Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Tragédia do Prestige, e a culpa morreu solteira

por Jorge Soares, em 13.11.13

Prestige a afundar no atlântico

Imagem do Público 

 

Tudo aconteceu há precisamente 11 anos, a 13 de Novembro de 2002 o Prestige, um cargueiro  carregado com 77 mil toneladas de fuelóleo, foi apanhado por uma tempestade e sofre um rombo no casco. Tudo isto aconteceu em frente às costas da Galiza muito perto de terra. As autoridades espanholas decidiram não autorizar o barco a chegar a um dos seus portos e este andou seis dias á deriva até que se afundou e levou para o fundo do mar o que ainda restava de fuelóleo... e pelo que se sabe, continua a verter petróleo para o mar.

 

A maior parte das pessoas já nem se lembrará da enorme tragédia ambiental que assolou toda a costa do mar cantábrico desde a Galiza até às costas francesas, eu, que costumo passar férias no Norte de Espanha, todos os anos recordo a tragédia, é impossível não recordar porque mesmo passados todos estes anos é possível observar uma camada de petróleo negro nas rochas da maioria das praias e alcantilados.

 

Lembro-me perfeitamente que em 2005 em França nas praias de Arcachon, perto de Bordéus, era possível encontrar na areia bolachas de petróleo endurecido.

 

Na altura o facto de se ter obrigado o barco a ir para o mar em lugar de para um porto onde a fuga de petróleo poderia ter sido controlada e limitada, foi objecto de uma enorme polémica. Quanto a mim terá sido esta decisão a culpada pela enorme tragédia ambiental da que a costa demorará décadas a recuperar... além de que mais tarde ou mais cedo o casco do barco afundado irá ceder e ainda restam muitas toneladas de petróleo que se  irá espalhar-se pelo mar e eventualmente chegar á costa.

 

Hoje ficamos a saber que após todo este tempo que não há responsáveis por tudo isto, ninguém sabe qual a causa do que aconteceu no barco e não há responsabilidades  pelas decisões tardias ou erradas que levaram a que  este andasse 6 dias a verter petróleo para o mar até que se afundou com o que restava da sua carga.

 

Na Espanha como tantas vezes acontece por cá, a culpa morreu solteira e no fim, quem pagou as favas foram os pescadores, o turismo e claro, a natureza.

 

Era bom que estas coisas não acontecessem de novo no futuro, mas não é de certeza com decisões como esta que isso se irá conseguir.

 

Jorge Soares

publicado às 22:19

Passos Coelho encontrou os culpados da crise

por Jorge Soares, em 23.07.13

Passos Coelho descobriu a pólvora

Imagem retirada do Facebook

 

Pera aí... mas o problema não era termos vivido acima das nossas necessidades e termos gasto mais do que aquilo que podíamos? Quem diz que o português não aprende com os erros.

 

Parece que Passos Coelho descobriu a pólvora, estamos a gastar menos do que era suposto, será que alguém lhe explica que isso se deve à diminuição do poder de compra causado pelos sucessivos aumentos de impostos,  diminuição dos salários na função pública e o enorme desemprego causado pelas medidas que ele tomou nos últimos dois anos?

 

E será que depois de ter descoberto a pólvora, o homem vai fazer alguma coisa para inverter a situação? Talvez diminuir os impostos? Aumentar os salários? Incentivar o investimento? Uma que outra medida de combate ao desemprego?

 

Agora a sério, este gajo existe?

 

Jorge Soares

publicado às 23:04

Afinal de quem é a culpa da crise em Portugal?

por Jorge Soares, em 27.03.11

Quem foge aos impostos rouba ao país e a todos nós

 

A maioria das pessoas culpa os governos e os políticos da situação em que vivemos, na realidade eles tem culpa, mas não têm a culpa toda, primeiro porque quem os colocou lá fomos nós, nós que votamos por eles, e haverá muito pouca gente que não tenha votado no partido que ganhou em alguma das eleições dos últimos 30 anos, e é também culpa dos que cada vez mais decidem que não querem saber, os que não votam. Não votar é contribuir para que sejam elegidos os mesmos, não iliba de nada a ninguém.

 

Mas há muitos mais culpados, num destes dias num post da Suspeita  que tinha o sugestivo título de A queda do Império, podíamos ler o seguinte:

 

"Então o senhor doutor advogado, profissional ao serviço da lei, para impor a dita e ajudar a implementar a justiça onde ela teima em não existir, cobra 60 euros sem recibo e com o dito 73,80 Euros!"

 

Um advogado que rouba ao estado, que nos rouba a todos para enriquecer ilicitamente. Já todos teremos passado ou ouvido falar em casos destes, médicos, dentistas, pequenos empreiteiros que fazem obras nas casas e que tem um preço com IVA e outro sem IVA, no outro dia ouvi uma história de alguém que fez uma piscina e que para além de não pagar o IVA das obras, até a água com que a encheram foi através de um esquema.

 

No outro dia fui tomar o pequeno almoço ao café da esquina, paguei quase 3 Euros mas reparei que na caixa registadora o valor foi 60 cêntimos.. mais um roubo, em IVA e IRC. Quantos de nós vamos a um restaurante e não pedimos factura?, a maioria das máquinas registadoras tem um sistema que permite a anulação do serviço, e é isso que acontece na maior parte dos casos, nós pagamos e o dinheiro entra todo por baixo da mesa... roubo, ao estado e a todos nós.

 

De quem é a culpa de tudo isto?, será dos políticos?, ou será nossa que deixamos que isto aconteça e na maior parte dos casos até somos cúmplices do roubo? Todo este dinheiro somado dava de certeza absoluta para acabar com a crise e para fazer deste um país de jeito.. mas somos nós que escolhemos, queremos continuar a roubar e/ou a pactuar com quem rouba, ou queremos um país de jeito?

 

Jorge Soares

publicado às 21:47

Casa Pia será caso único?

 

Imagem do Ionline

 

A noticia no ionline falava da hipótese de vir a ser o estado a pagar as indemnizações a que foi condenado o Carlos Silvino (Bibi) , na verdade quando lemos as letras pequenas percebemos que não é o estado e sim a Instituição Casa Pia quem deverá assumir as despesas, dá-se o caso que esta instituição é propriedade do estado e no fim será ele, ou seja, todos nós, quem terminará por pagar.

 

Passaram 8 anos desde o início deste processo, ninguém sabe quantos anos terão passado desde o início dos abusos, sabemos sim que o assunto era conhecido dentro da instituição e até da tentativa de alguns dos jovens de chamar a atenção para ele numa visita do então presidente da República Ramalho Eanes. Durante estes 8 anos que durou o processo, para além dos nomes dos agora condenados, foram lançadas acusações e suspeitas sobre muitíssima mais gente e a acreditar nas insinuações de Carlos Cruz, muitos mais nomes irão aparecer.

 

No meio de tudo isto há algo que não entendo, se as vítimas estavam ao cuidado da Casa Pia, se eram levadas para os locais dos abusos por um funcionário da instituição e segundo consta, muitas vezes numa viatura da instituição, a que se deve que a instituição nunca tenha sido acusada ou responsabilizada?

 

Durante todos estes anos passou muita gente pela Casa Pia, funcionários, professores, gestores, subdirectores, directores, será possível que todos tenham passado por lá sem verem aquilo que era evidente? As crianças estavam entregues à guarda da instituição, ninguém reparava nas ausências dos jovens?  Ninguém reparou nos sinais? Ninguém viu? Ninguém ouviu? Eram todos cegos, surdos e mudos?

 

Todos ouvimos as palavras emocionadas de Catalina Pestana na passada Sexta Feira, não estava Catalina Pestana na instituição na altura em que os jovens eram levados para Elvas? Em que eram levados e abusado por um funcionário e por um dos subdirectores da instituição? Não ouvia os boatos?  Não conhecia os jovens? O que fez nessa altura para evitar ou denunciar a situação?

 

Quanto a mim, a Casa Pia era a família destes jovens, era responsável pela sua formação, educação e o seu bem estar, terá falhado claramente em várias destas  responsabilidades, qualquer família que não cuida dos seus filhos é julgada e penalizada por isso, porque não foi a Casa Pia julgada e responsabilizada por tudo isto?

 

Existem em Portugal mais de 10000 jovens institucionalizados, entre Cats e lares existem quase mil instituições de acolhimento em Portugal, alguém acredita que a Casa Pia é caso único? Em quantas mais instituições haverá jovens a serem abusados, ou maltratados? Na passada Sexta Feira na Antena 1 Eduardo Sá chamava a atenção para o facto de neste caso só haverem rapazes abusados, e mostrando a sua incredulidade sobre a não existência de raparigas abusadas. O que faz o estado Português para garantir que as instituições cumpram o seu papel de guarda dos jovens?  Para garantir que não há mais casos como este nas centenas de instituições deste país? Para garantir que não há mais cegos, surdos e mudos? O que fazemos todos nós?

 

Jorge Soares

publicado às 22:18

Culpados!

por Jorge Soares, em 03.09.10

Culpados

 

Imagem do Público

 

 

Provados crimes praticados pelos sete arguidos

 

Quando se dá algo por provado... não há volta a dar pois não?..

 

Não sei para o resto do mundo, mas para mim chega, culpados, agora venha a sentença, uma sentença que sirva de exemplo para esta e para todas as futuras gerações, porque o crime deles não tem desculpa possível nem atenuantes de nenhum tipo....

 

Jorge Soares

publicado às 13:45

Josefa, Morreu a combater o fogo

 

A culpa será dos incendiários, de quem lhes paga em nome de interesses mais ou menos obscuros, ou de quem não limpa a floresta como expliquei neste post a propósito dos incêndios em Oliveira de Azeméis. A culpa será do calor, da incúria de quem tem atitudes irresponsáveis e deploráveis, ou como dizia alguém nos comentários ao meu post,  poderá ser simplesmente uma forma de a natureza se renovar...

 

No fim, como todos os anos a culpa morrerá solteira, com as primeiras chuvas de Setembro por entre as cinzas começará a aparecer o verde da renovação e simplesmente esquecemos o inferno do verão... pelo menos até ao próximo verão e até ao próximo inferno. À medida que o verde desponta na floresta queimada serão esquecidos os problemas, a falta de meios, a má coordenação, a falta de acessos,  tudo....  A vida segue, e nós tentaremos seguir com ela.... quase todos, porque há pelo menos 2 pessoas para quem  a vida não segue, para os dois bombeiros que já morreram no combate ao inferno, a vida não segue, a vida terminou ali.. no combate.

 

Perderam-se duas vidas, para além de muita floresta e de alguns bens,  perdeu-se uma parte do futuro do nosso país.  A floresta renasce, renova-se, os bens substituem-se por outros... as vidas que se perderam não se recuperam nunca. Nesta altura deveríamos todos fazer um exame de consciência, parar para pensar....  o que fazer para evitar que estas coisas aconteçam?

 

"Josefa, 21 anos, a viver com a mãe. Estudante de Engenharia Biomédica, trabalhadora de supermercado em part-time e bombeira voluntária. Acumulava trabalhos e não cargos - e essa pode ser uma primeira explicação para a não conhecermos. Afinal, um jovem daqueles que frequentamos nas revistas de consultório, arranja forma de chamar os holofotes. Se é futebolista, pinta o cabelo de cores impossíveis; se é cantora, mostra o futebolista com quem namora; e se quer ser mesmo importante, é mandatário de juventude. Não entra é na cabeça de uma jovem dispersar-se em ninharias acumuladas: um curso no Porto, caixeirinha em Santa Maria da Feira e bombeira de Verão. Daí não a conhecermos, à Josefa. Chegava-lhe, talvez, que um colega mais experiente dissesse dela: "Ela era das poucas pessoas com que um gajo sabia que podia contar nas piores alturas." Enfim, 15 minutos de fama só se ocorresse um azar... Aconteceu: anteontem, Josefa morreu em Monte Mêda, Gondomar, cercada das chamas dos outros que foi apagar de graça. A morte de uma jovem é sempre uma coisa tão enorme para os seus que, evidentemente, nem trato aqui. Interessa-me, na Josefa, relevar o que ela nos disse: que há miúdos de 21 anos que são estudantes e trabalhadores e bombeiros, sem nós sabermos. Como é possível, nos dias comuns e não de tragédia, não ouvirmos falar das Josefas que são o sal da nossa terra?"

Por FERREIRA FERNANDES, Diário de Notícias

 

Um enorme bem haja  a todos os bombeiros que dia a dia arriscam as suas vidas para proteger as nossas e o nosso futuro..e por favor, tenham cuidado!

 

Jorge Soares

publicado às 20:30


Ó pra mim!

foto do autor



Queres falar comigo?

Mail: jfreitas.soares@gmail.com






Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D