Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



 Primeiro ministro apanhado em contradição.. uma vez mais.

Imagem do Público

 

O primeiro-ministro afirma que o Estado vai ter de pagar à Lusoponte 4,4 milhões de euros equivalentes ao valor das portagens de Agosto da ponte 25 de Abril, porque quem arrecadou essa receita em 2011 não foi a empresa, mas sim a Estradas de Portugal.

 

Eu ouvi em directo algumas partes do debate na assembleia da república, as tentativas de explicação do  Passos Coelho, as respostas de Francisco Louçã, que de documentos em mão pôs a nu as contradições de um  Primeiro Ministro que uma vez mais foi para um debate sem preparar os temas do momento e uma vez mais foi apanhado em contramão.

 

O primeiro Ministro diz que não houve duplo pagamento, diz que o dinheiro ficou retido pelas estradas de Portugal... eu fiquei na dúvida, o que tem as estradas de Portugal a ver com tudo isto?, então as portagens da ponte não são da Lusoponte?, e os funcionários que fazem as cobranças não são da Lusoponte?,  então mas agora a Lusoponte pega no dinheiro do seu negócio e dá às estradas de Portugal?... a propósito de quê?

 

Entretanto quando vinha a caminho de casa, no noticiário da Antena 1 alguém da Lusoponte explicava que não vai haver devolução, que os 4 milhões de Euros vão servir para acertar contas das dividas do estado à empresa... ou seja, ao contrário do que diz o Primeiro Ministro, a empresa reconhece que recebeu a dobrar..... 

 

4 milhões de Euros são uma gota de água, mas todo este caso é o reflexo da forma como o país está a ser gerido, como é que o secretário de estado não reparou que estava a pagar o que já tinha sido pago?, como é que a empresa recebe uma quantia que sabe que não lhe corresponde e não diz nada?, como é que passado todo este tempo tem que ser a oposição a trazer o assunto à luz do dia para que o governo se decida a averiguar o que aconteceu? É esta a politica da verdade que tanto se apregoou na campanha eleitoral?

 

Assim de repente estes 4 milhões davam para pagar ao fornecedor das compressas do Garcia da Horta.... por exemplo.

 

No meio de tudo isto, a mim ficou-me uma certeza, entre o Primeiro Ministro, o Secretário de Estado das obras públicas e a Lusoponte, alguém está a mentir... e todos estão a fazer de nós parvos...

 

Update: Entretanto ao fim da tarde em nota explciativa... A secretaria de Estado explica que os 4,4 milhões de euros foram pagos porque esse é o montante que está estipulado pagar à Lusoponte por não cobrar portagens em Agosto e que como o contrato está em vigor .. e viva a incompetência.

 

Jorge Soares

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:44

Adopção em portugal

 

 

Esta semana o grupo nós adoptamos tem estado animado, a conversa tem versado sobre a forma como as assistentes sociais abordam as entrevistas e como os candidatos devem reagir e comportar-se.

 

A dada altura dei por mim a lembrar-me daquele dia em que tive a conversa telefónica com a assistente social, e que me deixou completamente angustiado, como expliquei naquele post em que falava de viver ou  limitar-me a existir. A verdade é que desde esse dia não voltei a ver a assistente social, ainda estou à espera da reunião de esclarecimento que me foi prometida e na única entrevista que tivemos, só esteve a Psicóloga, a senhora com quem falei ao telefone decidiu arranjar algo que fazer para aquela hora, isto apesar de ser a responsável do processo.

 

Esta semana ao ler a série de emails em que a maioria das pessoas fala em não fazer ondas, em não questionar muito, em parecermos todos muito simpáticos e atinadinhos, eu pergunto-me, mas somos candidatos à adopção, pessoas adultas e bem formadas ou um monte de carneirinhos a tentar fugir à degola? Mas porque carga de água é que havemos de levar com a incompetência e o desleixo das senhoras da segurança social e reagir que nem parvinhos? porque é que não havemos de reclamar?, porque é que não podemos exigir que se cumpram as leis e que elas façam o seu trabalho como deve ser?

 

É claro que há uma resposta simples para tudo isto.... porque as pessoas que estavam a participar naquela conversa querem ser pais...e pelos vistos neste país quem reclama, quem exige que se cumpram as normas, quem levanta ondas, deixa de ter direito a ser pai... pelo menos parece que é essa a conclusão que retiram os candidatos à adopção ... pelo menos foi isso que eu percebi no fim de ler os mais de 30 mails que compunham aquela conversa.....

 

Desculpem-me todas as pessoas que participaram...mas é muito triste.

 

Há uns dias escrevia um post em que se falava de sermos um povo triste, nos comentários eu tentei dar o meu ponto de vista e dizer que não o somos, afinal, se calhar tenho que me render à evidência, eu estou enganado, além de tristes, somos medrosos e parvos. Sim, somos, porque isto não é uma característica só dos candidatos à adopção, é uma característica geral, somos incapazes de fazer valer os nossos direitos, limitamo-nos a olhar para o lado... pior, muitas vezes pactuamos com as situações, deixamos ir para não nos chatearmos, deixamos andar para não sairmos escaldados, entretanto, a incompetência e o desleixo seguem o seu caminho e quem reclama é tildado de mal educado ou de ter mau feitio.... Depois falamos muito, deitamos  a culpa ao  governo, ou a alguém, a culpa nunca é nossa.. na verdade, nós somos os culpados, porque somos nós que deixamos andar, somos nós que não reclamamos, que não exigimos.

 

É triste, mas a conclusão que eu tiro, é que temos os funcionários públicos que merecemos, temos os serviços que exigimos, e como não somos capazes de exigir mais... nunca teremos mais!

 

Jorge

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:57


Ó pra mim!

foto do autor



Queres falar comigo?

Mail: jfreitas.soares@gmail.com






Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D