Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Ela

 

 

Estava previsto que hoje ia falar do assunto, nem de propósito, a meio do jantar o N. saiu-se com o seguinte:

 

-Estivemos a combinar, eu e os meus amigos vamo-nos reunir lá em baixo para nos molharmos com baldes de agua?

-Desculpa?, a propósito de quê?

-Alguém disse no Facebook que era giro fazer-mos isso porque há muita gente a fazer....

 

É nestas alturas que percebemos que a mensagem não está a passar ou está a passar de forma errada. É claro que depois de garantir que ele percebe que há um motivo por trás dos banhos, o proibi de fazer tal coisa, a água não é para se desperdiçar por nada, se ele quer participar que vá ao mealheiro e pegue em dinheiro para doar, mas nada de água vertida.

 

Um destes dias um artigo do El país tratava o assunto, na Espanha onde não há famoso que não tenha despejado água pela cabeça abaixo, até agora a campanha rendeu uns míseros (SIC) 30.000 Euros, é que há muita gente a despejar água porque é giro, mas muito poucos a puxar os cordões à bolsa.

 

O objectivo original da coisa era ao mesmo tempo que se chamava  a atenção para uma doença terrível, recolher fundos para ajudar os doentes que dela sofrem e para a investigação que leve à sua cura.

 

Há países como o Brasil onde fica bem juntar lado a lado a fotografia do banho e a do comprovativo da transferência bancária do donativo à associação dos doentes. Em Portugal, tirando um ou outro caso raro, ninguém faz menção aos donativos e apesar de haver quem fale na doença, ninguém fala da associação que por cá representa os doentes.

 

Há até quem, como o presidente do Sporting, se aproveite do assunto para mandar bicadas numa clara falta de respeito pela campanha, pelos seus objectivos e pelos doentes. Segundo percebi o senhor não queria participar e foi obrigado, mas perdeu uma excelente oportunidade para estar calado.

 

Já agora alguns esclarecimentos:

 

O que é a ELA? 

 

- A ela é a esclerose lateral amiotrófica, um doença rara e até agora incurável que sofrem pessoas de todo o mundo,  é uma doença neurodegenerativa progressiva e fatal, caracterizada pela degeneração dos neurónios motores, as células do sistema nervoso central que controlam os movimentos voluntários dos músculos, e com a sensibilidade preservada. Os doentes vão perdendo a capacidade de controlar os músculos mas não perdem as suas capacidades mentais. Entre os doentes estão pessoas brilhantes como  o Zeca Afonso ou Stephen Hawkins.

 

Há uma associação em Portugal que represente os que sofrem esta doença?

 

- Sim, chama-se APELA, e tem um site

 

Como podemos ajudar?

 

- Fazendo-se sócios  da APELA. A quota mínima anual é de 30 euros;
- Fazendo um donativo através do NIB/IBA da APELA ou enviado um cheque ou vale à ordem da Associação;
- Cedendo 0,5% do vosso IRS liquidado (sem qualquer custo para vocês). Basta indicar o NIF da APELA no anexo H, quadro 9, campo 901. O NIF é o 504 064 592;

- Doando ajudas técnicas de que já não necessitem (cadeiras de rodas, andarilhos, camas eléctricas, colchões ou almofadas anti-escaras, cadeiras de banho, equipamentos para comunicação aumentativa, etc.)

 

 

NIB para donativo: 0007.0369.00030460006.16

IBAN: PT50 0007 0369 0003 0460 0061 6

SWIFT/BIC: BESCPTPL 

 

Morada: Rua Al Berto lote 18, loja A e B, 1900-918 Lisboa

 

 

E por favor, se querem continuar a fazer figuras tristes e a gastar água, pelo menos garantam que se passa a mensagem certa e mão se esqueçam que o desafio não é só tomar banho, é também fazer um donativo.

 

Jorge Soares

publicado às 22:15

Desafios de ser pai, as birras

por Jorge Soares, em 12.09.12

Birras

Imagem minha do Momentos e Olhares

 

É daquelas coisas que achamos sempre que só acontece com os filhos dos outros... connosco essas coisas nunca aconteciam... a verdade é que com os dois primeiros não aconteceu muito, a R. não era nada de birras, o N. tinha algumas, mas a verdade ao pé do resto, esse era mesmo o menor dos problemas... de resto, eu sempre achei que existe uma cura mesmo eficaz para as birras... continuo a achar.

 

Quem me lê desde os tempos dos diários de um pai em licença parental, deve lembrar-se como naquela altura a D. era quase a criança perfeita, amorosa, super meiga, simpática, bem disposta, tão querida e adaptada que durante muito tempo a minha frase preferida era: "Eles já deviam vir todos com dois anos e meio".. pelos vistos, também deveriam ficar para sempre nos dois anos e meio.

 

De então para cá, a miúda para além de crescer e ficar cada vez mais senhora de si e dona do seu nariz, também tem ganho alguns novos hábitos... sendo que o de fazer birras que levam qualquer ser humano normal ao desespero, é um dos piores.

 

Felizmente eu não sou um ser humano normal, e esperta como é, já percebeu que comigo ela não leva a melhor, além de que se sujeita a provar a cura 100 % eficaz para as birras... mas já seja com a mãe, com os irmãos ou com as educadoras e auxiliares da escolinha, a coisa está completamente descontrolada.

 

Um destes dias, ante o terrível relato do que tinha sido o dia na escolinha, dei comigo a pensar em que é que teríamos falhado para fazer com que aquela criança amorosa se tenha convertido num protótipo de rufia que teima em só querer fazer o que lhe apetece... não encontrei a resposta... quer dizer... há coisas que são evidentes.

 

O facto de ser a mais nova de três explica algumas coisas, a situação piora sempre que estamos a falar ou a prestar atenção aos irmãos, ou seja, ela descobriu que as birras são uma forma perfeita de chamar a atenção..e de uma forma ou outra, funciona sempre.

 

Por outro lado o facto de durante o ano passado ela ter tido uma educadora que lhe dava toda a atenção que ela queria, todos os dias quando eu a ia buscar ela estava sentada ao colo da senhora e os coleguinhas só tinham direito quando ela se ia embora... talvez também não tenha ajudado muito.

 

Este ano a educadora é outra e os afectos são mais repartidos... e a coisa não está  ser fácil.

 

Ontem decidi ter uma conversa séria com ela,... começou por ser uma conversa de surdos, porque um dos direitos que ela se atribui é o de não falar de coisas de que não gosta...e definitivamente ela não gosta de falar das birras ou dos comportamentos na escola.... sentei-a numa cadeira no quarto e tentei o diálogo. Em vão, porque ela olhava para mim e simplesmente não me respondia.

 

Disse-lhe que ela não saía dali sem falar comigo, ficou a olhar para mim e nem pestanejou.. deixei-a no quarto e fui tratar do jantar. Voltei passado um bom bocado, estava sentada no mesmo sitio... mas a vontade de falar era a mesma. 

 

Mais meia hora e voltei... acho que tinha percebido a ideia, porque apesar de não falar muito, acedeu a assentir com a cabeça e a trocar meia dúzia de palavras comigo.

 

Expliquei-lhe que as coisas não podiam continuar assim, e que as birras não podiam continuar... ela concordou e disse que não, que não gostava de birras e não fazia mais.... 

 

Hoje teve um comportamento exemplar na escola, não sei quanto tempo irá durar, mas é um principio... vamos ver.

 

Jorge Soares

publicado às 22:12

Fugir de casa

Imagem minha do Momentos e Olhares

 

Há alturas na vida em que somos apanhados em contramão, esteve prestes a acontecer um destes dias. Ter um filho hiperactivo não é nada fácil, não o é quando ele tem 4 ou 5 anos, não melhora quando ele vai para a escola e a julgar pela amostra, a adolescência vai ser um caso bicudo.

 

As coisas na escola vão indo, está a ser muito bom para o que eram as nossas expectativas, o que não quer dizer que quase todas as semanas não apareça mais uma coisa qualquer... no Sábado apanhamos o N. em falta, como o caso era mais ou menos grave e ainda por cima repetido, levou umas palmadas, há muito que eu não lhe batia, mas ante a tentativa de mentir para esconder a falta, perdi a paciência.

 

Apesar do grave do assunto, a coisa ficou pelas palmadas e por uma advertência de que de modo algum poderia repetir a graça. Não demorou muito, na segunda feira voltou a pecar. Acho que ele não tem muita sorte, porque na terça já eu tinha descoberto.

 

Ao fim do dia estive mais de uma hora à conversa com ele, não era bem conversa, ele ia balbuciando umas coisas e eu puxando pelas pontas e descobrindo até onde ia a coisa, no fim descobri que: Não almoçou na escola, na hora do almoço saiu da escola e foi comprar gomas e pastilhas com os colegas, em lugar de comer o lanche, leva dinheiro às escondidas e compra sandes e sumos nas máquinas da escola, o lanche de casa é sandes e sumo. Está proibido de sair da escola, mas sai montes de vezes com os colegas... entre outras coisas, algumas bem mais graves.

 

A conversa não foi fácil, a dada altura virou-se para mim e disse-me:

 

- Se continuas a ameaçar-me, saio de casa!

- Sais de casa como?

- Sim, saio de casa

- E vais para onde?

- Para onde gostem de mim e não me façam sofrer!

 

Aqui perdi a paciência

 

- Mas tu julgas o quê?, que me assustas com isso?, se queres sair de casa a porta está aberta.

- Mas é que vou mesmo - aqui levanta-se e sai disparado para a porta da rua.

- ..... 

 

Desta eu não estava à espera.....

 

- Ouve lá, onde é que tu vais?

- Não sei, vou-me embora!

- Ok, tu podes ir, mas não levas nada que seja desta casa

- Mas eu não levo nada

- Levas levas, esses sapatos e essa roupa são de cá, tira lá os sapatos e a roupa

- Mas tu queres que eu vá para a rua de cuecas?

- De cuecas não, que essas também são de cá.

- Eu não vou para a rua nú!

- Isso é problema teu, tu não dizes que não precisas de nós?.

 

Voltou para o quarto, ... foi por pouco, com a chuva que estava lá fora ele não ia longe, mas.....

 

Acho que tirando a minha meia laranja, não conheço ninguém que não tenha alguma vez pensado em sair de casa, o facto de ser adoptado e de passar a vida a aprontar não nos facilita a vida, nem a ele nem a nós... 

 

Eu senti que ele estava a utilizar  a ameaça como estratagema para assustar a mãe, e decidi mostrar-lhe que não podia ser, por pouco não era eu o apanhado na minha ratoeira... as crianças hiperactivas tem uma memória curta, dizem os médicos que os castigos devem ser firmes e imediatos, castigos prolongados não resultam porque passado pouco tempo já não tem a noção de porque estão castigados. O facto de ter sido castigado no Sábado e na segunda estar a aprontar de novo mostra que a ciência sabe do que fala.... mas não é fácil para mim como pai interiorizar, e claro, é muito complicado explicar ao mundo, e em especial à maioria dos professores que não é uma questão de atitude ou má criação das crianças, é sim uma doença. 

 

Entretanto falamos com a escola, que nos diz que não tem forma de controlar se eles saem ou não do recinto, havia um projecto de implementação de entradas controladas por cartão que estava quase pronto,.....  foi cancelado pela crise.... a nós resta-nos estar com o coração nas mãos.... 

 

Pai sofre.

 

Jorge Soares

publicado às 22:04

Prémio

http://www.20minutos.es/data/img/2006/04/06/399847.jpg

 

 

Sabem aqueles dias em que por mais que tentemos as coisas não saem?...as letras teimam e em lugar de frases com jeito e sentido só formam palavras que juntas não dizem nada?... bom, hoje é um desses dias, não sei bem porquê, mas as ideias vão e vem e no fim...todos aqueles temas que dariam uns fantásticos posts...hoje parecem-me simplesmente parvoíces. É claro que qualquer bom escritor transforma uma parvoíce qualquer num post com centenas de comentários.....deixo isso para eles.... hoje, vou falar de blogs.

 

Estou a dever posts com agradecimentos e encaminhamentos de prémios e desafios a muita gente, assim de repente lembro-me de:

 

 

A  Inês do Assim me encontro,

A Fátima do Estou estupefacta

A Pessoinha do Riscos e Rabiscos

A Paola do Ponto de Admiração

A Caracolinho do Simplesmente meu

A Sónia do Os livros que ninguém quis dar a ler

A Dona Flor do A Alma da Flor e do Florbytes

A Smootha do Lua Secreta

A Mieepe do Mieepe Koud

A Xana do Blue Eyes

O Taz de A quinta do taz

O Carlos do Um breve olhar

 

Tenho a certeza que me esqueci de alguém..... se assim for, por favor avisem... que eu faço o update do post... não quero ninguém chateado. Deixo a todos o meu enorme agradecimento e  carinho, porque para além de mais, são blogs que leio todos os dias com um enorme prazer. Já há algum tempo que decidi que não vou entrar em correntes, nem em selos, mas é com um enorme orgulho que vejo que as pessoas se lembram de mim, isso significa que algo fica do que aqui vou escrevendo, ... e que algo de tudo isto faz sentido. 

 

 
Vou ser sincero, nunca percebi muito bem o objectivo dos prémios e selos que pululam pela blogosfera, é claro que é sempre bom saber que alguém acha que o meu blog é de Ouro, ou que eu sei comentar, ou que..., mas eu termino sempre por ter muitas dificuldades em nomear 5, ou 6, quando leio 15 ou 20..e se os leio é porque os acho todos bons.... depois terminamos sempre por ser injustos, ou por deixar alguém triste.....e para quê?
 
Imagino que a primeira pessoa que inventou um selo para blogs, o fez porque achou que era uma excelente forma de ter links....e na verdade funciona, se eu for ali ao Technorati vejo que uma grande parte dos links vem de prémios e desafios...mas vem de pessoas que por norma já tem o link no blog....lá se foi a utilidade... de modo que eu recebo de todo o coração todos os prémios que me dão... são sinal de carinho e amizade...mas peço desde já desculpa..não os vou passar.
 
Quanto aos desafios, bom.... aqueles que realmente sirvam para que as pessoas me conheçam, aqueles que de verdade puxem pela minha imaginação, esses vou fazer.... no dia em que me mandarem abrir um livro na página X e ler a linha Y....e pá, desculpem lá.... mas é para ignorar...  não.
 
Ia falar sobre as tags... mas fica para outro dia... digo é que as utilizem, porque principalmente no caso dos blogs do SAPO as tags são uma excelente ferramenta para a arrumação dos blogs e se bem utilizadas, para trazerem leitores... que é o que todos queremos... ou não?
 
E para quem não tinha nada a dizer neste dia.... já falei de mais.
 
De novo o meu muito obrigado a todos os que se lembram de mim..e em especial aos que gastam uns segundos das suas vidas a ler as parvoíces que eu para aqui despejo.
 
Tenho dito
 
Jorge
PS:Era engraçado que o corrector ortográfico do SAPO funcionasse de vez em quando, não acham?
 

 

 

publicado às 21:50


Ó pra mim!

foto do autor



Queres falar comigo?

Mail: jfreitas.soares@gmail.com






Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D