pensar, o que terá mudado desde a altura em que se concluiu que o senhor era inocente até agora?

 

Poderão ter mudado muitas coisas, mas uma é evidente, Ricardo salgado deixou de ser "o gajo que manda nisto tudo", o banqueiro que até aparecia nos conselhos de ministros, no momento em que se percebeu que o GES era um gigante com pés de barro Ricardo Salgado passou a ser um cidadão comum e até passou a poder ser preso.

 

Eu sei que entre outros Daniel Oliveira já fez esta pergunta, é uma pergunta que nos fazemos todos, com os mesmos indícios que se conhecem agora, Ricardo Salgado teria sido detido e sujeito a uma caução de 3 milhões de Euros há dois ou três meses atrás? Eu quero na justiça portuguesa e portanto quero acreditar que sim.... mas também sei que sou muitas vezes sou lírico.

 

Esperemos é que a justiça à portuguesa não apareça de novo e a montanha não dê em mais um rato do tamanho do que deu com os senhores do BPN.

 

Jorge Soares

publicado às 23:35

Exposição de quadros de MiróImagem do Público

 

Tudo na vida depende do ponto de vista.

 

Hoje uma juíza, muitos funcionários do tribunal e alguns deputados estão a fazer horas extra para ver se ainda é possível evitar a venda dos 85 quadros que o estado herdou na nacionalização do BPN e que estão avaliados em pelo menos 35 milhões de Euros.

 

Os quadros que estão desde há anos à guarda de uma empresa pública, são obras do Pintor catalão Joan Miró e se as providências cautelares dos deputados e do ministério público não forem avante, serão vendidos amanhã em Londres por um valor mínimo de 35 Milhões que no estado actual das contas públicas, seriam uma excelente ajuda.

 

Os 35 milhões dariam por exemplo para devolver as bolsas aos muitos milhares de cientistas e investigadores a quem a Federação para a Ciência e tecnologia deixou de um dia para o outro no desemprego. Daria para ajudar a tapar o buraco na saúde, contratar médicos e enfermeiros que ajudassem a diminuir o tempo de espera nas urgências ou para abrir camas nos hospitais que permitissem o internamento das centenas de pessoas que tem que esperar dias esquecidos em  macas  nos corredores dos hospitais... 35 milhões é muito dinheiro.

 

Por outro lado a cultura sempre foi o parente pobre para o estado português, a verdade é que os quadros estão há anos guardados e longe da vista de todos nós, se tivéssemos um estado decente eles já estariam a enriquecer o espólio do museu nacional de arte contemporânea... sim , ele existe, é no Chiado... ou noutro qualquer dos museus do estado,  já teriam sido feitas exposições com eles ao estilo do que se fez com a obra de Joana Vasconcelos no museu de arte antiga e se calhar até já se tinha ganho mais que os 35 milhões de Euros.

 

Evidentemente os quadros não deveriam ser vendidos, se me perguntassem se achava que o estado deveria gastar 35 milhões em quadros de um pintor Espanhol, eu diria que não, há coisas muito mais importantes para fazer com esse dinheiro.  Mas estando as obras na posse do estado, e tendo em conta que os 35 milhões de Euros são uma gota de água nos 4, 5, 6, ou quem sabe quantos mil milhões de Euros que o BPN nos custou, pelo menos que fiquem a enriquecer a nossa cultura e não as paredes de algum milionário que só os compra para fazer lucro.

 

São 35 milhões de Euros, é verdade, podemos olhar para o número e achar que é muito ou que é pouco, podiam ajudar a resolver algumas coisas, mas não passam de uma pequena gota de água no orçamento de estado e não resolviam nem de perto o problema do BPN ... 

 

Se calhar deveríamos perguntar ao Deputado jotinha do PSD se ele não quer propor um referendo sobre o que se deve fazer aos quadros.

 

Jorge Soares

 

 

publicado às 22:36

Um governo com rabo de palha

por Jorge Soares, em 24.07.13

Omissão de ligação ao BPN na biografia de Rui Machete

Imagem do Público 

 

Primeiro foi Miguel Relvas com a sua licenciatura para inglês ver, depois foi Franquelim Alves, depois foram os secretários de estado remodelados à pressa pelas suas ligações aos swaps, depois foi a agora Ministra das finanças que para além de ter assinado contratos swaps, insistiu, e ainda insiste, em dizer no parlamento que este governo não sabia desses contratos obrigando que até Vítor Gaspar viesse a público admitir que sim, que o dossier lhe tinha sido passado.


Não contente com tudo isto, o primeiro ministro elegeu para Ministro dos Negócios estrangeiros alguém que esteve ligado aos escândalos do BPN e do BPP. É bom recordar que o caso BPN custou ao pais até agora quase 7 mil milhões de Euros, quase 10% do resgate financeiro da Troika, e são estes senhores que vão para o poder.  Das duas uma, ou Passos Coelho anda distraído, ou há muitos rabos de palha na nossa política.. e pelos vistos eles tem queda pelo poder.

 

Já agora, se a suas passagens pelo BPN e BPP foram assim tão pacificas como eles pretendem fazer crer, porque é que insistem em as retirar das biografias oficiais?

 

Ainda no fim de semana passada alguém em comentava escandalizado como era possível que na RTP dessem voz a Sócrates depois de tudo o que aconteceu, alguém que evidentemente se nega a sequer ouvir o que ele tem para dizer. Agora pergunto eu, como é que tanta gente com rabos de palha consegue chegar ao governo? Como é que pessoas que se demitem do mesmo governo de forma irrevogável,conseguem ser nomeados vice ministros e ver o seu poder aumentado? E como é que as mesmas pessoas que tanto criticaram o governo anterior aceitam tudo isto de forma tão pacifica?

 

Por este andar um destes dias temos Dias Loureiro no governo.

 

Jorge Soares

 

publicado às 22:13

Então e um pouco de vergonha?

por Jorge Soares, em 02.02.13

Franquelim Alves é secretário de estado apesar do caso BPN

Imagem do Público

 

Escolher para secretário de estado alguém que foi director do BPN e que pactuou com um dos maiores roubos feitos ao estado português é mesmo bater no fundo.

 

Franquelim Alves foi administrador da SLN/BPN (Sociedade Lusa de Negócios/Banco Português de Negócios), se não fez parte dos negócios escuros que levaram o banco à situação em que está, teve pelo menos que ter conhecimento do que por lá se passava e já se sabe que quem se cala consente.

 

O BPN custou até agora ao estado mais de cinco mil milhões de Euros, contribuiu com uma enorme quota para a situação que estamos a viver, que se tente colocar terra por cima do assunto e que os responsáveis por tudo isto continuem impunes e a viver à grande com o dinheiro que nos foi roubado a todos nós já é mau, mas eleger para o governo quem pactuou com tudo aquilo é o cumulo da falta de vergonha.

 

O PSD tem de certeza muitos esqueletos no armário neste caso, haverá muitos favores a fazer e muitas dividas a pagar, mas que tal terem vergonha?

 

Jorge Soares

publicado às 18:56

O BPN custou 3450 milhões de Euros aos Portugueses

Imagem do Persuacção 

 


O banco BPN representará um encargo líquido de 3405 milhões de euros para os contribuintes portugueses.


A Caixa Geral de Depósitos tem 17 ex-gestores que recebem, pela reforma, cerca de 2 milhões de euros por ano.



Diz o Público Online que o Ministério Público não tem meios para fiscalizar os rendimentos dos políticos, talvez isso explique alguma coisa.

 

Certo certo é que no fim quem tem que pagar a crise são os nossos impostos. Dizem eles que a austeridade é necessária porque durante anos vivemos acima das nossas possibilidades, mas a verdade é que aqueles 3400 milhões davam à vontade para devolver os subsídios aos funcionários públicos e ainda sobravam uns trocos valentes.

 

Nós é que temos que pagar mais impostos, mas ninguém se pergunta porque é que os senhores da Caixa geral de Depósitos tem direito a pensões vitalícias de muitos milhões e as podem acumular com outras pensões e salários dos seus empregos actuais.

 

Fomos nós que vivemos acima das nossas possibilidades, mas são os políticos e governantes que tem  direito a reformas e pensões após uns poucos anos e as começam a receber de imediato sem olhar a limites de idades.

 

Eu não sei bem quem viveu acima das suas possibilidades, mas tenho a certeza absoluta de quem governou acima das nossas possibilidades, todos o que passaram pelo poder nos últimos 30 anos.

 

Jorge Soares

publicado às 21:34

Duarte Lima fica preso

Imagem do Público

 

Haverá que esperar pelo dia de amanhã para se perceber por quanto tempo ficará o senhor detido, mas na minha cabeça pairam muitas dúvidas: Será que sem o caso do Brasil, com sangue a rodos,  imagens chocantes e provas mais ou menos contundentes, teria havido este desenvolvimento no Caso BPN?

 

Assim de repente parece que a justiça portuguesa anda a reboque do que acontece do outro lado do atlântico, é claro que tudo isto pode ser só uma enorme coincidência e tudo se passaria  da mesma forma com ou sem mortes no Brasil..... mas que parece estranho, parece.

 

E já agora que estamos com a mão na massa... ou neste caso num arguido, não se fazia um esforcinho e se apanhavam mais uns dois ou três?.. ou este sozinho é suspeito de ter levado os não sei quantos mil milhões que eu e todos os portugueses estamos a pagar com os aumentos de impostos?...então e cade os outros? não há mais suspeitos?

 

Jorge Soares

publicado às 20:03


Ó pra mim!

foto do autor



Queres falar comigo?

Mail: jfreitas.soares@gmail.com






Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D