Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Imagem do Pontos de vista

 

Raif Badawi é blogguer e co-fundador do site Rede Liberal Saudita, segundo quem o condenou é culpado de: ser activista dos direitos humanos, ateu, criticar o poder dos líderes religiosos da Arábia Saudita e a sua ingerência na vida politica no país. Por estes crimes foi condenado a 10 anos de prisão e a receber 1000 chicotadas que deverão ser dadas em público ao longo de 20 semanas. A mulher e os dois filhos fugiram entretanto para o Canadá com medo de represálias por parte das autoridades sauditas e/ou fanáticos religiosos.

 

Há uma semana atrás recebeu as primeiras 50, na sexta feira passada, a pedido dos médicos da prisão,  foram adiadas as segundas 50 devido a que as feridas das primeiras ainda não tinham sarado o suficiente.

 

Tal como Raif eu sou blogguer, quem me lê sabe que sou ateu, que muitas vezes critico os lideres religiosos portugueses e mundiais, e é habitual criticar o governo e o presidente da república... felizmente vivo num país onde ainda existe liberdade de expressão, é possível pensar, ter opinião e onde os castigos com chicotadas foram abolidos algures no século XIX quando por cá terminou a idade média.

 

Há muita gente que não percebeu o porquê da gigantesca manifestação em Paris, ou o que significa "Je suis Charlie", aqui está a explicação. Tal como explicava há pouco à minha filha adolescente e blogguer recente, se cedermos agora, se formos na conversa idiota do "Eles estavam a pedi-las", o mais certo é que a seguir usem a força para calar os bloguers ocidentais, depois serão os jornais normais, e quando dermos por nós  terminaremos todos em silêncio com medo das chicotadas.

 

A liberdade de expressão é um bem precioso, a maioria das pessoas nem dá pela sua existência no dia a dia, em Portugal, como em muitos outros países, custou muitas vidas e muito sofrimento para poder ser conquistada, é portanto um direito do qual não podemos de forma alguma abrir mão.

 

A Amnistia Internacional já condenou esta pena e tem em curso uma campanha e uma petição que exige a libertação imediata do ativista.

 

#FreeRaif

Jorge Soares

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:59

Porque morreram 20 pessoas em Paris?

por Jorge Soares, em 11.01.15

jesuicharlie.jpg

 

O balanço (até agora) vai em 20 mortos em dois dias em Paris, jornalistas, policias, terroristas, gente inocente e anónima, 20 vidas que se foram, algumas quase em vivo e em directo via televisão para o mundo inteiro... e tudo isto foi por causa de uns cartoons? A sério?

 

A julgar por muito do que tenho lido (ver comentários a este post ou a este), ou  parece que há gente que acha que os culpados de tudo isto são mesmo os jornalistas que foram barbaramente assassinados no Charlie Hebdo, não fosse a sua insistência em ter opinião e em fazer dela humor e noticias, nada disto teria acontecido... sou só eu que acho estamos mesmo a bater no fundo?

 

Depois é engraçado ouvir a senhora Le Pen vir propor um referendo para se fechar as fronteiras francesas  à emigração... será que ele foi a única que não viu que os três terroristas mortos eram franceses e nasceram em França?... O que tem a ver o que aconteceu em Paris com a emigração?

 

Está mais que visto que o que aconteceu tem a ver com educação, ideias e princípios... ou a falta deles, fanatismo ...., mas quando uma senhora que pretende ser candidata a presidente francesa não é capaz de discernir algo tão evidente, o que se pode esperar do resto do mundo?

 

Porque morreram 20 pessoas em Paris? se calhar é porque a França e o resto do mundo tem um monte de cartoons a governar... não foi é de certeza por culpa dos cartoons do Charlie Hebdo.

 

Jorge Soares

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:10

O que é a liberdade de expressão?

por Jorge Soares, em 08.01.15

guerreassimetric.jpg

 

Def:

Liberdade de expressão é o direito de manifestar livremente opiniões, ideias e pensamentos. É um conceito fundamental nas democracias modernas nas quais a censura não tem respaldo moral

 

Entre as dezenas de comentários ao post de ontem, no mural do Facebook e um pouco por todo o lado, há quem ache que o que aconteceu ontem em Paris não foi um atentado à liberdade de expressão. Pelos vistos há muita gente que acha que apesar de aquilo ser tudo muito feio, quem semeia ventos colhe tempestades e os senhores do Charlie Hebdo não tinham nada que se estar a meter com deus e as religiões.

 

Há muitas formas de atentar contra a liberdade de expressão, mesmo que se possa olhar para tudo isto como um acto de vingança de dois loucos, não deixa de ser verdade que também foi um aviso para quem se atreve a ir contra as religiões, a prova disso está em que apesar de que morreram doze pessoas entre as quais vários jornalistas, hoje  um pouco por todo o mundo, e em especial nos Estados Unidos,  muitos jornais  não se atreveram a publicar as caricaturas do Charlie Hebdo.

 

Não só foi um atentado à liberdade de expressão como pelos vistos teve o efeito pretendido, afinal há muita gente que não é Charles Hebdo... principalmente gente  que não é capaz de pensar por si e de deixar de ter medo de religiões e fanatismos... é pena.

 

Para quem ainda não percebeu porque é que este tipo de coisas é intolerável desde qualquer ponto de vista, peço que reflictam na seguinte frase de Voltaire:

 

"Não concordo com uma palavra do que dizes, mas defenderei até à morte o teu direito a dizê-lo"

 

Jorge Soares

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:33

Miguel Relvas ou Bárbara Reis, quem mente?

por Jorge Soares, em 25.05.12

Bárbara Reis foi ouvida nesta quinta-feira na ERC

Imagem do Público 

 

 

A directora do PÚBLICO, Bárbara Reis, reiterou nesta quinta-feira de manhã, na ERC, que Miguel Relvas “fez uma pressão” sobre o jornal com diversas ameaças, e contou que o ministro lhe disse depois ter “humildade suficiente para pedir desculpa” pelo telefonema que fizera à editora de Política. 

 

O ministro Miguel Relvas negou nesta quinta-feira de manhã, na ERC, ter feito ameaças à jornalista do PÚBLICO que tem escrito sobre as "secretas" e disse que é ele próprio quem se sente pressionado por o jornal lhe ter dado 32 minutos para responder a uma pergunta. 

 

Eu ouvi o senhor ministro dizer que não, que não tinha feito ameaças nenhumas e que o pedido de desculpas foi só pelo tom indelicado do telefonema, algum tempo depois ouvi a senhora ali da fotografia, Bárbara Reis de seu nome e directora do jornal Público,  a dizer que sim, que tinha havido ameaças de divulgação de dados da vida privada da jornalista, alguém perguntou quais dados, ao que ela respondeu que isso não interessava naquele momento.

 

Eu ouvi, ninguém me contou... agora a questão é, quem está a mentir?, porque do que eu ouvi, alguém está a mentir...e mentir é muito feio.

 

Entretanto parece que começaram os danos colaterais de tudo isto, Adelino Cunha, membro do gabinete do ministro adjunto e dos Assuntos Parlamentares, Miguel Relvas, demitiu-se na sequência de terem aparecido nas investigações algumas mensagens telefónicas trocadas com o ex-espião Jorge Silva Carvalho.

 

Jorge Soares

 

PS: Aceitam-se apostas sobre o que dirá a ERC, aposto que eles entenderam outra coisa completamente diferente do que eu entendi.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:52

 

A lei da rolha no PSD

 

Imagem do HenriCartoon

 

Durante muito tempo havia 3 temas que eram tabu neste blog, o meu emprego, futebol e politica, mas eu sou uma pessoa com opinião e ter opinião e não falar de politica é difícil mesmo, principalmente num país como o nosso em que a politica é um tema constante.

 

Este fim de semana era difícil passar ao lado do congresso do PSD, não porque ache que neste congresso se estivesse a decidir o que quer que fosse, o momento actual deste partido é tão mau que dificilmente serão capazes de ter uma campanha em que consigam mostrar ao país o que quer que seja e muito menos capacidade de governar... e para amostra, basta ver as ultimas sondagens.

 

Curiosamente a única parte que ouvi em directo foi o discurso de Fernando Costa, um discurso directo e sem papas na língua. Para muitos terá sido boçal e até ofensivo, mas a verdade é que naqueles 15 minutos foram ditas muitas coisas, muitas verdades, muitas coisas que pelos vistos se diziam pelos corredores e pelos bares, mas que supostamente não se podiam dizer em publico. Há quem não tenha gostado, há quem o tenha achado inútil e baixo, eu achei o momento divertido.

 

Hoje li algures que não serviu para nada, não estou de acordo, os notáveis não terão gostado, mas os partidos são feitos principalmente pelo povo e não são aquelas dezenas de pessoas que estavam no congresso que vão eleger o próximo líder.. é o povo do partido, e eu diria que o povo gostou...e que o Passos Coelho deu um passo em frente.

 

Mas no fim, tudo isto deixou de interessar, por sugestão de  Santana Lopes, foi aprovada uma norma que impede os militantes de emitirem opiniões contrárias às da direcção do partido nos 60 dias anteriores às eleições, a lei da rolha em versão cor de laranja.

 

Curioso este PSD, sobretudo se nos lembrarmos da historia do défice democrático, e  das entrevistas aos jornalistas na comissão de ética, e da recente votação para a criação de uma comissão que vai averiguar a participação do governo numa suposta tentativa de controlo de meios de comunicação social. E é ainda mais curioso que o mentor tenha sido o Santana Lopes, quando há bem pouco tempo se falou inclusive de uma possível divisão do PSD e da fundação de um novo partido liderado por ele.. e quem mais que ele criticou as duas ultimas lideranças do partido? Será o PSD um partido com memória curta? Ou é mesmo o partido em que se suspenderia a democracia por um periodo de seis meses?

 

Também achei engraçadas as posições dos 4 candidatos a líder, os 4 são contra... ora, sendo os 4 contra, e estando todos no congresso com os seus apoiantes, como é que a norma passou com uma tão grande diferença de votos? Para candidatos a líder do partido, quer-me parecer que tem pouco poder de arraste.

 

 

Quem não viu o discurso de Fernando costa, pode ver aqui: a primeira parte, a segunda parte, a terceira parte

 

Jorge Soares

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:37

Mafalda e a liberdade de expressão

 

Os portugueses somos definitivamente um povo estranho,  de repente parece que a crise, o orçamento, até o futebol, foram engolidos por uma ideia.... liberdade de expressão... na realidade foi tudo engolido por uma providência cautelar e umas edições de um jornal.... mas a malta faz de conta que todo este barulho é pela liberdade de expressão.

 

Para um país que viveu 40 anos a só ler, ouvir ou ver o que era permitido por uns senhores que utilizavam um lápis azul para decidir o que se passava ou não em Portugal e  no mundo, esta conversa sobre liberdade de expressão é um pouco estranha mesmo.. e que o país quase pare por causa da divulgação contra toda a lógica e as leis, da transcrição de umas escutas telefónicas, é de pasmar.

 

Na blogosfera circulou uma petição em prol da liberdade de expressão e para grande espanto meu, foi convocada uma manifestação de bloguers para o dia da entrega das assinaturas. Está visto que os promotores da coisa não conhecem este mundo virtual. Pensar que os bloguers iriam abandonar a segurança que lhes dá o anonimato que é estar por trás de um computador, para ir para a praça publica fazer barulho é estar mesmo a leste deste mundo. Isto para já não falar de que possa partir da blogosfera, o meio que em si personifica a liberdade de expressão e a democracia da comunicação, uma iniciativa destas, um completo contra-senso.

 

Confesso que a mim o facto de que as escutas apareçam assim na comunicação social, ao sabor dos interesses do momento, já sejam estes do governo ou da oposição, de uma forma completamente impune e ao arrepio de qualquer lógica, me causa alguns escalafrios. Que justiça temos que permite que estas coisas aconteçam? Existe... bem, deveria existir, algo chamado segredo de justiça, e que algo se chama presunção de inocência, e o direito à preservação da intimidade, de um momento para o outro tudo isto é simplesmente esquecido e as escutas aparecem nos jornais, ou no Youtube e todos passamos de espectadores a juízes em causa alheia. Quem tem o azar de ter telefonado na hora errada para o número errado, passa a condenado na praça pública num piscar de olhos e sem direito a recurso. 

 

Mas grave grave, é que eu vejo muita gente a pedir explicações e responsabilidades sobre o que aparece transcrito nos jornais... mas ainda não ouvi ninguém a tentar pedir explicações e investigações sobre como é que as escutas que estão em segredo de justiça vão parar aos jornais.

 

Jorge Soares

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:47


Ó pra mim!

foto do autor



Queres falar comigo?

Mail: jfreitas.soares@gmail.com






Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D