Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



 

Refugiados em Lampeduza

Imagem do Público

 

 

Vivemos num mundo de contrastes, há bem poucos dias vimos como os Estados Unidos, um dos membros da NATO, utilizou de uma forma magistral os seus soldados e a sua tecnología para no outro lado do mundo, invadindo outro país, aplicar a sua peculiar forma de justiça.

 

Hoje um Jornal inglês relatava como apesar de  toda essa tecnología, de todos esses meios, dos muitos milhares de homens, dos muitos milhões de Euros que diariamente se gastam numa guerra civil patrocinada e apoiada pelos países ocidentais, ali ao lado, a poucos kms de terra e à vista de Porta-aviões, Helicópteros, navios e aviões, mais de 60 pessoas, incluindo duas crianças pequenas, morreram de fome e de sede num barco no mediterrâneo.

 

O mediterrâneo é um mar interior, todos os dias há centenas de navios que o cruzam em todas as direcções, como é possível que um barco com mais de 70 pessoas ande à deriva durante 16 dias sem que ninguém o veja? Como é possível que no século XXI se deixem morrer pessoas à fome e à sede só porque nasceram no lado errado do mar e não desistem de chegar ao lado certo?

 

É claro que nesta altura a culpa não é de ninguém, ninguém viu, ninguém ouviu, ninguém soube.... na verdade, ninguém quis saber, são refugiados, que importa mais 50 ou menos 50?

 

Há quem diga que o mundo está mais seguro sem Bin Laden e sem muitos dos ditadores que foram caindo nos últimos meses... depois de ler notíciass como esta eu tenho sérias dúvidas. De que serve um mundo mais seguro se estamos a construir uma sociedade que não é capaz de ser humana?

 

Jorge Soares

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:08

Quo Vadis Libia?

por Jorge Soares, em 20.03.11

Para onde vais Líbia?

Imagem do Público

 

Há pouco via as noticias na RTP e não pude deixar de pensar no significado da expressão "exclusão aérea". Quando se fala em definir uma zona de exclusão aérea eu imagino aqueles aviões americanos que andam no ar a vigiar os céus, no caso de algum avião militar Líbio se atrever a levantar voo eles dão por ela de imediato e avisam os caças que se encarregam de colocar os líbios em sentido... isto era o que eu imaginava.

 

Na realidade zona de exclusão aérea significa um ataque em massa com mísseis Tomawhok que de forma cirúrgica destroem uma série de alvos por toda a Líbia, incluindo a casa de Khadafi em Trípoli, seguidos de raides aéreos que tentam destruir o que ficou de pé.

 

Não faço ideia se a zona de exclusão aérea inclui todo o país ou só a zona controlada pelos rebeldes, mas se o objectivo é proteger os civis dos ataques do regime líbio, para quê atacar Trípoli? para quê atacar a casa de Khadafi?

 

Olho para tudo isto e não resisto a fazer comparações, no Iraque começou-se uma guerra que não vai ter fim tão cedo porque supostamente haveria armas de destruição maciça, no Afeganistão há uma guerra que não terá fim e onde ainda é difícil saber quem são os inimigos, porque antes eram os amigos e amanhã quem sabe o que serão?

 

Na Líbia cria-se uma zona de exclusão aérea que é conseguida a tiro de canhão e deitando abaixo uma boa parte do país... e eu pergunto?, como vai terminar tudo isto?, numa nova guerra sem fim?

 

Kadafhi governa há 40 anos, era aceite por todos, ele e o seu petróleo, de um momento para o outro tornou-se o mau da fita e pelos vistos um alvo a abater. É claro que entre as nações árabes nada disto pode ser bem aceite... se até a mim me custa aceitar que seja assim que se cria uma zona de exclusão aérea.

 

Sabemos que o Petróleo é um bem muito cobiçado, principalmente pelos senhores da Europa, mas valerá mesmo a pena colocar mais umas achas para a a fogueira que alimenta o ódio de árabes por ocidentais?

 

Para onde vais Libía?

 

Jorge Soares

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:35

Espanha reduz velocidade máxima para poupar energia

Imagem do Ionline

 

Há pouco víamos o Khadafi a sorrir no telejornal, enquanto ele sorri para a televisão americana o povo morre nas ruas das cidade da Líbia, e à medida que aumentam os mortos e a inconsciência deste louco, o petróleo nos mercados internacionais vai aumentando na mesma proporção. Noticia terrível para todos nós que vivemos dependentes deste ouro negro que por um qualquer estranho designío da natureza, jorra de forma abundante em países que na sua maioria são governados por loucos, monarquias com forte tendência religiosa, fanáticos religiosos... ou uma estranha combinação de tudo isto. Assim de repente até parece que a natureza goza connosco.

 

Ao contrário do que se passa por cá, em que parece que estamos todos reféns de uma moção de censura que não vai a lado nenhum e de uma manifestação que à Rasca irá de certeza ter 4 gatos pingados.. que falar é bonito e fazer Gosto no Facebook é fácil,  mas manifestar dá trabalho, na vizinha Espanha já se começaram a tomar medidas para fazer descer a factura energética do país.

 

Como primeira medida foi reduzida a velocidade máxima nas auto-estradas de 120 para 110 Kms por hora e decretada a diminuição dos preços dos bilhetes de comboio em 5%. Calcula-se que isto faça diminuir entre 10 e 15 % no consumo dos combustíveis. Hoje ouvi o ministro Rubalcava dizer que iriam ser invertidos 12 milhões de Euros na substituição da iluminação pública para lâmpadas led de baixo consumo. E nós por cá? Nós por cá falamos de novas medidas de austeridade...

 

Mas eu percebo o governo, na prática, num país em que que os que andamos a 120 nas auto-estradas somos ultrapassados até pelos camiões, reduzir a velocidade máxima teria efeito zero, ninguém cumpre mesmo os limites. Há até quem ache que os espanhóis são parvos, porque descer a velocidade não diminui o consumo... juro, eu li isso algures num blog... devia ter perguntado ao senhor que carro é que ele tem.. porque no meu e nos que tive até agora, diminui mesmo.

 

E se em lugar de falar em novas medidas de austeridade se seguissem estes exemplos e se tomassem medidas?, medidas reais e de efeito imediato?

 

Jorge Soares

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:45


Ó pra mim!

foto do autor



Queres falar comigo?

Mail: jfreitas.soares@gmail.com






Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D