Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Isabel Jonet

 

 

"Há profissionais da pobreza para quem assistência é forma de vida... que fazem da mendicidade um modo de vida"

 

“em Portugal há aquilo a que chamamos a transmissão intergeracional da pobreza e temos que quebrar essa transmissão”

 

Ela andava calada desde Abril.... bem que podia ter continuado.

 

Um dos problemas de quem vive na rua é que chegam a um ponto em que é muito difícil que voltem a ter a capacidade de terem uma vida estruturada, quanto mais tempo viverem na rua mais difícil será que de lá saiam, há estudos que mostram que assim é e todos os que andam na rua a tentar ajudar estas pessoas, tem consciência disto.

 

Mas isto é evidentemente muito diferente do que pretendeu afirmar Isabel Jonet, o facto de ser difícil retirar as pessoas da rua não significa que estas pessoas se tenham tornado em profissionais da pobreza, significa que o estado e todos nós temos que por um lado nos empenharmos muito mais para podermos efectivamente ajudar estas pessoas a voltarem a ter uma vida digna e por outro lado, melhorar a situação do país para que não haja mais pessoas a irem parar à rua.

 

Não sei onde foi Isabel Jonet buscar os dados para fazer estas afirmações, mas pretender que as pessoas vivem na pobreza porque querem é o cúmulo da insensibilidade e da estupidez.

 

Evidentemente há casos e casos, mas não se pode generalizar, se a pobreza é intergeracional é porque as pessoas não tem condições para dar uma melhor forma de vida aos seus filhos e termina por se entrar num círculo vicioso, não porque tenham escolhido isso como forma de vida, quem não quer o melhor para os seus filhos?, quem é o pai que se poder escolher não dá educação e meios aos seus filhos para que eles tenham uma vida decente?

 

Sinceramente não consigo perceber onde vai a senhora buscar estas ideias, mas ela fazia um enorme favor a si e ao resto do mundo, se estivesse sempre calada é que cada vez que abre a boca sai asneira, as suas palavras são uma enorme falta de respeito pelos milhares de pessoas que não conseguem ter meios para sobreviver sem ser na rua e até para quem os tenta ajudar.. que não me parece de todo que seja o caso dela.

 

É caso para dizer... E porque no te callas?

 

Ler Takes Anteriores aqui

 

Jorge Soares

publicado às 21:30

Isabel Jonet

 

 

Eu juro que não tenho nada contra a senhora, mas é que ela insiste em pôr-se a jeito... cada vez que abre a boca.

 

“O pior inimigo dos desempregados são as redes sociais”,... e eu que pensei que eram a crise, o encerramento das empresas e o governo que insiste em medidas da austeridade que reduzem o poder de compra e o investimento das empresas.

 

as pessoas ficam desempregadas e ficam dias e dias inteiros agarradas ao Facebook, ou agarradas a jogos, agarradas a amigos que não existem e vivem uma vida que é uma total ilusão”.

 

Ninguém duvida que existirão casos de pessoas que baixam os braços e até desistem de continuar a bater com o nariz nas portas das empresas, mas não há nada pior que a generalização. As redes sociais são não só um escape para muita gente como também uma forma activa de procurar emprego, existem no Facebook e na internet imensas páginas para procura e partilha de anúncios de emprego, há imensa gente que arranja entrevistas e empregos através das redes sociais, já seja através destas páginas ou através d econtactos dos tais amigos que a senhora acha que nem são reais.

 

A Isabel Jonet parece que cada vez que abre a boca sai asneira, as suas palavras são uma enorme falta de respeito pelos milhares de desempregados do país. É caso para dizer... E porque no te callas?

 

 

Jorge Soares

publicado às 19:06

Isabel Jonet, Take 4 - Carências alimentares

por Jorge Soares, em 17.12.12

O regresso Jonet

 

A palavra ao Bruno Nogueira... enquanto o vídeo não está disponível no Youtube.. podem ouvir aqui: O Regresso Jonet.

 

 

A brincar a brincar se dizem as grandes verdades... 

 

Para quem não viu o programa da Linha da Frente, que para além das afirmações incriveis da senhora nos mostra uma imagem pungente da realidade actual de muita gente, podem ver aqui

 

Jorge Soares

publicado às 18:52

Isabel Jonet, Take 3!

por Jorge Soares, em 11.12.12

Isabel Jonet, Take 3

 

Sim eu sei, não devíamos bater mais no ceguinho... mas é que ela põe-se mesmo a jeito. (Ver entrevista no ionline)

 

Eu sei que há muita gente que insiste em olhar para a senhora da fotografia e em lugar da pessoa ver a instituição Banco Alimentar, mas queiram ou não, a pessoa existe e diz coisas como esta, coisas que mostram uma mentalidade retrógrada e muito pouco social.

 

Há uma enorme diferença entre caridade e consciência social, a caridade serve para tapar buracos sem mudar nada, a solidariedade social serve para garantir que se dão condições às pessoas para que estas possam para além de viver, sair da situação em que estão e seguir em frente. Caridade é dar o peixe, solidariedade social é ensinar a pescar.

 

É claro que não retiro mérito à instituição Banco alimentar e ao seu papel em alturas como a que vivemos, mas vamos lá deixar de confundir a instituição com a pessoa e chamar aos bois pelos nomes.. esta senhora é a imagem acabada de uma época que felizmente há muito que terminou, a caridadezinha é algo de outros tempos... por muito que exista gente que precise que tudo se mantenha como está para assim poder continuar a sentir-se superior.

 

 

Vamos brincar à caridadezinha
Festa, canasta e boa comidinha
Vamos brincar à caridadezinha

A senhora de não sei quem
Que é de todos e de mais alguém
Passa a tarde descansada
Mastigando a torrada
Com muita pena do pobre
Coitada

Vamos brincar à caridadezinha
Festa, canasta e boa comidinha
Vamos brincar à caridadezinha

Neste mundo de instituição
Cataloga-se até o coração
Paga botas e merenda
Rouba muito mas dá prenda
E ao peito terá
Uma comenda

Vamos brincar à caridadezinha
Festa, canasta e boa comidinha
Vamos brincar à caridadezinha

O pobre no seu penar
Habitua-se a rastejar
E no campo ou na cidade
Faz da sua infelicidade
Alvo para os desportistas
Da caridade

Vamos brincar à caridadezinha
Festa, canasta e boa comidinha
Vamos brincar à caridadezinha

E nós que queremos ser irmãos
Mas nunca sujamos as mãos
É uma vida decente
Não passeio ou aguardente
O que é justo
E há-que dar a toda a gente


JOSÉ BARATA MOURA


É uma música Portuguesa, quem quiser pode ouvir aqui

 

Jorge Soares

publicado às 22:10

Ainda a Isabel Jonet ... Por que no te callas?

por Jorge Soares, em 04.12.12

Isabel Jonet e o pequeno almoço dos pobres

 

Imagem do Aventar

 

Isabel Jonet em entrevista ao CM


CM - Como é que analisa os casos das crianças que chegam à escola com fome?


Isabel Jonet - É inexplicável. Deve-se, em parte, à não responsabilização e falta de tempo dos pais. Sem o pequeno-almoço, os alunos não podem ter rendimento escolar.


Pois, está-se mesmo a ver que é por isso... os pais são uns irresponsáveis que deixam acabar o dinheiro que não ganham porque estão desempregados ou tem salários de miséria.

 

Realmente a pobreza está perto... mas acho que neste caso o que está mesmo perto é a pobreza de espirito, um comentário como este não tem nome. 

 

Mas esta senhora não se cala?

 

Jorge Soares

publicado às 19:41

Quem é a Isabel Jonet?

por Jorge Soares, em 11.11.12

Isabel Joner

 

Imagem do Público 

 

Antes de mais, antes que me acusem de não ter ouvido ou de ter retirado as frases do contexto,  eu ouvi com atenção as palavras da senhora, quem não ouviu pode ouvir aqui.

 

O problema no que disse a senhora, não está no facto de ser verdade ou não o que ela disse, haverá sem duvida muita gente que não soube gerir o que tinha e que deu a vida por garantida, o problema é que a forma como ela diz as coisas, primeiro empurra para quem sente dificuldades  o ónus da culpa do que está a acontecer e depois torna pobreza quase como uma inevitabilidade, segundo ela, nós queríamos todos ser ricos quando a verdade é que somos pobres...e nada disto é verdade.

 

Em primeiro lugar não é verdade que todos vivessemos acima das nossas possibilidades, os portugueses, a maioria pelo menos,  tinham emprego, produziam e contribuiam para a economia do país.

 

Em segundo lugar, não me parece que seja uma inevitabilidade nem que estejamos condenados a ser pobres, nem que a situação actual do país seja definitiva. Temos que olhar em frente e pensar não que temos todos que ser pobrezinhos e sim que temos que nos esforçar para que o país nos volte a dar condições para voltarmos a viver decentemente.


Ao contrário do que diz a senhora, não há nada de errado em comer-se bife todos os dias, nem em ir-se a concertos ou ao cinema, aliás, a economia só funciona se existir quem compre bifes, vá a concertos e ao cinema, errado era a situação há 30 anos atrás em que havia muita gente que nunca via um bife na vida.... haverá quem ache que temos que voltar a essa época, mas isso não vai acontecer.

 

Quero acreditar que com a ajuda e o esforço de todos nós, o país vai dar a volta por cima, vai voltar a haver emprego, e vamos poder voltar a comer bife e ir ao cinema quando nos apetecer... mesmo..e quem não acredita, quem acha que o destino é a pobreza e a miséria, então o melhor é emigrar mesmo, porque está a mais por cá... Isabel Jonet incluída.

 

Também acho um exagero que se peça a demissão da senhora, todos temos direito à nossa opinião, temos é que saber dar a importância devida a cada pessoa e se pensarmos bem.. quem é a Isabel Jonet?

 

Jorge Soares

 

publicado às 22:01


Ó pra mim!

foto do autor



Queres falar comigo?

Mail: jfreitas.soares@gmail.com






Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D