Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



formiga.jpg

Imagem do Facebook

 

Disclaimer: Por favor não entendam os meus posts como um incentivo ao voto em Bolsonaro ou contra o Bolsonaro, na minha situação actual eu nunca votaria nele ou em alguém que esteja sequer próximo das ideias dele... Entre alguém que eu sei que quase de certeza me vai cortar a liberdade de pensar e de dizer o que quero e alguém que quase de certeza vai governar mal e manter a situação actual, eu optaria sempre pelo segundo, pelo menos neste caso eu sei que passado algum tempo vou poder escolher outro, com o primeiro já não tenho a certeza que isso aconteça.

 

A imagem acima é uma das muitas que anda a circular nas redes sociais e que pretende simbolizar o porquê é errado votar em Bolsonaro.  Mas será que é assim tão simples? Será que as pessoas só votam nele porque não gostam do PT? Sinceramente não acredito, o texto abaixo foi escrito por mim no post do dia 05.03.2013 (Aqui), dia em que morreu Hugo Chavez.

 

Eu vivi 10 anos em Caracas na era pré Hugo Chavez, eu vivi na Venezuela quando por cada litro de leite que se comprava, o estado pagava três à empresa produtora, por cada bilhete de autocarro o estado pagava três à empresa de transportes, era uma economia subsidiada em que não havia inflação e era tudo baratíssimo.

 

Por outro lado, era um estado em que a corrupção era lei, não se pagavam multas, não se pagavam impostos e não se fazia absolutamente nada, desde tirar o bilhete de identidade a fazer qualquer negócio, sem untar as mãos a alguém.

 

Esta situação manteve-se assim durante muitos anos até que um dia o baixo preço de petróleo, a corrupção generalizada e a situação mundial fizeram com que as reservas do estado não fossem suficientes para continuar a manter uma economia artificial e então foi o caos. Sem os subsídios do estado o povo teve que passar a pagar os verdadeiros preços pelas coisas e a inflação galopante levou o pouco que restava da economia.

 

Isto durou 15 anos até que o povo se fartou, decidiu deixar de apostar nos mesmos de sempre e optou por mudar, foi aí que apareceu alguém que soube falar ao povo, aos pobres que são a maioria da população. Nessa altura eu já não vivia lá, mas se vivesse, de certeza que votaria nele, porque simplesmente o país não podia continuar a ser governado pelos mesmos de sempre, os que o tinham levado  até aquela situação.

 

Hugo Chavez era um demagogo, um homem sem qualquer sentido de estado, e não foi capaz de tirar o país do enorme buraco donde ele se encontra, mas a verdade é que ele foi eleito em 5 ou 6 eleições, ganhou dois referendos e sempre com percentagens acima de 70% dos votos.

 

Façam o exercício de trocar Hugo Chavez por Bolsonaro, e a Venezuela pelo Brasil .... e talvez não seja preciso muito esforço para se perceber o resultado das sondagens e o que se vai passar no próximo Domingo.

 

A diferença é que Bolsonaro é um ex-militar que está na extrema direita e Hugo Chavez era um militar que  (supostamente) estava na extrema esquerda, de resto o discurso não é assim tão diferente e quase de certeza que se esperarmos o tempo suficiente, o resultado também não será muito diferente. Não há milagres, políticos ignorantes só podem levar a resultados desastrosos.

 

No outro dia alguém (não me lembro mesmo quem) dizia o seguinte algures no Facebook:

Quando a situação económica é má, as pessoas apoiam cegamente qualquer diabo que apareça mascarado de Messias e a própria liberdade torna-se irrelevante. Sempre assim foi e sempre assim será.

 

Só espero, pelo bem do povo do Brasil, que a seguir a Bolsonaro não apareça um Nicolás Maduro qualquer, que é um senhor que não está nem à direita nem à esquerda, só lá está  mesmo pelo poder e pelos benefícios do mesmo.

 

Jorge Soares

 

Related Posts with Thumbnails

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:35

Venezuela, entre a ditadura e a guerra civil

por Jorge Soares, em 16.02.14

Venezuela

 

Imagem do Público 

 

Quando é que um regime que foi eleito pelo povo perde a legitimidade?

 

O que teme um governo que para além de manter toda a comunicação social publica e privada controlada, decide retirar das plataformas de cabo e da internet o sinal de um canal internacional que está a transmitir em directo, ao contrário dos canais nacionais, as manifestações e protestos organizados pelos estudantes em todo o país?

 

Na única noticia que vi na televisão portuguesa sobre o que está a passar em Caracas, ouvi Nicolás Maduro ameaçar o povo e a oposição com a radicalização da revolução e a utilização das armas para a defender, se os protestos continuarem.

 

Durante muito tempo defendi Chaves, não pela forma como governava mas sim pela legitimidade dos seus governos, confesso que não pude evitar sentir um arrepío na espinha ao ouvir aquelas palavras da boca de um presidente da República de um país onde supostamente existe uma democracia. Que tipo de governante ameaça o seu povo com a utilização das armas para o fazer calar?

 

Os protestos que se iniciaram nos estados Andinos da Venezuela e que rápidamente se estenderam a Caracas e a  praticamente todo o país, são contra as super degradadas condições económicas que derivam de uma inflação de mais de 50% e contra as condições de insegurança que pioram todos os dias e que convertem o país no segundo a nível mundial no número de homicídios.

 

O que faz Nicolás Maduro ante esta situação? Envia grupos paramilitares armados para enfrentar as manifestações. Força o encerramento dos jornais impressos ao não autorizar a importação de papel, controla os meios de comunicação  nacionais ameaçando com o encerramento a quem difunda noticias que mostrem a situação real do país e corta o sinal aos canais internacionais, chegou inclusivamente a impedir a difusão de fotografias no Twitter para evitar que os estudantes  o utilizem, e às restantes redes sociais, para mostrar ao país e ao mundo o que se passa nas ruas... Neste momento existe na Venezuela uma censura de facto.

 

A Venezuela é um dos países com mais recursos naturais do mundo, é o terceiro produtor mundial de petróleo, apesar de nos últimos 10 anos terem quase destruído a industria petrolífera, continuam a entrar milhões de dólares todos os dias no país. Para onde vai todo esse dinheiro?, ninguém sabe.

 

Chavez, Maduro e o seu partido estão no governo há 15 anos, nestes 15 anos em lugar de melhorar, a situação económica piorou todos os dias.

 

Chavez chegou ao poder principalmente devido à enorme desigualdade que existia no país, passados 15 anos, os pobres continuam pobres, vivem praticamente nas mesmas condições em que viviam antes, a população do país praticamente duplicou, os ricos são os mesmos, os pobres são muitos mais e a desigualdade social, a insegurança e a corrupção aumentaram de forma dramática.

 

Hoje vi Nicolás Maduro ameaçar os estudantes e o país com a imposição do poder pela via das armas, o que vi não é digno de um presidente democraticamente eleito, é digno de um qualquer ditador de república das bananas do século passado...  

 

Em 1958 A Venezuela foi o primeira democracia da América latina, não me parece que o povo esteja disposto a ter a primeira ditadura do século XXI, esperemos que Chavez mande de novo algum passarinho cantar ao ouvido de Maduro e que lhe mostre que o povo está primeiro e que não vai aguentar muito mais.

 

Desde aqui, de todo coração desejo o melhor para um povo e um país que aprendi a amar e que levo no coração como o meu...

 

La lucha del  pueblo venezolano es por un país onde se pueda vivir con justicia, paz y libertad, por favor no se rindan!

 

Update: Vídeo - O que está a acontecer na Venezuela?

 

 

Jorge Soares

Related Posts with Thumbnails

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:08

Morreu Hugo Chavez, Viva a Venezuela

por Jorge Soares, em 05.03.13

Morreu Hugo Chavez

 

Imagem do Público 

 

Morreu o homem que mudou a face da Venezuela e de uma parte da América Latina, para muitos um ditador, para muitos outros o único governante que chegou ao poder e olhou para os pobres e esquecidos de um país em que praticamente só havia duas classes sociais, os ricos e os outros.

 

Conseguiu fazer-se eleger numas eleições livres e democráticas em 1999 e manter-se no poder até hoje num país em que os mandatos presidenciais estavam limitados a um máximo de dois precisamente para evitar o aparecimento de figuras como ele. O seu governo socialista e dirigido principalmente aos mais pobres, não conseguiu evitar que a situação social da população piorasse sendo que hoje em dia Caracas é umas das cidades mais perigosas do mundo onde em cada fim de semana são assassinadas mais de cem pessoas.

 

A Venezuela é o terceiro produtor de Petróleo do mundo e um dos que tem maiores reservas, entram no país todos os dias muitos milhões de dólares, dinheiro que raramente chega à economia e à população porque nem Chavez nem ninguém conseguiram combater o maior flagelo do país, a corrupção.

 

Eu vivi 10 anos em Caracas na era pré Hugo Chavez, eu vivi na Venezuela quando por cada litro de leite que se comprava, o estado pagava três à empresa produtora, por cada bilhete de autocarro o estado pagava três à empresa de transportes, era uma economia subsidiada em que não havia inflação e era tudo baratíssimo.

 

Por outro lado, era um estado em que a corrupção era lei, não se pagavam multas, não se pagavam impostos e não se fazia absolutamente nada, desde tirar o bilhete de identidade a fazer qualquer negócio, sem untar as mãos a alguém.

 

Esta situação manteve-se assim durante muitos anos até que um dia o baixo preço de petróleo, a corrupção generalizada e a situação mundial fizeram com que as reservas do estado não fossem suficientes para continuar a manter uma economia artificial e então foi o caos. Sem os subsídios do estado o povo teve que passar a pagar os verdadeiros preços pelas coisas e a inflação galopante levou o pouco que restava da economia.

 

Ito durou 15 anos até que o povo se fartou, decidiu deixar de apostar nos mesmos de sempre e optou por mudar, foi aí que apareceu alguém que soube falar ao povo, aos pobres que são a maioria da população. Nessa altura eu já não vivia lá, mas se vivesse, de certeza que votaria nele, porque simplesmente o país não podia continuar a ser governado pelos mesmos de sempre, os que o tinham levado  até aquela situação.

 

Hugo Chavez era um demagogo, um homem sem qualquer sentido de estado, e não foi capaz de tirar o país do enorme buraco donde ele se encontra, mas a verdade é que ele foi eleito em 5 ou 6 eleições, ganhou dois referendos e sempre com percentagens acima de 70% dos votos.

 

Neste momento a Venezuela é um autêntico saco de gatos e deve haver muita gente a afiar as facas, avizinham-se tempos tempestuosos para o país e para quem por lá sobrevive, que terão de certeza absoluta reflexos na vida do mundo inteiro, afinal é de lá que vem uma boa parte do petróleo que alimenta a economia americana e até a nossa.

 

Jorge Soares

Related Posts with Thumbnails

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:33

Ganhou o Hugo Chavez, Quo Vadis Venezuela?

por Jorge Soares, em 08.10.12

Hugo Chavez, ganhou as eleições na Venezuela

Imagem do Público

 

Soy venezolana por que mis padres así lo quisieron, ellos emigraron de su tierra a este país hace más de 50 años buscando un futuro. Venezuela los recibió y aqui construyeron su vida, dónde ahora no quiero que ellos la pierdan a manos de la violencia, ni a ellos ni ninguno de los míos. Será que ahora toca ser extranjero en la tierra de ellos? No me puedo imaginar la vida en un país donde el hampa se ha convertido para los venezolanos en el mayor peligro que existe. No quiero seguir con el toque de queda que nos imponen los malandros, que cada vez que salgo o entro tengo que estar pidiendo al cielo que nada nos pase, porque sólo Dios nos puede cuidar, yo no tengo escoltas mi familia tampoco... no somos ricos, pero ya sabemos que aqui matan hasta por un celular. Me da terror señores TERROR seguir viviendo en estas condiciones. No sigo porque tengo demasiados sentimientos de dolor y no me caben las palabras!


Sou venezuelana porque os meus pais assim o quiseram, eles partiram da sua terra para este país há mais de 50 anos à procura de um futuro. A Venezuela recebeu-os e aqui construíram a sua vida, onde agora eu não quero que eles a percam às mãos dos marginais, nem eles nem ninguém dos meus. Será que agora me calha ser estrangeira na terra deles? Não consigo imaginar a vida num país onde os marginais se converteram no maior perigo que aflige os seus habitantes. Não quero continuar a viver neste recolher obrigatório imposto pelos ladrões, que cada vez que entro ou saio me obrigam a pedir aos céus para que nada me aconteça, porque só a Deus nos podemos confiar, nem eu nem a minha família andamos com seguranças .. não somos ricos, mas já sabemos que aqui matam até por causa de um telemóvel. Eu tenho TERROR, terror de continuar a viver nestas condições. 

 

O texto acima e que tentei traduzir, foi escrito hoje no Facebook por um dos meus familiares que ainda vivem na Venezuela e acho que é suficientemente elucidativo sobre a forma como hoje em dia, quase 20 anos depois da chegada de Hugo Chavez ao poder, se vive por lá.

 

aqui defendi mais que uma vez o Hugo Chavez, nos vários posts já tentei explicar não só os motivos da sua chegada ao poder numa altura em que o país e a sociedade estavam a um passo do abismo, como também o facto dele não ser mais um ditador latino-americano e sim um dirigente democraticamente eleito.

 

É evidente que a palavra democracia serve para muitas coisas, e basta olhar para a Madeira para se perceber que é mesmo para muitas coisas, mas se ele continua no poder é porque o povo vota nele..e esta vez o povo voltou a votar nele... 

 

Contudo, e voltando ao inicio do Post, a verdade é que por muito que ele tenha melhorado em muito a vida de uma enorme percentagem da população, principalmente das franjas mais pobres, a verdade é que a insegurança, em Caracas os assassinatos contam-se às centenas todos os fins de semana, está de novo a levar o país a uma situação insustentávelel e não me parece que Chavez e os seus ideais Bolivarianos consigam resolver algo que só piorou desde que ele chegou ao poder.

 

Não sei se a solução seria ou não Capriles, mas está mais que claro que já era altura de que algo mudasse e pensando bem, difícil mesmo era que as coisas piorassem.

 

Vivi 10 anos na Venezuela, um país que me acolheu de braços abertos e que apesar de ser estrangeiro me fez sentir em casa desde o primeiro dia, é com uma enorme tristeza que olho para tudo isto.

 

Jorge Soares

Related Posts with Thumbnails

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:23

O pajem e El Rey

por Jorge Soares, em 11.11.07

Um dos assuntos deste fim-de-semana foi o "E porque no te callas?" do Rei Juan Carlos ao presidente da Venezuela, Hugo Chavez.

 

Antes de mais, eu vivi 10 anos na Venezuela na era pré Hugo Chavez, eu vivi na Venezuela quando por cada litro de leite que se comprava, o estado pagava três à empresa produtora, por cada bilhete de autocarro o estado pagava três à empesa de transportes, era uma economia subsidiada em que não havia inflação e era tudo baratíssimo.

 

Por outro lado, era um estado em que a corrupção era lei, não se pagavam multas, não se pagavam impostos e não se fazia absolutamente nada, desde tirar o bilhete de identidade a fazer qualquer negócio, sem untar as mãos a alguém.

 

Esta situação manteve-se assim durante muitos anos até que um dia o baixo preço de petróleo, a corrupção generalizada e a situação mundial fizeram com que as reservas do estado não fossem suficientes para continuar a manter uma economia artificial e então foi o caos. Sem os subsídios do estado o povo teve que passar a pagar os verdadeiros preços pelas coisas e a inflação galopante levou o pouco que restava da economia.

 

Esta situação manteve-se durante 15 anos até que o povo se fartou, decidiu deixar de apostar nos mesmos de sempre e optou por mudar, foi aí que apareceu alguém que soube falar ao povo, aos pobres que são a maioria da população. Nessa altura eu já não vivia lá, mas se vivesse, de certeza que votaria nele, porque simplesmente o país não podia continuar a ser governado pelos mesmos de sempre, os que tinham levado o país até aquela situação.

 

Eu acho o Hugo Chavez um demagogo, um homem sem qualquer sentido de estado, e não acho que seja capaz de tirar o país do enorme buraco donde ele se encontra, mas a verdade é que ele foi eleito em 3 ou 4 eleições, em dois referendos e com percentagens acima de 70% dos votos.

 

Já vi escrito várias vezes e já ouvi várias vezes a palavra ditador, e hoje inclusive li algures a palavra tirano, como é que alguém que é eleito democraticamente, em eleições livres e vigiadas por instituições internacionais pode ser chamado de ditador?    .....Não Pode!

 

O triste episódio que aconteceu ontem no Chile foi o resultado da falta de sentido de estado do Hugo Chavez, também não me parece que chamar fascista a um ex-primeiro ministro Espanhol seja precisamente uma coisa inteligente, mas o Rei de Espanha é um homem educado, que tem sentido de estado e que não pode descer ao nível do Hugo Chavez, porque nesse caso fica tão mal na fotografia como ele.

 

No meio disto tudo, não sei quem ficou com o papel do rei e quem ficou com o do Pajem.

Jorge
Related Posts with Thumbnails

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:51


Ó pra mim!

foto do autor



Queres falar comigo?

Mail: jfreitas.soares@gmail.com






Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2007
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D