Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



A greve geral vista desde Madrid

por Jorge Soares, em 14.11.12

Grevista ferido em Valência

 

Imagem do El País 

 

Por uma daquelas coisas da vida, hoje dia de greve geral, estou em Madrid, e a verdade é que se não fossem as noticias na televisão, eu diria que aqui... "No Pasa nada!"

 

Ontem ao fim do dia havia um aviso no elevador do hotel a chamar a atenção para o dia de greve e a pedir desculpa antecipada por qualquer transtorno, aviso infundado, porque pelo menos que eu desse por ela, estava tudo a funcionar normalmente, desde o pequeno almoço à limpeza dos quartos.

 

Vim a um evento organizado por uma empresa de Software, evento no que estão a participar mais de 11 mil pessoas que chegaram de todo o mundo. A logística necessária para fazer funcionar um evento destes é como podem imaginar, gigantesca, dezenas de autocarros que funcionaram o dia todo, centenas de pessoas no evento para: limpeza, catering, serviços... e tudo funcionou exactamente como no dia de ontem.

 

Na ida para o Local do evento, no parque de feiras de Madrid, e no regresso ao hotel verifiquei que havia muitíssimos táxis na rua, havia dezenas à espera de clientes na saída do local do evento, vi autocarros dos transportes urbanos de Madrid e pareceu-me que a maioria do comércio estava a funcionar... é verdade que tanto o local do evento como o hotel no que estou são longe do centro.

 

Entretanto na televisão falam de muitos feridos, de dezenas de detidos e de uma participação de 75% na greve.... 

 

Acabo de ouvir na Sexta, um dos canais de noticias cá do sitio, que a greve em Portugal teve pouca participação.... que não é bem o mesmo que se diz no Público.

 

Agora vou ali jantar... algures para os lados do Santiago Bernabéu segundo entendi, já volto com mais noticias frescas.

 

Jorge Soares

 

Update: O jantar num restaurante do Paseo La Castellana, bem perto do estádio do Real Madrid correu muito bem, parece que há noticias de guerra civil perto das cortes cá do sitio... mas deve ser mesmo lá, porque no resto da cidade... NO PASA NADA!!!!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:11

As Torres gémeas no dia do atentado
Imagem do Público

 

Hoje a meio da tarde, deitado ao sol do Alentejo, dei por mim a pensar que já estive em Nova Iorque, em Londres e em Madrid, três cidades que foram vitimas de atentados da Alqaeda. 

 

Estive em Nova Iorque em 2007, era Dezembro, estava muito frio, não fui ao Ground Zero e não me lembro de ter pensado nos atentados. Em Madrid foi diferente, talvez porque fui com toda a família e cheguei de comboio à estação de Atocha, um dos locais onde explodiram as bombas. Não falamos do assunto, mas lembro-me de ter sentido um friozinho no estômago.. O mesmo friozinho que senti quando cheguei a Londres há uns dias e fui de metro do aeroporto para o Hotel e nos dias seguintes quando ia no metro e dava por mim a lembrar-me do assunto.

 

É verdade que não deixamos de viver, mas somos humanos e  o que aconteceu nestas três cidades não deixa de nos marcar.

 

O Onze de Setembro para além do enorme número de vidas que ceifou, foi para todos nós o acordar para um mundo diferente, desde o fim da guerra fria que se vivia uma calma aparente. Os atentados acordaram-nos para a realidade e para guerras e receios diferentes.

 

Entretanto muitas coisas mudaram, de repente todos passamos a ser presumíveis terroristas com tudo o que isso significa: andar de avião é um suplício, visitar monumentos, museos e até igrejas implica quase sempre ser sermos vistos, revistados e vasculhados. Gastaram-se biliões de dólares em segurança, invadiram-se países, mudaram-se governos e regimes. Morreram perto de 3000 pessoas no dia 11 de Setembro de 2001, entretanto nas guerras geradas por esse dia, só americanos já morreram mais de 7000 soldados.Será que tudo isto nos faz sentir mais seguros?

 

A verdade é que não, como dizia alguém numa das muitas reportagens que vi ou li, andar numa cidade e ver soldados ou policias armados até aos dentes não nos faz sentir mais seguros, só nos recorda que o perigo é latente e que as ameaças podem vir de qualquer lado.

 

Um mundo seguro é aquele em que não são necessários policias armados até aos dentes, nem scanners corporais nos aeroportos, nem revistas nas entradas dos museus. A existência de tudo isto 10 anos depois da queda das torres só significa que todas as guerras, que todos os mortos que ocorreram entretanto, serviram para muito pouco, estamos muito longe, talvez cada vez mais longe, de ganhar a guerra ao terrorismo e ao terror que este semeia em todos nós. 

 

Jorge Soares

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:33

O mau perder de Mourinho

por Jorge Soares, em 24.08.11

O mau perder de Mourinho

Imagem do El Pais

 

Passei as passadas duas semanas no Norte de Espanha, lá onde o verão é suave, a paisagem é sempre verde, as praias são óptimas e desafogadas e a água do mar ronda os 23 graus, é um ritual ao que me habituei nos ultimos 15 anos e que será sem dúvida para repetir.

 

Não é segredo nenhum que sou um admirador confesso de José Mourinho, da sua capacidade de trabalho, da sua forma de estar e de enfrentar a vida, e do seu exemplo de sucesso para todos nós.

 

Tenho por hábito ler alguns dos jornais online espanhóis, não é para mim novidade a forma como Mourinho tem sido ao longo do ultimo ano uma autêntica pedrada no já de por si revolto mar do futebol Espanhol, mesmo assim, foi para mim uma surpresa o que senti e ouvi nas duas últimas semanas... e depois do comportamento do treinador Português na passada quarta feira, fico na dúvida se desta vez ele não terá perdido mesmo o controlo da situação.... se não estará na altura de rever a sua forma de estar.

 

Após o primeiro jogo era unânime a ideia de que o Real Madrid foi muito superior, jogou melhor e tudo fez para ganhar, o jogo da equipa e o trabalho do treinador nesse jogo, foram elogiados por todo o mundo...  O que aconteceu no segundo jogo, para além do génio de um pequeno (enorme) jogador Argentino, foi para mim o bater no fundo de Mourinho.

 

O que eu vi e senti durante estas semanas, é que para além de estar a colocar contra si todo um país, basta ver como numas Astúrias cheias de madrilenos em férias eram festejados os golos do Barcelona e os do Madrid, Mourinho não sabe perder, não consegue aceitar que o futebol é um jogo e que faz parte das regras desse jogo o ganhar e o perder.

 

Isto para já não falar que é muito diferente treinar um grupo de jogadores que joga por gosto pelo futebol e pelo desporto a treinar um grupo de estrelas mimadas e que se preocupam muito mais por passear o penteado e as beldades que pelo jogo e pela equipa. Alguém sabe o nome de uma única namorada do Messi ou se ele mora numa mansão ou num apartamento das Ramblas?

 

Sempre nos habituamos a ver a famosa arrogância de Mourinho como uma arma do seu arsenal, uma forma de centralizar em si a atenção e de tirar pressão dos jogadores.... o que constatei na última Quarta Feira é que Mourinho tem muita falta de humildade e senso comum e um enorme mau perder, dia a dia cria mais anticorpos em toda a sociedade espanhola, do simples adepto a jornalistas e comentadores, não há quem simpatize com ele e com o seu feitio... e  isto inclui os adeptos do Real Madrid e até alguns dos seus principais jogadores. 

 

Não gosto de ver o insucesso de ninguém e muito menos o dele, que como disse acima sempre vi como um exemplo, mas convém que ele perceba que nem sempre o clima de guerra é bom no futebol, há alturas em que se perde o controlo das batalhas e estas terminam por engolir o projecto. Ou as coisas mudam muito,... ou quer-me parecer que Mourinho vai passar o Natal em Setúbal e longe do Futebol.  

 

Jorge Soares

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:03

Estranhas coisas.

por Jorge Soares, em 18.09.07

Em Agosto estive no parque da Warner em Madrid, um sitio engraçado, sobretudo se o Mês de Agosto for como o passado e a temperatura andar pelos 20, 22 graus, que naquele sitio com os habituais 40 graus à sombra........

 

Estranhas coisas

 

Acho que todos conhecemos as máquinas automáticas, café manhoso, bolos com creme azedo, queques secos, sumos com excesso de açúcar, agua, bolachas, batatas fritas, etc,etc, etc, e claro, tudo caríssimo.

 

A fotografia que anexei foi tirada no parque da Warner, e chamou-me a atenção pelos produtos que podemos comprar, coisas estranhas, pelo menos para as máquinas que eu tinha visto por cá, e mais estranhos ainda se pensarmos que estava num parque claramente orientado a um publico mais infantil que adolescente, vejamos:

 

Na primeira fila de cima, aquela caixa em tons azulados é um alcoolímetro, isso mesmo, um aparelho para medir o grau de álcool no sangue, depois temos pacotes de lenços de papel e pensos rápidos, daqueles que as nossas mães utilizavam para as feridas.

 

Na segunda fila temos protector solar, factores 8 e 25...para o calor de Madrid, eu diria que 25 é pouco...mas os espanhóis lá sabem

 

Terceira e quarta filas, barras energéticas...bom, aguentar aquilo das 10 às 22, que é o horário do parque....é preciso energia.

 

Quinta fila, boiões de comida para bebé,..eles revistam as mochilas à entrada e não deixam entrar comida nem bebida.......nunca se sabe quando há um bebé com fome!

 

Sexta fila, chuchas para bebé...... e um produto para a higiene intima feminina, :-O!

 

Ultima fila, pensos higiénicos femininos.

 

Se esta máquina tivesse mais uma fila com uns antipiréticos......era perfeita, confesso que não vi os preços, mas atendendo aos das restantes coisas, estilo comida e bebida....imagino que fosse pelo menos o triplo do preço na farmácia.

 

Os espanhóis são uns gajos prevenidos, não acham?

 

Jorge

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:59

De volta à cozinha

por Jorge Soares, em 05.09.07

Estamos de volta.

 

Já disse aqui que eu gosto de chuva?, pois é, eu gosto de chuva, e sabem uma coisa, estas férias tive chuva, sabem aquela parte de caminhar na praia de que falei no ultimo post?, pois, não deu lá para muitas caminhadas, é que este ano, o verão nas Asturias foi assim, de modo que no fim, as férias terminaram nos arredores de Madrid, num parque de campismo agradável perto de aqui.

 

Confesso que eu pessoalmente prefiro o verde das Asturias ao amarelo acastanhado da Meseta Ibérica, mas as tapas também são boas e como podem ver pela fotografia, as miudas são giras... bom, não tanto como as minhas........

 

Também voltei à cozinha,.. mas não me apetece escrever mais, além disso estou irritado, não consigo inserir as minhas fotografias do google aqui... a receita de hoje fica para amnhã.

 

 

Jorge

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:23


Ó pra mim!

foto do autor



Queres falar comigo?

Mail: jfreitas.soares@gmail.com






Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D