Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Parque-de-Campismo-de-Pedrogão-Grande-300x178.jpg

 

Imagem de aqui

 

Este ano acertamos na Mouche, depois de um fim de semana de calor africano e de uma semana bem quentinha, escolhemos para ir conhecer o Pedrógão Grande e arredores precisamente no fim de semana em que  O São Pedro decidiu regar a serra... e pelo menos no Domingo, choveu a potes.

 

O Parque de campismo de Pedrógão Grande é bastante simpático, pequeno, com as infra-estruturas modernas funcionais e pelo que me pareceu, bem dimensionadas para o seu tamanho. O edifico das casas de banho é novo, tem um pequeno café com esplanada onde vendem alguns produtos de mercearia. 

 

Eu gosto de parques divididos em parcelas, não gosto de aglomerações nem de ter as tendas do vizinho em cima da minha. Não é o caso do de Pedrógão, a zona de acampada tem sombras suficientes como para que ninguém tenha que ficar ao sol, mas não há parcelas e não me pareceu haver muitas restrições à ocupação do espaço ou organização.

 

A Piscina é a da fotografia, tem um excelente aspecto, pena que o tempo não ajudou.

 

Fica ao lado da barragem do Cabril a uns cinco ou seis kms do centro de Pedrógão Grande e sensivelmente à mesma distância de Pedrógão Pequeno, tem umas vistas fantásticas para o lago e para a natureza, conta com um restaurante mesmo ao lado.

 

O parque conta com Bungalows de vários tamanhos, são relativamente baratos, mas não esperem encontrar muito espaço, nós ficamos nuns que supostamente eram para quatro pessoas, talvez se as pessoas não forem muito grandes e não sofrerem de claustrofobia...

 

São razoáveis para dois adultos e duas crianças.. isto se estiver bom tempo e conseguirem colocar a mesa cá fora para as refeições...  Ninguém se atreveu a usar o duche.. 

 

Este é um parque de natureza e na natureza, o ideal para quem gosta de fazer caminhadas e/ou desfrutar das praias fluviais, no raio de algumas dezenas de kms há muito por onde escolher.. .

 

Também serve para quem gosta de pesca, há uma zona de pesca desportiva na barragem, ainda que o N., o pescador cá de casa, diga que não há peixes ... ele pelo menos não conseguiu ver nenhum apesar da quantidade de isco que gastou 

 

Concluindo, é agradável e funcional, ainda que não tenhamos ficado muito impressionados com a organização.

 

Para não variar, o site da internet do parque é miserável como é habitual.

 

Jorge Soares

publicado às 23:45

Fechado para descanso do pessoal

por Jorge Soares, em 05.08.14

Fechado para férias

 

Imagem gamada algures da internet

 

 

Pois é, também me calha, eu e o blog voltamos no inicio de Setembro... ou antes, se me apetecer.

 

Cá por casa férias são longe de computadores, telemóveis, televisão, são mesmo férias, caminhadas, passeios pela natureza, muita leitura  e descanso.

 

Por agora vou ali preparar as coisas, ver se cabe tudo no carro e se não me esqueço de nada, depois é partir, por aí, rumo a lugares verdes, frescos e com a água do mar com temperatura de jeito....

 

Volto em Setembro, com certeza com novidades sobre parques de campismo de jeito, sobre lugares bonitos para se passear e bons livros para se ler.

 

Fiquem bem.

 

 

Jorge Soares

publicado às 22:18

Eurodisney Paris

 

Imagem minha do Momentos e Olhares 

 

Vou começar por uma informação útil, se por acaso decidir comprar os bilhetes para a Eurodisney via internet, antes de comprar entre no site francês da Disneyland Paris e verifique o preço, não é sempre, mas a maior parte das vezes o preço é mais barato para os franceses.

 

Este ano as nossas férias foram diferentes, houve menos praia, menos montanha, menos natureza, em contrapartida, houve muitos mais horas dentro do carro, ao todo foram mais de 4400 kms, e há quem diga que houve mais diversão.

 

Estivemos a fazer as contas, se quiséssemos ir à Eurodisney de avião, a viagem mais a estadia de 3 ou 4 dias, ficavam bem perto dos 2500 Euros. As crianças acima dos 12 anos pagam tudo como adultos e cá em casa já são duas.

 

Nós fizemos a coisa por menos de metade, levámos uma semana para chegar a Paris, pelo caminho conhecemos sítios fantásticos, fizemos canoagem radical, subimos ao segundo andar da torre Eifel pelas escadas, andámos a passear nos Campos Eliseus e debaixo do arco do triunfo, vimos namorados a colocar cadeados na A Pont des Arts, descobrimos as ruelas do Quartier Latin, subimos ao topo da duna mais alta da Europa e até andamos nos comboios franceses à borla...


Esta vez não fomos ao Louvre, a fila era de centenas de metros e o truque que tínhamos utilizado da outra vez já não funcionou, mas vimos a catedral de Notredame e fizemos um picnic nos jardins das margens do Sena.


Para os miúdos o ponto alto foram os dois dias de visita aos dois parques da Disney.. mas eu acho que todos gostamos muito mais dos sete kms de canoagem "radical", sozinhos no meio da França rural... mas isso será história para outro dia.

 

As coisas podiam ter corrido melhor se tivéssemos feito melhor o trabalho de casa e reservado os parques de campismo de Paris e junto à praia em Arcachon e  se a tenda não nos tivesse pregado uma partida, quase 20 anos a comprar tendas italianas sem um único problema, esta vez compramos uma (caríssima) tenda inglesa que supostamente aguenta climas árcticos e logo no inicio da viagem partem-se duas varetas... 

 

Os parques que tínhamos escolhido estavam cheios, mas parques de campismo é o que não falta.. não são é todos iguais.. mas disso também falarei noutros posts.

 

A ideia inicial era levar uma semana para chegar aos arredores de Paris, passar uma semana por lá e demorar outra a regressar a casa. O problema com a tenda e a  escolha errada do parque que ficava no sopé  do sitio mais alto da Duna, abreviou a viagem de regresso e roubou-nos uns dias de praia, mas em contrapartida permitiu que conhecêssemos Burgos e a sua fantástica catedral...  felizmente por cá também há excelentes praias... e este ano a temperatura da água nem era assim tão diferente.

 

A maior parte das pessoas não consegue entender, mas não troco as minhas férias de campismo, natureza e aventura.... por nada!

 

Jorge Soares

publicado às 22:02

Parque de campismo da Quarteira

Imagem minha do Momentos e Olhares

 

Devo ser das poucas pessoas neste país que nunca tinha estado na Quarteira e fiquei agradavelmente surpreendido, é agradável chegar ao Algarve e  para variar encontrar um lugar arrumado, com construção organizada, com uma avenida de praia convertida em calçadão e que pelo menos nesta altura não está invadida por esplanadas e vendedores. 

 

Gostei, da cidade, dos jardins junto à praia, da praia, dos apoios de praia, até do mercado do peixe.., os preços não eram lá muito convidativos, mas o peixe tinha um aspecto fresco que até apetecia comprar.

 

O parque de campismo é gerido pela Orbitur, o que à partida garante que os preços não são lá muito acessíveis, mas também garante limpeza, organização e pouca confusão.

 

Já o ano passado me tinha acontecido encontrar em pleno Verão Algarvio um parque de campismo, o de Sagres de que falei aqui, praticamente vazio. O da Quarteira não estava vazio, mas estava muito longe de estar cheio. Não sei como será lá mais para o meio do verão, mas nesta altura parece ser frequentado principalmente por campistas estrangeiros e principalmente com autocaravanas. Conta também com mais de 100 bungalows, ainda que de novo os preços não sejam lá muito convidativos.

 

O parque que é enorme, tem excelentes condições e fica  a uns 10 minutos a pé da praia, mas a sua principal atracão é sem dúvida a piscina que podemos ver ali na fotografia, enorme, rodeada de um excelente relvado e diz quem lá entrou que a água está a uma excelente temperatura... eu confesso que aproveitei mais o  relvado que tem a toda a volta, para colocar a leitura em dia.

 

Para além da piscina o parque conta com um restaurante razoável, bar, supermercado, parque infantil e até uma discoteca ao ar livre.

 

Em resumo, gostei muito da cidade, a maior parte do resto das cidades algarvias deveria pôr os olhos na Quarteira para perceber como deveria ser todo o Algarve. E gostei do parque de campismo, é de certeza uma excelente opção para quem gosta de acampar e do Algarve, eu vou de certeza voltar, na Primavera ou no Outono.

 

Já agora, se alguém da Orbitur por aqui passar, que tal darem uma volta ao vosso Site? Eu sei que que o vosso negócio não é a informática ou a internet, mas tal como nós cá em casa, já há muita gente a planear as suas férias pela internet e  um site apelativo, fácil de entender e utilizar ajuda muito a conquistar clientes... o vosso é de fugir.

 

Jorge Soares

 

publicado às 22:41

Parque campismo da Praia Fluvial da Aldeia Ruiva

Imagem Minha do Momentos e Olhares 

 

Tome nota, ao contrário do que o nome parece indicar, a Praia Fluvial da Aldeia Ruíva, não fica na Aldeia Ruíva, fica na Isna de São Carlos, uma pequena aldeia mesmo junto ao IP8 entre a Sertã e Proença a Nova. Acredite ou não, este é um dado importante, não vá ser que lhe aconteça como ao Paulo e a Maria João que colocaram Aldeia Ruiva no GPS e foram parar a uma Rotunda a uns 40 kms a Norte... que é onde fica a dita aldeia. 

 

Pouco a pouco e à medida que vou conhecendo novos parques e lugares, vou mudando a minha ideia sobre a qualidade média dos parques de campismo em Portugal, sendo que este, tal como já me tinha acontecido o ano passado com O Moinho em Castanheira de Pêra, foi uma agradável surpresa.

 

É um parque pequeno, mas no fim de semana em que lá estivemos a meio de Julho, havia 3 ou 4 tendas, sendo um parque sem residentes permanentes, é limpo e muito organizado e tem imensas sombras. Não tem muitos serviços, mas a Praia a que está encostado tem um café  com Snack Bar e um bar, do outro lado do rio há um bar Gourmet com uma quinta pedagógica, animais e até actividades radicais.

 

Paredes meias com o campismo, há uma zona com churrasqueiras comunitárias, e no rio de águas límpidas e repletas de peixes há uma zona de banhos para crianças e outra para os mais afoitos. Além disso, há uma zona com relva e outra com areia para se estender as toalhas.

 

A praia, que tem nadador salvador, encontra-se classificada como praia acessível , tendo recebido o galardão de “Praia Acessível, Praia para Todos”, pelo Instituto da Água.

 

Éramos seis adultos e 9 crianças, divididos por 2 bungalows e uma tenda. Os bungalows devem ser os maiores e mais funcionais em que já estivemos e acreditem, passamos um fim de semana 5 estrelas.

 

A pouco mais de 200 Kms a norte de Lisboa, é o lugar ideal para se passar um fim de semana descansado, longe de qualquer bulício ou confusão, ideal para quem quer ir visitar as aldeias de Xisto e a sua rede de praias Fluviais ou ou simplesmente descansar.

 

Para quem gosta de boa comida Portuguesa, não deixem de  provar a excelente gastronomia beirã especialmente o bucho e os maranhos.

 

Prometo que quando lá voltar esclareço o estranho enigma do nome da praia que fica a 40 Kms da Aldeia Ruíva.

 

As fotografias vão estar no Picasa, aqui 

 

Jorge Soares

publicado às 22:13

Recordar é viver, A carta

por Jorge Soares, em 11.07.12

A Carta

Imagem da Internet

 

 

Toda esta conversa acerca do Algarve e de parques de campismo, fez-me recordar um post que escrevi já lá vão uns quatro anos... como hoje é um daqueles dias em que não me apetece mesmo pensar muito e a maioria dos leitores daquele tempo já por cá não mora.... recordar é viver... 

 

A carta!

 

Eu gosto do Algarve fora de época e fora da confusão, naquele ano fomos acampar no mês de Abril para o parque de campismo da Praia da Luz, já lá vão uns dez anos, já não me lembro de muitos detalhes, sei que duas ou três noites terminei a dormir no chão, tínhamos um colchão de ar que teimava em esvaziar-se e foi uma complicação para o reparar... que nos bares da praia da luz não éramos lá muito bem vindos, falávamos português e os empregados olhavam de lado, um dia entramos num bar em Lagos e a empregada não falava português, só inglês! Fomos ao cinema... mas não me lembro do filme.

 

O parque de campismo era só para nós, que me lembre na maior parte dos dias éramos nós e algum casal de holandeses. Foi uma semana muito calma e relaxante.

 

Na semana seguinte voltei ao trabalho, na Quarta-feira a minha mãe ligou-me para o escritório, já era estranho ela estar-me a ligar para lá, mas pelo tom de voz, imaginei que algo estranho se estava a passar, a conversa foi mais ou menos assim:

 

-Jorge, tu conheces alguém no Algarve?

-Que eu saiba não, mas estive lá a semana passada.

-Estiveste donde?

-Estive na zona de Lagos.

-.....

-Então, o que é que se passa?

-Há... é que chegou uma carta para ti...e o código postal é de Lagos!

-Uma carta para mim?... humm , se calhar deixei lá alguma coisa...

 

Comecei a achar a historia absurda, mesmo que tivesse deixado lá alguma coisa, como é que eles iriam enviar uma carta para uma aldeia de Oliveira de Azeméis se eu moro em Setúbal?

 

-Sabes, é uma carta de uma mulher.... -diz a minha mãe.

-De uma mulher?, mas eu não dei a morada de aí a ninguém!

 

Aqui começou a fazer-se luz sobre o motivo da minha mãe me ligar para o emprego e não para casa...

 

Naquela altura no lugar donde moram os meus pais, as ruas não tinha nomes, e os carteiros entregavam as cartas pelos nomes das pessoas, e acreditem ou não, há mais dois Jorge Soares.......

 

-Isso de certeza que não é para mim, já perguntou se não é para nenhum dos outros fulanos que tem o meu nome?

-Já perguntei... e eles dizem que não conhecem ninguém no Algarve... e como tu lá estiveste... que é que eu faço?

-Bom, se não é para eles..... abra!

 

Ela abriu, e aqui a coisa piorou, era um postal daqueles mais que sugerentes e com palavras ainda piores, lá me explicou o que dizia.... fiquei sem palavras..... imaginei que alguém me estaria a fazer uma brincadeira ...a minha mãe não achou piada nenhuma e nem quero imaginar o que ficou a pensar. Passei o resto do dia a matutar quem sabia que eu tinha estado no Algarve e sabia a morada dos meus pais.. e a verdade é que não consegui lembrar-me de ninguém.

 

Cheguei a casa e contei à P.  que levou aquilo na brincadeira, a esta altura eu já não estava a achar piada, depois de muita conversa com a minha mãe, a carta foi para a lareira, a P. diz que não me volta a deixar ir à casa de banho do campismo... era os únicos momentos em que não estávamos juntos.

 

Passados uns 15 dias, um dos meus xarás apareceu de mansinho a perguntar pela carta. Cada vez que nos lembramos disto, a P.goza comigo e diz que quando vamos acampar, eu não posso ir sozinho lado nenhum... para depois não chegarem cartas.

 

Jorge Soares

publicado às 22:50

Acampar no Algarve, Parque de campismo de Sagres

por Jorge Soares, em 09.07.12

Praia do Martinhal, Sagres, Portugal

 

Imagem Minha do Momentos e Olhares 

 

Quando a minha meia laranja me falou deste fim de semana no Parque de campismo de Sagres tive as minhas dúvidas, parques de campismo de praia no Verão em Portugal é coisa que não costumo recomendar a ninguém, ora, parque de campismo em Julho no Algarve é coisa para me deixar não de um mas de dois pés atrás.

 

Lembro-me sempre de um fim e semana que passei há uns anos em Junho na Galé, ou do pessoal lá de Oliveira de Azeméis que no inicio de Junho ia montar as tendas para o parque de campismo da Praia da Torreira para marcar lugar para o Mês de Agosto... das histórias que eles depois contavam em Setembro é melhor nem me lembrar.

 

Quando no Sábado chegamos e me deparei com um parque de campismo quase às moscas nem queria acreditar. É verdade que Sagres já tem mais a ver com a Costa Vicentina que com o Algarve em si, mas não deixa de ser Algarve. 

 

O parque tem boas condições, é um parque de pinhal, como todos os parques da Orbitur não tem residentes permanentes nem o aspecto de bairro de lata que infelizmente caracteriza a maior parte dos parques de campismo de praia deste país. Tem imensas sombras e espaço para montar a tenda sem incomodar ou ser incomodado pelos vizinhos mais próximos é o que não falta.

 

As infra-estruturas não são das mais modernas mas são funcionais , as casas de banho são espaçosas e sempre impecavelmente limpas, tem bar restaurante e supermercado.

 

Como pontos negativos, destaco a falta de uma piscina e o mau estado do que eles chamam o parque infantil, um lugar com areia e onde restam vestígios ferrugentos do que já terão sido baloiços e outros divertimentos para crianças.

 

De resto, Sagres tem algumas das mais bonitas praias em que já estive no Algarve, é claro que o vento constante não ajuda, mas em que outro lugar do Algarve se podem encontrar em Julho praias onde estacionar não é problema já seja para o carro ou para a toalha?.. Quanto à temperatura da água nesta altura... pois, também não vi muita gente a tomar banho... mas não se pode ter tudo!

 

Jorge Soares

publicado às 22:35

Canoas nas margens da Barragem de Montargil

 

Imagem minha, do Momentos e Olhares

 

Foi um fim de semana com muitas crianças, as nossas 3, mais as 3 da S., mais as 4 da D e do H., incluindo um bebé de meses. As nossas crianças acampam desde que se lembram, tinha o N. dois anos e a R. dois anos e meio quando fomos acampar com os dois a primeira vez, ficaram logo fãs das férias na casinha. Desde essa altura e tirando o ano em que fomos aos Açores, tem sido todos os anos. Desta vez eram 10 crianças e 6 adultos, que se distribuíram por um bungalow e 3 tendas, foram 3 dias em que não faltou animação.

 

O parque de Campismo de Montargil pertence à Orbitur, a meio do mês de Junho, tirando uma colónia de férias, havia muito pouca gente. O parque já tem uns anos e isso nota-se em algumas das infra-estruturas, as casas de banho são enormes, mas acusam a idade e estão a precisar de restauro... há muito que eu não estava num parque em que só há agua quente numa parte dos chuveiros.

 

Para além da barragem que é mesmo ali ao lado e fornece excelentes praias de aguas calmas e mornas, o parque conta com uma piscina de construção recente e com zona de relva, bar e restaurante funcionais, sala de jogos, campos de ténis e Futebol e um supermercado em que as coisas custam no mínimo o dobro que cá fora.

 

Para quem vai acampar as parcelas são espaçosas e na sua maioria têm sombras, os bungalows são práticos e agradáveis, estão posicionados num espaço relvado e com uma vista fantástica sobre a barragem...

 

O melhor sem duvida é  vista sobre a barragem, especialmente se como nós, tiverem a sorte de estar lua cheia, a piscina e a sensação de estarmos longe de tudo e do mundo. O pior: no Sábado a invasão das motas de agua na barragem, uma verdadeira praga, existem leis que impedem a sua circulação a menos de 50 metros das margens, alguém deveria zelar para que as  normas se cumpram, e os preços inacreditáveis no supermercado do parque.

 

Os parques da Orbitur são à partida uma garantia de qualidade, e este não foge à regra, uma excelente escolha para quem quer fugir à confusão e ao barulho... mas convém não esquecer que estamos no interior do Alentejo, nós fomos em Junho... deve ser excelente para quem gosta de muito calor no Verão.

 

Foi um fim de semana 5 estrelas, com excelente companhia, conversas agradáveis, gastronomia 5 estrelas, incluindo o bacalhau à brás  vegetariano da D..

 

Jorge Soares

publicado às 21:22

Acampar no Alentejo : Camping São Miguel

por Jorge Soares, em 01.07.10

Piscina do parque de campismo  São Miguel

 

Tínhamos marcado o fim de semana em São Pedro de Moel, 6 adultos e 8 crianças em 3 Bungalows, entre os feriados, a chuva e o frio,  os outros foram desistindo e nós decidimos que talvez para sul o tempo fosse menos agreste. Apesar da crise, do mau tempo e dos mais de cem Euros por noite por um bungalow, foi difícil encontrar vagas, em Junho o Alentejo já está cheio. Finalmente conseguimos encontrar uma vaga no Parque de Campismo de São Miguel, na fronteira entre o Alentejo e o Algarve, bem perto de Odeceixe.

 

Os bungalows são bastante agradáveis, estão colocados entre os pinheiros e numa zona separada do parque, como estão bastante separados uns dos outros, são o ideal para quem quer passar um fim de semana em paz e sossego. Pessoalmente estranhei a falta de uma televisão, mas de resto são cómodos e funcionais.

 

Quanto ao parque de campismo em si, pareceu-me minimamente organizado, tem uma excelente piscina, é a da fotografia, e estruturas de apoio que incluem supermercado, restaurante, bar, pizaria e sala de jogos.

 

Um facto curioso, é que aparentemente em todo o parque só há uma televisão, que é ligada às 20 horas para quem quer ver o telejornal, às 21 dá um filme infantil e às 22 um filme para todas as idades. Assim à primeira vista, parece positivo, afinal eu quando acampo é para estar longe do mundo,... mas em época de mundial de futebol, um parque de campismo que fica a 2 ou 3 kms da povoação mais próxima e onde não se podem ver os jogos.... Nós chegamos no dia do primeiro jogo da Inglaterra, na recepção estava para entrar um casal inglês.. evidentemente quando perceberam que não iam poder ver o jogo... decidiram ir procurar outro poiso...

 

Ponto positivo, para além dos bungalows, não vi estruturas permanentes, é um parque de campismo para se ir acampar, o ponto negativo é que a praia mais próxima é a de Odeceixe, que fica a uns 5 ou 6 kms e não é precisamente das minhas preferidas no Alentejo... aliás, já nem é no Alentejo, Odeceixe já é Algarve.

 

Achei o preço dos bungalows caro, 107 Euros por noite é caro, mas fiquei muito bem impressionado com o parque e de certeza que vamos lá voltar ... mas para acampar mesmo, de tenda.

 

Por certo, o site na internet, aqui, muito parecido com a maioria dos sites de campings espanhóis, deve ser o menos intuitivo e funcional que alguma vez vi.. e olhem que eu já vi muitos.

 

 

Jorge Soares

publicado às 21:48

Acampar no Alentejo... do eco às massas

por Jorge Soares, em 04.05.10

Acampar no Alentejo

Imagem minha do Momentos e olhares

 

Que me lembre, nunca se falou por cá de campismo...  o que é no mínimo estranho, dado que todos os anos pelo menos 15 dias das minhas férias são a acampar... vamos ver se a partir de agora o tema se torna mais ou menos recorrente.

 

A imagem que a maioria das pessoas em Portugal têm do campismo tem a ver com filas para a casa de banho, tendas amontoadas em qualquer espaço livre, calor, barulho e poeira.... não os culpo, a maioria acampa só no Verão e escolhe parques de praia. A imagem que eu tenho do campismo não tem nada a ver com isto. Também é verdade que no verão nunca acampo em Portugal..e basta passar a fronteira para que as coisas sejam diferentes, muito diferentes. Em Portugal só acampamos fora da época balnear e mesmo assim, em parques muito bem escolhidos e com um minimo de condições.

 

No ultimo mês estivemos em dois parques do Alentejo, o Zmar Eco Resort, na Zambujeira do mar e o Parque de campismo da Ilha do Pessegueiro, em Porto Covo, não foi bem a acampar, porque em ambos ficamos em Bungalows... A diferença entre ambos é abismal...

 

O Parque da Ilha do Pessegueiro é um parque típico português, com as caravanas permanentes que dão sempre um ar de bairro de lata, um supermercado que só abre em Junho e muito espaço aberto para montar tendas com vista para o mar... mas sem uma única sombra, o que no Verão do Alentejo deve tornar os dias num inferno quente e poeirento.

 

O Zmar é um parque de campismo da ultima geração, eu diria que mesmo no estrangeiro nunca encontrei um parque assim; moderno, funcional, organizado. Com uma zona para acampar de tenda com lugares delimitados,  mas tal como no da Ilha, sem uma única sombra... os lugares limitados e delimitados, garantem que nunca haverá sobrelotação.. mas no Verão, sem sombras e num lugar seco, árido e até ventoso.. imagino a quantidade de poeira... a mim não me apanham lá. De resto, está mais perto de um resort que de um parque de campismo, tem uma piscina coberta com água quente e ondas, uma exterior de 100 metros, restaurante, supermercado, geladaria, biblioteca, bicicletas para alugar, vários campos de jogos, circuito de manutenção, etc, etc.... Acreditem ou não, a fotografia acima é dentro do parque, tirada da zona dos bungalows para a zona dos campos desportivos de que podemos ver as coberturas lá ao fundo.

 

Os Bungalows do Zmar são novos e funcionais, os da ilha do Pessegueiro são mais antigos, mas são funcionais na mesma... é claro que o LCD com os canais do cabo e o ar condicionado fazem a diferença... mas também se paga o dobro do preço.

 

Resumindo, ambos os parques são uma boa alternativa para a Primavera, ou para o Outono, mas no Verão são necessárias sombras que nenhum dos dois tem. O da Ilha do Pessegueiro tem a praia ali perto... mas se queremos uma praia vigiada temos que ir de carro... o Zmar está muito longe da praia.

 

Jorge Soares

publicado às 21:16


Ó pra mim!

foto do autor



Queres falar comigo?

Mail: jfreitas.soares@gmail.com






Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D