Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



A origem do dia do pai

por Jorge Soares, em 19.03.14

Dia do pai

 

Imagem do Pontos de Vista 

 

Hoje, 19 de Março dia de São José, festeja-se o dia do pai, que é o mais parecido que temos os homens com o dia da mulher... só que nós não temos direito a festas com GNR's giras a fazerem striptease.... mas temos direito a prendas, resta é saber se quando os miúdos crescerem terão orgulho ou vergonha da colecção de molduras, feitas nos mais diversos materiais reciclados, que o pai acumulou e guardou religiosamente {#emotions_dlg.tongue} (sim, eu sei, pobre e mal agradecido!).

 

Não é fácil encontrar a origem do dia do pai, que até varia de país para país na data do festejo, e assim como há muitas datas para o festejo, também há várias hipóteses para a sua origem.

 

Nos Estados Unidos, a história mais conhecida em comemoração ao dia dos pais é a de William Jackson Smart, um ex-combatente da guerra civil que perdeu a sua esposa e que ficou sozinho com os seus os seis filhos pequenos. Em 1909 a  sua filha Sonora Smart, que tinha uma enorme admiração pela forma como ele se dedicou aos seus filhos e os conseguiu criar, resolveu homenageá-lo. A data escolhida foi a do seu nascimento, dezanove de Junho.

 

Pouco a pouco a data foi sendo festejada primeiro na  cidade natal de William ee depois em todo o país, até que Richard Nixon a tornou oficial. Depois disso outros países foram adaptando a data ao seu calendário e é nesse dia que se festeja na maioria dos países.

 

Mas há quem diga que o primeiro registro de homenagem a um pai surgiu na antiga Babilônia, há mais de quatro mil anos, onde um jovem chamado Elmesu modelou e esculpiu em argila um cartão para o seu pai em que desejava: sorte, saúde e muitos anos de vida.

 

Em portugal a data está associada  à tradição católica e a São José, pai de Jesus Cristo... e não consegui descobrir quando se começou a festejar.

 

Mas como em todos os restantes dias que se festejam durante o ano, o dia do pai, como o da mãe, da criança, dos namorados .... deveria ser todos os dias, de preferência  com mais carinho e menos consumismo.

 

Jorge Soares

publicado às 22:36

Os olhos do meu filho

por Jorge Soares, em 17.04.09

filhos do coração

 

Há dias em que sentimos que não temos nada para dizer, aqueles dias em que todos os temas nos parecem banais, sem interesse... mas há coisas que me fazem acordar, vim ver os mails, alguém, uma pessoa que nunca vi, uma pessoa que só me conhece de aqui, do pouco de mim que vou deixando aqui todos os dias, enviou-me um mail que me deixou com lágrimas nos olhos.

 

Há algo de muito errado neste país... há mesmo, porque eu vou responder ao email e apesar de ir usar de todo o meu carinho para pessoas que estão  a passar por uma situação que eu também já passei, eu vou ter que ser realista...e quando falamos de adopção em Portugal, a realidade é muito triste.

 

 Agora, vou-me repetir... peço desculpa a quem já leu.

 

 Os olhos do nosso filho

 
Os olhos do nosso filho
São ainda de cor incerta
Não sei sequer se existem
Vão ser de Deus uma oferta
 
Existem na minha alma
Cravados no meu semblante
Os olhos do nosso filho
Que teve nascer errante
 
Foste esculpido a preceito
Nas entranhas de outro ser
Não vais sorver do meu peito
Este meu longo querer
 
E nestas voltas da vida
Cuidou-te Deus sem saber
Para que não herdes no sangue
Este meu estéril sofrer
 
Não vais nascer de mim
De outro ventre virás
Mas filho da minha alma
Tão amado serás!
 
E nesta triste incerteza
Me pergunto em desalento
Já nascente de alguém?
Ou é Deus que te traz?
 
Ala dos Reis
 
 
A dor de se querer ter um filho e não se conseguir é algo que não se consegue explicar, de inicio vamos tendo desilusões, depois começa o sofrimento, ver passar o tempo, ouvir as pessoas a perguntar:
 
-Então, é para quando?
-Quando vamos ter um neto?
-Então, e filhos?
 
Respondemos às pessoas com um sorriso de circunstância e sofremos em silêncio. lembro-me de ir pela rua, olhar os casais com bebés e pensar: E eu? porque é que eu não tenho direito?. Chega uma altura em que começa a ser doloroso ver crianças na rua. E depois há as expectativas das pessoas que estão à nossa volta, as lágrimas em casa cada vez que aparece um novo período , as lágrimas em silêncio na nossa solidão. Com o tempo, os meses transformam-se em anos e a tristeza em resignação. Nós decidimos que não íamos continuar com dor, e não íamos seguir a via sacra dos tratamentos, decidimos partir para a adopção.
 
No fundo, mudamos a expectativa, as coisas deixam de depender de nós e passam a depender de outras pessoas, processos longos, morosos, complicados, muitas vezes inumanos ...e novas expectativas, e novas esperas. O Poema traduz um pouco do que é querer ser pai adoptivo, traduz a espera desesperante por um telefonema, por uma noticia, saber que o nosso filho poderá estar neste momento nos braços de alguém. Cada pessoa é diferente, mas atrevo-me a dizer que os pensamentos são comuns..será que o meu filhos já nasceu?..será que está bem?, será .......
 
Eu sou uma pessoa que não crio expectativas da vida, a maior parte do tempo limito-me a viver, um dia de cada vez, só crio expectativas com as pessoas, por norma entrego-me de alma e coração às pessoas de quem gosto...e dos meus filhos.
 
Sei que uma boa parte dos leitores chegam ao blog à procura de informação sobre adopção, a todos eles, a todos os que estão, ou vão passar por isto, deixo uma palavra de carinho e  de força, não desistam, não deixem de acreditar.
 
Jorge
PS:Imagem retirada da internet
PS2.No blog está o meu email, ali do lado esquerdo, está o endereço da associação Bem me queres, não duvidem em pedir ajuda.
 

publicado às 22:37


Ó pra mim!

foto do autor



Queres falar comigo?

Mail: jfreitas.soares@gmail.com


Posts mais comentados





Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D