Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



 Justiça

Imagem da Wikipédia

 

Justiça 

 

O termo justiça (do latim iustitia, por via semi-erudita), de maneira simples, diz respeito à igualdade de todos os cidadãos. É o principio básico de um acordo que objectiva manter a ordem social através da preservação dos direitos em sua forma legal ( constitucionalidade  das leis) ou na sua aplicação a casos específicos (litígio).
 
Ainda não respondi aos comentários do post de quinta feira, sobre a justiça à americana, ando preguiçoso, mas li um a um, e fiquei a pensar. O conceito de justiça não pode ser algo pessoal, não pode haver justiça a la carte. É evidente que quem pratica um acto terrorista deve ser castigado, mas quando alguém aplica justiça, não pode olhar para a definição e aplicar só a parte que lhe convém e neste caso, os americanos claramente esqueceram a parte em que fala da forma legal. Haverá quem diga que para salvar mais vidas, os fins justificam os meios, mas não terá sido essa ideia que norteou quem efectuou os actos terroristas?
 
Desde o meu ponto de vista, não pode haver justiça quando descemos ao nivel de quem cometeu os crimes e nunca há justiça no olho por olho dente por dente, não, não sou partidário de dar a outra face, mas não devemos esquecer aquela parte que diz através da preservação dos direitos em sua forma legal, sob pena de sermos tão terroristas como os que queremos combater.
 
Isto para não falar nos milhares de inocentes que foram torturados em Guantanamo e que agora se tornaram em homens sem vida e sem pátria, ninguém conseguiu encontrar a culpa dos seus actos, mas também ninguém os quer receber.
 
Onde nos leva tudo isto?, hoje fez-se um referendo na Suiça para decidir se Mesquitas muçulmanas podem ou não ter minaretes, e segundo esta noticia do Público, o não venceu com 57% dos votos. Ainda segundo a mesma noticia existem 4 mesquitas com minaretes na suiça, quantas igrejas com cruzes e campanários existirão? E sendo um país de emigrantes, 20% da população não tem a nacionalidade, que será o que vão referendar a seguir?, o bacalhau na noite de natal dos portugueses?
 
Por cá também se querem fazer referendos, se calhar era bom que olhássemos para o resultado deste e tirássemos algumas conclusões.
 

O não aos minaretes na Suiça

Imagem do Público, cartaz do Não

 

 

publicado às 21:26

Guantanamo, quem é o heroi e quem é o vilão?

Imagem da internet

 

Tinha lido a noticia no Público, vai começar o julgamento do 11 de Setembro,  ontem estávamos a jantar e a ver o telejornal e o assunto apareceu, por entre imagens dos ataques com os aviões a embater nas torres, falaram do mentor de toda a operação,  da forma como estava preso em Guantanamo e de como foi interrogado e sujeito à tortura. 

 

Por momentos arrependi-me de estar a ver aquilo, um gráfico animado mostrava como o homem foi sujeito dezenas de vezes a uma tortura em que é colocado de cabeça para baixo e como esta é submergida num recipiente cheio de agua, ...dezenas de vezes.

 

Tinha lido sobre a polémica que o julgamento está a causar nos Estados Unidos, há quem queira que os culpados sejam julgados e condenados, há quem simplesmente pretenda que se esqueça todo o assunto, há familiares que clamam por vingança e outros que simplesmente querem seguir em frente. Imagino que haverá muita gente com medo que se comece a puxar o fio e se destape a panela dos horrores, não sei se haverá muita gente com vontade de ouvir o que realmente se passa em Guantanamo. Como se pode julgar alguém com base em testemunhos obtidos por meio de tortura?, como se pode querer justiça quando se tratam seres humanos, por muito culpados que sejam, daquela forma?

 

Voltando ao dia de ontem, os meus filhos estavam à mesa, fiquei admirado porque não sabiam do que se estava a falar, mesmo a imagem dos aviões a entrar pelas torres, tão familiar para nós, para eles era algo novo... é claro que é natural, eles tinham pouco mais de um ano quando aquilo aconteceu... já passaram 9 anos....e dizem que por cá a justiça é lenta.

 

Depois, como explicamos a uma criança de 10 anos que há um sitio onde se colocam as pessoas de cabeça para baixo com esta dentro de um balde de água? Naquela imagem quem são os maus e quem são os bons? Como explicamos que aquilo se passou no país onde supostamente se defende a democracia no mundo?, como explicar algo em que eu próprio me recuso a acreditar? 

 

Se eu já não consigo entender quem são os bons e quem são os maus, como posso explicar?

 

Jorge Soares

publicado às 22:14

 

Aviso desde já que hoje vou ser politicamente incorrecto, se calhar vou até ser contra algumas ideias que transmito... mas  há coisas que são como são.

 
Imagino que todos terão lido, visto ou ouvido algo sobre o facto de Portugal se ter oferecido para receber os presos considerados inocentes em Guatanamo....desde já digo que sou contra.
 
Depois do 11 de Setembro, a América de Bush começou uma cruzada mundial contra o terrorismo, sendo que uma parte dessa cruzada consistia em raptar pessoas por todo o mundo e a coberto do segredo das agências de informação americanas e mundiais, transportar essas pessoas para uma prisão construída para o efeito em Guantanamo, uma base militar que os EU mantém na ilha de Cuba.
 
Estas pessoas eram mantidas presas na ilha, sem qualquer direitos, sujeitas a uma lei que não é nem civil nem militar, vítimas de sevícias e torturas. Com o tempo esta justiça concluiu que muitas destas pessoas eram inocentes e não constituíam perigo algum.  Ditam as regras do bom senso que estas pessoas sejam libertadas e reintegradas na sociedade.  
 
O que fizeram os Estados Unidos? nada, como a maioria destas pessoas não podem voltar aos seus países onde seriam vítimas de perseguição e também não lhes permitem a entrada na América, a solução é impingir estes presos a outros países...
 
Esta semana li uma notícia que falava de 17 presos chineses de etnia Uirgur que foram declarados inocentes em 2004 e que continuam na prisão porque o estado americano se nega a os deixar entrar no seu território. Mesmo após uma sentença de um juiz Federal Americano que ordena a sua libertação em solo do país, os EU negam-se a recebe-los. Que estado é este que não cumpre as leis dos seus próprios tribunais?
 
Portugal foi o primeiro país a responder ao pedido americano para os receber e esta semana o assunto foi debatido a pedido do nosso país em reunião da União Europeia, há países que se negam a receber esses presos em território Europeu, acho bem, se  os americanos criaram o problema, por uma vez que sejam eles a resolver. Foram eles que raptaram as pessoas, que os levaram dos seus países, devem ser portanto eles quem os receba.
 
Os americanos que por uma vez limpem a m. que fizeram, ao contrario do que se pretende fazer passar, não é uma questão de humanidade e solidariedade, é uma questão de justiça.
 
Jorge

publicado às 22:23


Ó pra mim!

foto do autor



Queres falar comigo?

Mail: jfreitas.soares@gmail.com






Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D