Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



 

letra

 

Com um olhar de soslaio

não me vêem como eu sou

atracados na memória

com quem ando e ou me vou

 

e falam sobre mim

sem me conhecer

dizem que é assim

não tem o que dizer

não tem o que dizer

não tem o que dizer

 

não sabem da minha vida

quem morreu e quem ficou

são doenças que descuram

que ninguém lhes segredou

 

 

e falam sobre mim

sem me conhecer

dizem que é assim

nem sei que lhes dizer

nem sei que lhes dizer

nem sei que lhes dizer

 

Entre dentes especulam

onde vou e o que faço

não passam de vis criaturas

a quem nego o meu enlaço

 

e falam sobre mim

sem me conhecer

dizem que é assim

nunca hão de saber

nunca hão de saber

nunca hão de saber

 

e falam sobre mim

sem me conhecer

dizem que é assim

não tem o que dizer

 

e falam sobre mim

sem me conhecer

dizem que é assim

nem sei que lhes dizer

 

e falam sobre mim

sem me conhecer

dizem que é assim

nunca hão de saber

nunca hão de saber

nunca hão de saber

nunca hão de saber

 

Vídeo da música "Prosas Mordazes", dos Lacre, numa parceria com a ASCUDT- Associação Sócio - Cultural Dos Deficientes De Trás -Os- Montes, Bragança.

 

Mais dos Lacre, aqui

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:39

robertmeaning.jpg

 

 

É mais um daqueles músicos de que nunca tinha ouvido falar, alguém me fez chegar um mail sobre a apresentação de um novo álbum, no mail vinha um link para o youtube e outro para o bandcamp, fui ouvir e não dei o meu tempo por perdido, já tentei encontrar mais informação na internet mas encontrei muito pouco, pelos comentário aos vídeos fiquei a saber que se chama Gonçalo e que é natural do entroncamento, e sim, acho que pode ser um fenómeno da nossa música, assim quem tem o poder para fazer  as coisas acontecer gaste uns minutos a ouvir o seu trabalho.

 

A apresentação de The last girl standing foi no dia 28,  um trabalho de características folk-pop, com grande atenção e detalhe nas letras que são da sua autoria.

 

Deixo-vos com um o vídeo de The last girl standing, a música que dá nome ao disco e há mais para ouvir no A Música Portuguesa

 

 

Jorge Soares

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:44

Walter Benjamin

 

Luís Nunes, lisboeta de gema, mas com Londres no coração, assina como Walter Benjamin o seu trabalho a solo, que tem em "The Secret Life of Rosemary and Me" o seu mais recente exemplar. Uma obra que deve ser ouvida do início ao fim, cujas histórias deverão ser descobertas e decifradas pelo público. Porque a música - elucida - é exatamente isso: "sentir sem ver imagens, sentir sem haver contacto físico, e ter a perceção de algo que anda pelas ondas no ar, que é insensível, que não sabes bem o que é, pois não é real".

 

Fonte Palco Principal

 

Ouvi falar por primeira vez deste músico que adoptou o mesmo nome do filosofo alemão que morreu durante uma viagem a Portugal, no programa da Antena 1 David "Ferreira a Contar" do qual sou ouvinte fiel desde o primeiro dia. Tal como a David Ferreira também a mim me maravilhou a voz melodiosa deste alfacinha radicado em Londres que tem uma qualidade musical extraordinária e que é entre nós um quase completo desconhecido.

 

Entretanto fiquei a saber no programa de hoje que o Luís já voltou a Portugal e está algures no Alentejo a preparar o seu próximo disco que será em Português, espero que não tarde....

 

Letra

Letra

 

Mary 

This is our last shot 
before the glasses are filled with wine 
and your eyes are full of life. 
This is a big day, 
it was a big decision 
and a big mistake 
for me to come. 

Mary, 
won't you dance with me 
before you marry him? 
Mary, 
won't you dance with me? 

I never learned when to stop, 
and even at school 
I was too fast for you. 
Come on, 
I'm not advertising for a new mood 
- this is old stuff and you know it, 
someone's waiting on your couch. 

Mary, 
won't you dance with me 
before you marry him? 
Mary, 
won't you dance with me?

 

 

Há mais para ouvir aqui

Jorge Soares

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:08

The crow

 

The Crow

Descrição da banda

 

O Projecto “THE CROW” consiste num invulgar grupo de cordas e bateria, desde logo pela sua formação. As sonoridades de violinos, violoncelo (duas mulheres e dois homens) e bateria permitem descobrir todo o potencial artístico da música electro-acústica. A nova banda tem um espectáculo versátil e original, que permite aliar no palco actuações bem ao estilo do quarteto de cordas feminino "Bond" de Inglaterra e dos portugueses "Corvos". Os "The Crow" prometem extasiar o público com a sua energia contagiante!

 

“THE  CROW”

Tocam versões das melhores bandas internacionais de música moderna – XUTOS E PONTAPÉS, U2, Muse, Madonna, Guns n’ Roses, The Rolling Stones, The Doors, Red Hot Chilli Peppers, The White Stripes, Coldplay, e apostam na interpretação dos temas sensação do Verão do house mais comercial, bem como no improviso em pano de fundo dos mais recentes hits da música electrónica. Tocam ainda originais de Nuno Flores. O primeiro CD da banda tem data prevista de lançamento ainda durante o corrente ano.

A envolvência sensorial com o público ganha um novo fulgor místico pelo ambiente do negro romantismo, aliando castiçais, velas e veludos em cada actuação do grupo. Na estação mais quente, o cenário transforma-se e o branco impera nas vestimentas, para uma maior frescura e vivacidade tão características da sensualidade das noites de Verão.

 

Fonte The crow

 

 

 

Ainda não estou bem refeito da volta das férias.... mas  já por vcá ando.

 

Jorge Soares

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:48

Zuvi Zeva Novi (Mler Ife Dada)
Deve ser a letra mais estranha que alguém já escreveu para uma música mas a seu tempo foi um sucesso... vá lá a gente perceber estas coisas... pois bem, eles estão de volta... e o Zuvi Zeva Novi até já se voltou a ouvir na rádio e não me estranharia nada que voltasse a ser um sucesso... por muito que ninguém perceba nada do que eles digam
Letra

Zuvi! zuvi zevá, vá vanovi!
Zuvi zevá! vá, vá, vá vanovi.
Zuvi zeva novi? zuvi zeva novi.
Zuvi zava zivi zeva novi!…

 

Salta no ar, rebola de lado!
Sépia salmão, cheiro alvado…
Salta no ar, rebola de lado!
Sépia salmão, cheiro alvado…

 

Ele aí cai, zuvi vai ver,
Mirar a montra, sorrir de prazer,
Caixinha, cor, mar, corinto, então?
Ainda a dança jinga na mão!

 

Taste a mar, hortelã gel,
Rola no ar, patinha no mel!
Taste a mar, hortelã gel,
Rola no ar, patinha no mel!

 

Ele aí está, zuvi vai ter
Hálito bombom, bom a valer!
Caixinha, cor, mar, corinto, então?
Ainda a dança jinga na mão!

 

Zuvi zeva zuvi zeva zuvi zeva novi,
Zuvi zava zivi zeva novi ah!
Zuvi zeva zuvi zeva zuvi zeva novi,
Zuvi zava zivi zeva novi ah!

 

Âh!…Ah!…Zuvi zeva novi?
Ah!…Ah!…Zuvi zeva! (x2)

 

Zuvi zeva zuvi zeva zuvi zeva novi,
Zuvi zava zivi zeva novi ah!
Zuvi zeva zuvi zeva zuvi zeva novi,
Zuvi zava zivi zeva novi ah!

 

Taste a mar, hortelã gel,
Rola no ar, patinha no mel!
Taste a mar, hortelã gel,
Rola no ar, patinha no mel!

 

Ele aí está, zuvi vai ter
Hálito bombom, bom a valer!
Caixinha, cor, mar, corinto, então?
Ainda a dança jinga na mão!

 

Zuvi zeva zuvi zeva zuvi zeva novi,
Zuvi zava zivi zeva novi ah!
Zuvi zeva zuvi zeva zuvi zeva novi,
Zuvi zava zivi zeva novi ah!

 

Zuvi! zuvi zevá, vá vanovi!
Zuvi zevá! vá, vá, vá vanovi.
Zuvi zeva novi? zuvi zeva novi.
Zuvi zava zivi zeva novi!…

 

Âh!…Ah!…Zuvi zeva novi?
Ah!…Ah!…Zuvi zeva! (x2)

 

Zuvi! zuvi zevá, vá vanovi!
Zuvi zevá! vá, vá, vá vanovi.
Zuvi zeva novi? zuvi zeva novi.
Zuvi zava zivi zeva novi!…

 

Zuvi zeva zuvi zeva zuvi zeva novi,
Zuvi zava zivi zeva novi ah!
Zuvi zeva zuvi zeva zuvi zeva novi,
Zuvi zava zivi zeva novi ah!

 

Âh!…Ah!…Zuvi zeva novi?
Ah!…Ah!…Zuvi zeva! (x2)

 

Zuvi zeva zuvi zeva zuvi zeva novi,
Zuvi zava zivi zeva novi ah!
Zuvi zeva zuvi zeva zuvi zeva novi,
Zuvi zava zivi zeva novi ah!

 

 

Mais música dos Mler Ife Dada no A música Portuguesa

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:46

Gisela João

 

 

Não sei se a estas alturas será novidade para alguém, para mim  foi uma das descobertas do ano, Gisela João faz parte da nova geração de fadistas, o seu disco "Gisela João" foi considerado quase por unanimidade o disco do ano, considerando que estamos a falar de um disco de fados, é obra sem dúvida.

 

Não restam dúvidas que o fado está na moda e na moda estão entre outras, as jovens fadistas como: Mariza, Ana Moura, Carminho, Cristina Branco ou Gisela João, todas diferentes, todas irreverentes e com um estilo muito próprio  de interpretar o fado à sua maneira e sobretudo, todas excelentes.

 

Não sei se será possível escolher o melhor disco de 2013, a música portuguesa  é feita de muitas coisas, de muitos estilos, de muitas vozes, de muitos tons, haverá de certeza gostos para tudo, o da Gisela é sem dúvida um dos mais conseguidos e surpreendentes.

 

Do que já ouvi, o disco da Gisela é sem dúvida notável, a sua forma de interpretar o fado é única e ao contrario do que já li e ouvi, não é comparável nem com artistas actuais nem com divas do fado do passado, ela vale por si, pela sua voz e pela sua música, não é melhor nem pior que as outras fadistas, é simplesmente a Gisela João, com a sua voz, a sua música e os seus fados.

 

Eu gosto especialmente desta música:

 

 

Letra

 

Nem um poema, nem um verso, nem um canto,
Tudo raso de ausência, tudo liso de espanto
Amiga, noiva, mãe, irmã, amante,
Meu amigo está longe
E a distância é tão grande.

Nem um som, nem um grito, nem um ai
Tudo calado, todos sem mãe nem pai
Amiga noiva mãe irmã amante,
Meu amigo esta longe
E a tristeza é tão grande.

Ai esta magoa, ai este pranto, ai esta dor
Dor do amor sozinho, o amor maior
Amiga noiva mãe irmã amante,
Meu amigo esta longe
E a saudade é tão grande.

 

Há mais no A Música Portuguesa, vão lá, vale a pena

 

Jorge Soares

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:27

Planeta Fluffen

 

 

Hoje vou dar uma de Cocó na Fralda... bom, quase, além de que eu não tenho o jeito da senhora para escrever,  eu escrevo este post pelo puro gosto e pela divulgação do que de muito bom se faz na nossa cultura ... 

 

Os senhores ali na fotografia são os Planeta Fluffen e tiveram a gentileza de, na qualidade de blogguer, me enviarem um convite para estar presente no Teatro Villaret na antestreia do seu espectáculo.

 

O grupo é formado pelo  David Cristina,  o Hugo Marques, o Luís Coelho  e Joaquim Teixeira,  e eles próprios se definem como "um quarteto musical cómico, cujo espectáculo mistura musicalidade com stand-up comedy e exercícios de improvisação com o público." 

 

Eu fui com a R. e há muito, muito tempo que não me divertia tanto, para além de excelentes músicos, são muito divertidos e fazem um humor que está além do óbvio. Numa altura em que seria muito fácil gozar com a crise e a situação do país eles não vão por aí. Gozam com tudo e com todos, incluindo com o público se este se puser a jeito, mas durante as mais de duas horas que durou o espectáculo, simplesmente esquecemos o mundo e centramo-nos no que se passa no palco.

 

Eles para além de mais são excelentes músicos, tocam, cantam, dançam, e sobretudo fazem-nos rir até às lágrimas com as letras das músicas e com as suas tiradas únicas.

 

O espectáculo vai estar em cena no teatro Villaret a partir de Janeiro, não deixem de ir, numa altura em que poucas coisas nos fazem rir, eles conseguem de certeza absoluta.

 

Página do Facebook dos Planeta Fluffen

 

Jorge Soares

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:48

Luís Caracol

 

 

Luiz Caracol, é um artista luso-angolano, e surge na cena musical em 2004, com um estilo “lusófono” e muito próprio. Este músico cantor e autor tem como fonte de inspiração a mistura entre a lusofonia cada vez mais emergente em si, e uma urbanidade característica da cidade de Lisboa, local onde vive e onde essas varias culturas se encontram e convergem entre si.


Fonte Get Records

 

 

Letra

Letra

 

Despertei em graça
No meio da praça
E de um só momento
Eu fiz um momento

Procurei-te norte e sul
Todo o mapa mundo
Inventei-te e encontrei-te a cada segundo

Por querer mais, por querer tanto
Ao que é de mais, ao que é espanto

Saí daqui, subi à lua, sempre atrás de ti
Cobri o céu, tava na tua e
Saí daqui, subi à lua, sempre atrás de ti
Cobri o céu, tava na tua e não resisti

Eu tava na tua

Ao som dos teus passos
Levantei os braços
Desci a ladeira
Sacudi poeira

Por querer mais, por querer tanto
Ao que é de mais, ao que é espanto

Saí daqui, subi à lua, sempre atrás de ti
Cobri o céu, tava na tua e..
Saí daqui, subi à lua, sempre atrás de ti
Cobri o céu, tava na tua e não resisti

 

 

"Tava na tua" é o segundo single do álbum "Devagar" do Luiz 
Caracol, com a participação especial da cantora Sara Tavares


Podem ouvir mais do Luiz Caracol, aqui

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:28

Descobrindo a nova Música Portuguesa - Noiserv

por Jorge Soares, em 11.10.13

Noiserv

 

 

"...se tivesse nascido música gostava de ter sido feito pelos Sigur Rós e que a haver uma banda sonora, seria com uma dos Radiohead ou do Yann Tiersen, uma qualquer doEddie Vedder mais umas quantas dos Explosions in the Sky... Jeff Buckley... já seria um dia bem passado"


São palavras de David Santos numa entrevista dada ao Ionline, deve ser por isso que eu fiquei fan deste excelente músico desde a primeira vez que ouvi um dos seus temas... curiosamente até esta semana sempre achei que Noiserv era uma banda... coisas de quem não percebe nada de música, ouvia as músicas, até via alguns dos vídeos que ia colocando no A Musica Portuguesa sem nunca imaginar que todas aquelas musicas fantásticas fossem obra de um homem só... mas são.. 

 

Podia ter escolhido qualquer uma das outras músicas, escolhi Palco Do Tempo... por que é em Português.. mas podia ter escolhido outra qualquer, com a certeza que era uma excelente escolha.

 

Letra
É o palco do tempo
Sem tempo a mais
São voltas às voltas
Por querer sempre mais

É um verso atrás
Um degrau que não viu
São curvas as rectas
Num final não vazio

É o palco do tempo
Sobre o tempo a mais
São voltas à espera
Que não vivendo mais
Mais sobre este escelente músico Português, no A Musica Portuguesa
Jorge Soares

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:34

Júlio Resende

 


Júlio Resende é já um dos grandes pianistas portugueses da actualidade. Resende começou a tocar aos 4 anos e tem formação clássica, mas cedo descobriu que não ficava satisfeito em ser intérprete de temas onde não pudesse improvisar.
 
Este disco é um novo desafio: trazer o Fado ao piano. Cantar as melodias com o piano, em vez de as acompanhar apenas. Com o piano exprimir tudo o que o Fado significa. Afirma Júlio Resende que “todos os pianistas têm o sonho de realizar um disco a solo. Eu queria fazer o disco a solo mais pessoal possível. Entendo a palavra “solo” como algo que tem a ver com terra, com raízes, com o chão que pisas, que habitas. Entre as minhas memórias musicais mais antigas está a voz da Amália a cantar “A Casa Portuguesa!” ou o avassalador “Estranha Forma de Vida” e ela serve de símbolo para esta viagem musical.”
 
Assim chegou ao disco que se prepara para editar em breve – Amália Por Júlio Resende. Uma obra onde revisita, apenas com o piano, alguns dos mais marcantes fados interpretados pela maior diva da música Portuguesa, Amália.
 
O resultado é um disco onde a tradição e modernidade convivem em harmonia, onde o património é preservado pela inovação.

 

Fonte: Santos da Casa

 

Para além das fantásticas interpretações ao Piano, Júlio conseguiu o feito de ressuscitar Amália, que graças às novas tecnologias dá a sua voz ao Fado Medo:

 

 

 

Letra

 

Quem dorme à noite comigo,
É meu segredo.
Mas se insistirem lhes digo:
O medo mora comigo
Mas só o medo...

E cedo, porque me embala,
No vai-e-vem da solidão,
É com o silêncio que fala.
Com voz que move onde estala
E nos perturba a razão

Gritar, quem pode salvar-me?
Do que está dentro de mim?
Gostava até de matar-me
Mas eu sei que ele há de esperar-me
Ao pé da ponte, do fim.

 

Podem escutar mais de Júlio Resende no A música Portuguesa

 

Jorge Soares

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 00:51


Ó pra mim!

foto do autor



Queres falar comigo?

Mail: jfreitas.soares@gmail.com






Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D