Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



A ciclista de palmo e meio

 

Só passaram 15 dias... mas a verdade é que parece muitíssimo tempo... aqui que ninguém nos ouve, voltar à rotina do trabalho, ao telefone a tocar o tempo todo, aos colegas chateados no outro lado do mundo, aos servidores que teimam em dar chatice sempre a meio das noites do fim de semana em que sou eu quem está de prevenção...  não imaginam como isto está a custar.

 

Mas cá por casa a vida segue, este mês é a minha meia laranja quem está de licença... e sabem uma coisa, ela está pelos cabelos. Tenho a certeza que se  pudesse voltar atrás... era eu quem continuava de licença... já lhe disse que para a próxima não há cá 5 meses a 100%.. são mesmo os seis meses e eu tiro 5.... juro. É claro que a menos que o Euromilhões se apiade de mim... não vai haver próxima... mas pronto... fazemos de conta.

 

Lembram-se de aquele meu diário em que se falava de comida e no que eu concluía que são as mães quem faz das criancinhas uns diabinhos? este post, está completamente provado. Desde que está em casa com a mãe, a D. está cada vez mais terrível, reivindica, reclama, exige, faz umas birras enormes, trinta por uma linha ...da miúda alegre e amorosa que encontramos em Cabo Verde...resta muito pouco....

 

Nos meus tempos com ela as coisas eram muito mais calmas.... é claro que fazia birras, mas rapidamente percebia que assim não ia a lado nenhum e lá se resignava, mas cheira-me que ela encontrou o ponto fraco da mãe...e que faz gato sapato dela.. e acho que a mãe encontrou outra pedra no seu sapato... definitavamente as mulheres desta casa teimam em não se entender.

 

Jorge

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:42

Diário de um pai de licença parental ... fim

por Jorge Soares, em 03.06.10

A D. nas suas investidas manuais

 

Amanhã volto ao mundo real, foram dois meses diferentes, mas dois meses que definitivamente valeram  a pena. Dois meses em que estive mais tempo com os meus filhos, principalmente com a D. mas também com os dois mais velhos... e acho que eles vão ter saudades deste tempo.

 

A D. está uma criança mais confiante, mais crescida e mais viva, ainda há pouco a P. me dizia que ela perdeu uma série de tiques nervosos em que tínhamos reparado ainda em Cabo Verde; Deixou de roer as unhas, de coçar as orelhas com fúria até se magoar, já não coloca tantas vezes a mão na boca. O único que se mantém é o esfregar os pés até tirar os sapatos quando é contrariada.

 

É claro que nem tudo são rosas, com o ganhar confiança aumentam as birras e se ela já era teimosa no inicio, agora é muito mais, e determinada, não gosta de ser contrariada mas em contrapartida tanta determinação faz com que aprenda tudo muito rapidamente... incluindo os esconderijos das bolachas, e é muito independente, tanto que por vezes dá asneira, vejam o mail que a mãe enviou esta semana para o grupo de mail sobre adopção:

 

"Em Dezembro recebo uma foto da minha menina. Um docinho de caramelo...um olhar doce...triste e calminho. Cá pela familia diziam: tão querida...um docinho...tem o ar de um anjo, tão calminha, parece a serenidade em menina.

Pois é, 3 meses em Portugal a conviver com uma mana com lingua afiada e um mano terrorista e cá temos uma Pirata.

Ultimas piratarias:
- Quinta-feira: sobe para a cadeira, da cadeira para a mesa,alcança o frasco do xarope abre-o e bebe meio frasco. Resultado: 1 noite no hospital a ser monitorizada e a receber soro.
- Sábado de manhã: acorda sai da cama, pega nos óculos da irmã...resolve brincar com eles e transforma-os em 3 peças: resultado uns óculos novos para a mana."

 

O médico não queria acreditar que ela tivesse conseguido abrir o frasco do medicamento sozinha, nem bebido sem se sujar ou sujar o chão.... pois... A partir de amanhã vai ficar a mãe com ela mais um mês... e eu vou ter saudades deste tempo... muitas.

 

A licença parental é um direito que nos assiste a todos, e por muito que custe à maioria das mulheres, é muito importante que os homens a partilhem, eu já achava antes e agora, depois destes dois meses fantásticos com a minha filha, tenho a certeza absoluta. Pais não deixem de exigir os vossos direitos, eles crescem num instante e há coisas que devemos viver mesmo... o tempo de qualidade com os nossos filhos é algo muito importante.

 

Jorge Soares

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:26

Diário de um pai de licença parental

 

Não, este não é mais um dos meus posts de receitas.. ainda que o frango com cerveja de hoje até merecia o destaque.

 

Cá em casa já tivemos as duas versões, primeiro uma comilona que ainda não tinha um ano e já tinha sido colocada a dieta pelo pediatra e depois um que nos levava ao desespero porque utilizava todos os estratagemas para não comer, a comilona continua comilona mas está uma esquisita irritante, o irritante continua a irritar-nos e a comer que nem um pisco.

 

Quando conhecemos a D. ela era uma criança que comia tudo o que aparecia, enquanto havia comida na mesa ela comia, fosse o que fosse. Quando cá chegou descobrimos que: "Mamã, nã qué sopa".

 

Primeiro foi a sopa, depois foi o bacalhau, ela gosta de peixe, mas bacalhau... não é peixe... de resto, continua a comer praticamente tudo e cheira-me que o pediatra não vai gostar da relação peso altura... e vai recomendar cházinho em vez do sumo que ela adora e pede o tempo todo. Hoje estava a fazer fita com a sopa, mas mal viu chegar o frango à mesa... limpou a sopa num instantinho. Ela aprende rápido e já percebeu que quem não tem fome para a sopa... também não pode ter para o resto, que é a regra que impera cá em casa.

 

A semana passada descobri uma coisa engraçada, ao almoço estamos os dois sozinhos, normalmente vejo o que há no frigorífico que tenha sobrado dos dias anteriores, e tento acompanhar com vegetais cozidos ou gratinados; jardineira, macedónia e outras misturas que vou encontrando no supermercado. Ela costuma comer sempre tudo, sem esquisitices e pela mão dela... vegetais incluídos!

 

Um dos dias da semana passada a mãe veio almoçar connosco, já não me lembro o que comemos, mas o acompanhamento era uma mistura de vegetais que incluía entre outras coisas: feijão encarnado, cebola e pimentos vermelhos. Já tínhamos comido antes e ela tinha comido tudo.

 

Naquele dia decidiu que estava preguiçosa e queria ajuda da mãe, qual não foi o meu espanto quando no fim da refeição tinham ficado no prato, os feijões, a cebola e os pimentos.... Quando questionei a minha meia da laranja sobre o assunto a resposta foi:

 

-Ela não gosta!

 

-Mentira, quem não gosta és tu e por isso não lhos deste, ela comigo come sempre Tudo!

 

Quem  cria os maus hábitos nas criancinhas, quem é?... as mães é claro.

 

Jorge Soares

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:37

Diário de um pai de licença parental 3

por Jorge Soares, em 03.05.10

 

 

 

Passou um mês... e hoje foi dia de desastre... bom, mais ou menos. Normalmente vou buscar a D. à escolinha por volta das 10:45, tinha dado um passeio pelo sopé da serra, os campos estão cheios de flores e eu estava com esperança de apanhar alguns insectos... estava vento e de insectos nada.. este ano ainda não vi nenhuma joaninha. Fui buscar a miúda à escola e decidi ir dar uma volta pela baixa de Setúbal ... pelo caminho passámos pelo Jardim do Bonfim para ver os patinhos no lago.

 

Lá chegados ela queria ir para o escorrega, mas como os cisnes estavam na berma, eu decidi ir lá ter com eles, ela mal os viu correu para eles.. foi por pouco que não se enfiou de cabeça no lago.

 

Puxei da máquina para apanhar um pato que tomava banho mesmo em frente de nós, ela estava atrás de mim, estava eu nas fotografias às graças do pato, quando de repente ouço um splash.... olhei para baixo... os cisnes fugiam.. ela estava de pé dentro de água a olhar para mim indecisa sobre se havia de sorrir ou chorar.

 

Puxei-a para fora, estava molhada e cheia de restos de folhas mais ou menos até à ponta dos cabelos... continuava a olhar para mim com ar de admirada, sentei-a no carrinho, tirei-lhe os sapatos e vim para casa a toda a velocidade... é claro que foi necessário trocar a roupa da cabeça aos pés.

 

Dá para perceber que ela gosta de água, .... espero que o São Pedro deixe rapidamente de fazer caretas que a praia é mesmo ali... e para ela não há quente ou frio.. só há água, da última vez tive que a tirar do mar quando toda ela tremia de frio.. mas fez uma birra que não queria sair.

 

Jorge Soares

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:01

Diário de um pai de licença parental 2

por Jorge Soares, em 19.04.10

 

Divertida na rua

 

Este diário não tem tido muitas entradas.. na verdade não há assim tanto para dizer... tirando que o São Pedro decidiu fazer caretas e converteu uma ou duas tardes de praia em tardes de Youtube, se continua a chover eu daqui a uns dias sei de cor tudo o que é musica infantil... Aqui há uns tempos eu dizia que as crianças deveriam nascer todas de dois anos e meio... é uma altura em que são amorosas e divertidas.. e esta é uma criança amorosa e divertida... para além de teimosa como uma mula e de ideias fixas...  e para além de divertida é uma dançarina nata.

 

A D. é uma criança para quem a televisão não existe, para ela estar ligada no canal Panda, no telejornal ou desligada é exactamente a mesma coisa, ela simplesmente não olha.. é claro que a maioria de nós acha que isso é algo óptimo, eu também achava... agora já não sei muito bem. Mal vê alguém sentado ao computador, simplesmente corre e exige música.. e teimosa como é, não descansa até que está no youtube e com música a tocar.. e não vale a pena argumentar.. ela simplesmente não se cala nem se deixa convencer. A solução para poder olhar para as minhas fotografias e para os blogs.. foi colocar um computador ao lado deste, e ir ouvindo musica infantil...

 

De resto, passamos a maior parte do tempo na rua, a brincar nos jardins, ou a passear pela baixa de Setúbal, ou a tirar fotografias da cidade, ou a ver o rio e as gaivotas.. No Domingo alguém dizia que eu estou bem moreno... com uma miúda assim, que quer atenção o tempo todo a solução é ir para a rua, quando terminarem estes dois meses eu vou estar da cor dela... assim o São Pedro ajude.. que a praia é já ali ao lado.

 

Quanto ao resto, as coisas cá por casa correm lindamente, com os mais velhos mais ou menos comportados e sem muitos gritos nem guerras matinais... e até já ouvi dizer que eles me preferem a mim ... mas é melhor falar baixinho.. não vá a mãe ouvir. Os Xixis estão controlados e nos meus horários ainda não houve nenhum descuido, tenho-me fartado de passear pela cidade e este mês, sem contar as que estão na máquina, já vou em mais de mil fotografias...

 

E assim de repente.. pois.. é só isso.

 

Jorge Soares

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:31

Diário de um pai de licença parental: Dia 1

por Jorge Soares, em 07.04.10

 

Imagem minha do Momentos e olhares

 

Isto afinal não é assim tão mau... o dia correu relativamente bem, quer dizer, tirando o vidro partido e as solas de sapato gastas... mas isto promete..e de certeza que nos dois meses perco a barriga .... a médica vai ficar contente.

 

O dia por estes lados começa cedo, o despertador tocou às sete e meia, ao contrario do que era habitual a meia laranja levanta-e primeiro, veste-se,  e põe-se na alheta, não sem antes me lembrar que tenho que ver se a D. faz xixi ... é aqui que começa a minha parte.

 

A D. já está acordada e brinca com o N., acordo a R., mando-a levantar-se e vou tomar duche, à saída do duche a R. está sentada na cama, mando-a vestir-se, visto-me e vou vestir a D. a R. continua sentada na cama.... grito para que se vista. Já com a D. vestida, vou preparar pequeno almoço para todos...a R. já vestiu a blusa, só falta o resto.... e continua sentada na cama. Adivinhem quem perdeu a paciência?

 

8:45, pequenos almoços tomados... feito o segundo xixi da D., está na hora de a levar à escolinha e o N. ao ATL... pequeno detalhe, não encontro as minhas chaves... que a P. tinha levado com ela... não faz mal, a escolinha é ali em frente, o ATL é na baixa de Setúbal, junto ao rio... nada que não se resolva com uns 20 minutos para cada lado de passeio a pé.

 

Aproveito e levo a máquina fotográfica e depois de deixar o N. continuo o passeio... de fotografias nada, que a máquina tem a bateria descarregada..

 

10:45, Estou de regresso, hora de ir buscar a D à escolinha, lembrar de fazer xixi...  chego a casa; a R. está a ver televisão a uns 10 centímetros do televisor, mando-a sentar longe do televisor.

 

12:30 A R. vai almoçar com a avó, preparo o almoço para mim e para a D., almoçamos, xixi da D. ela vai dormir a sesta, chorou dois minutos e adormeceu. Ligam do ATL, supostamente as criancinhas estavam a dançar,  há sapatos a voar, o N. partiu um vidro e está para lá lavado em lágrimas. Não percebo porque é que as pessoas do ATL não conseguem impedir que as crianças façam uma guerra de sapatos... mas pronto. Aproveito a boleia da sogra e vou buscar a criança, que passa o resto do dia em casa a fazer trabalhos de casa..e não parte mais nada.

 

Quando voltamos a R. está a ver televisão.. sim, colada ao televisor... mando-a para trás...

 

15:00 a D. acorda...fazer xixi... a R. está a ver televisão, adivinhem?...  fartei-me, não há mais televisão, ela vai ler para o quarto. Ligam-me do emprego... qualquer coisa com contas de imobilizado ... pois.

 

Eu e a D. vamos brincar para o jardim, a R. continua a ler no quarto.. o N. faz trabalhos de casa.

 

17:00 Voltamos do Jardim, xixi da D., preparo os lanches, a R. aproveita e acende o televisor da cozinha.... adivinhem? dei um berro.. mais um!

 

Brinco com a D. até que a mãe chega. Vamos tomar café à rua, mais um passeio a pé.... definitivamente vou emagrecer....

 

19:00 Preparo o jantar.. felizmente a mãe trata dos xixis a partir daqui... não vi as noticias e não li blogs... pois, ser pai é um negócio ocupado..e amanhã é outro dia.

 

Jorge Soares

 

PS:Não se assustem, breve voltam os posts normais... acho eu!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:36

Diário de um pai de licença parental

por Jorge Soares, em 06.04.10

Diário de um pai de licença parental

 

Foi em Fevereiro do ano passado que aqui falei de licença parental e que assumi que eu queria gozar a minha parte da licença, foi neste post e neste outro. Bom, começou ontem, nos próximos dois meses vou estar em casa, a P. vai finalmente dedicar-se ao doutoramento e eu vou-me dedicar à D. à R. e ao N..

 

Curiosamente no Vila Forte, a Telma  Sousa falava deste assunto. A Telma refere uma noticia do Expresso que fala da mudança da lei e do aumento do numero de pais que decidiu gozar pelo menos uma parte da licença, numero este que passou de 605 em 2008 para mais de 12000 em 2009. Os números falam por si e mostram que algo está efectivamente a mudar.

 

Durante muito tempo a maternidade era utilizada como desculpa em muitas empresas na hora das contratações, os 4 meses em casa eram um obstáculo para muita gente e eram utilizados como motivo para uma discriminação injusta e que inclusivamente muitas vezes impedia a chegada de mulheres a lugares de responsabilidade para os que estavam perfeitamente capacitadas. Podemos supor que à medida que mais homens utilizem este seu direito, estes preconceitos serão colocados de parte.

 

Como dizia num dos posts do ano passado, trabalho numa empresa com muita gente jovem e com muitas mulheres, há sempre alguém grávido e o tempo todo há colegas de licença. Curiosamente, o único caso de que tive conhecimento de um colega homem que partilhou a licença, também foi um caso de adopção, uns corajosos que adoptaram dois irmão com 8 e 10 anos. Ao contrario do que refere a Telma no Post do Vila forte, eu não ouvi piadas por parte de ninguém e não me foi colocado qualquer problema.

 

Curiosamente as conversas que fui tendo ao longo dos últimos dois meses foram reforçando a ideia que já tinha desde o ano passado, a maior dificuldade para que neste tema seja atingida uma verdadeira igualdade de direitos não virá tanto das empresas e sim das mulheres, a maioria vê os 5 meses como um direito seu e que agora lhes está a ser retirado... o que não deixa de ser um contra-senso.

 

Nos próximos dois meses haverá muitos mais posts sobre crianças e sobre o dia a dia de um pai de licença parental... esperemos que não se torne rapidamente num diário de um pai desesperado.

 

Jorge Soares

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:05

Ainda sobre a licença parental

por Jorge Soares, em 08.02.09

Adopção

 

Depois de ler a generalidade dos comentários ao meu post da semana passada em que falava da licença parental, a conclusão a que chegamos é que existe em Portugal um problema de cultura e mentalidade. 

 

Na Sexta Feira voltei a ouvir o programa A Viagem da Cegonha, nesse dia, decidiram ir à procura de casais grávidos e perguntar o que achavam da partilha do período de licença parental e o que iam fazer.

 

Entrevistaram alguns casais e em todos os casos as mulheres dizem que vão tirar os 5 meses elas e nem colocam a hipótese de o marido o fazer. Depois as pessoas escusam-se nas dificuldades profissionais e na resistência das empresas em aceder a que os homens gozem a licença. Havendo uma das grávidas que disse que ela ia gozar os 5 meses mas que o país deveria criar mecanismos para obrigar as empresas a cederem..... 

 

A mim parece-me que o problema começa logo porque as mulheres sentem que é um direito delas e não estão dispostas a abdicar disso. Quanto aos mecanismos para obrigar as empresas a cederem os direitos das pessoas, esses mecanismos existem, a mesma lei que diz que a mulher tem direito aos 5 meses, é a que diz que os homens podem tirar uma parte.... ora, se conseguimos convencer as empresas a cederem os direitos à mulher, porque é que não as conseguimos convencer a ceder os direitos ao homem?

 

Todos criticamos as empresas que não contratam mulheres porque elas vão engravidar e ficar de licença, mas quando aparece uma possibilidade que vai fazer com que esta discriminação diminua, são as próprias mulheres que se aferram aos 5 meses... não percebo.

 

Como diz a Sónia Morais Santos na conclusão do programa, há um longo caminho a percorrer, mas disto tudo e de alguns comentários que recebi, a mim parece-me que o principal problema vai ser convencer as mulheres a abdicar de algum do tempo... porque para convencer as empresas,..existe a lei. 

 

Já agora, como podemos ler no Cocó na Fralda, a Sónia Morais Santos está grávida.... será que ela vai partilhar a licença parental?

 

Jorge

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:01

A viagem da cegonha e a licença parental

por Jorge Soares, em 03.02.09

A viagem da cegonhaA viagem da cegonha é um programa que passa na Antena 1 e em que é descrito o dia a dia da Ana e do Hugo, sendo que a Ana está grávida. Todo o programa gira em volta da gravidez e da criança que está por nascer. Costuma passar um pouco antes das 18 horas na altura em que estou a regressar a casa e  costumo ouvir.

 

Esta semana o tema tem andado à volta da licença parental. Dizia a Ana que ela nunca percebeu porque é que tem que ser as mulheres a ficar o tempo todo em casa com as crianças, acha que é muito injusto e não percebe porque é que deveria ficar 5 meses em casa e o pai ir trabalhar. É claro que todas as grávidas que  conheceu durante este tempo estavam exultantes porque iam poder ficar 5 meses em casa sem terem que trabalhar... coisa que ela definitivamente não entendia.

 

No caso deles, a Ana vai gozar 3 meses e o Hugo um mês, o ultimo mês. Casualmente hoje a Zaka falava do assunto neste post, no caso deles foi o pai que gozou toda a licença, e pelo que vou percebendo dos emails que recebo do grupo nos adoptamos, nos casos de adopção é muito comum os casais dividirem o periodo, sendo que há até casais que tiram periodos intercalares, um mês um, um mês o outro.... as pessoas que adoptam são mesmo especiais.

 

Eu trabalho numa empresa em que há muita gente nova, o tempo todo há mulheres grávidas ou colegas meus que acabam de ser pais. Nunca existiu um caso em que o pai partilhasse a licença.... e há bem pouco tempo um dos meus colegas referia que o chefe o tinha tentado convencer a não tirar os 15 dias de lei. Um destes dias deverá terminar a minha espera. De vez em quando a P. brinca com o assunto, é algo que nunca pensamos sériamente,  mas é algo que está aí.

 

Conheço a empresa onde trabalho e o meu chefe, sei que será algo que terá custos monetários e não só, mas o que é mais importante que os nossos filhos? Eles só são crianças uma vez, e nós trabalhamos a vida inteira....

 

Como dizia e muito bem a Ana, está na hora de mudarmos algumas mentalidades, até porque se os pais partilharem a licença começará a cair por terra aquela ideia de que as empresas preferem não contratar mulheres porque estas engravidam e ficam meses em casa.... 

 

E vocês, o que acham?

 

Podem ouvir os programas aqui:A viagem da cegonha

Jorge

PS:Imagem retirada de aqui:http://ww1.rtp.pt/multimedia/index.php?prog=3331

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:35


Ó pra mim!

foto do autor






Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D