Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



E agora Portugal?

por Jorge Soares, em 06.04.11

Portugal pediu ajuda externa.. e agora?

Imagem do Público

 

A dificuldade de Portugal em aceder “em condições de normalidade” ao financiamento dos mercados de crédito internacionais tornou-se “uma ameaça real” ao financiamento do Estado, do sistema bancário e da economia nacional....

 

Andávamos há uns dias no jogo do empurra, o governo chegou ao ridículo de sugerir que seria o Presidente da República quem deveria fazer o pedido de ajuda. A campanha eleitoral está instalada, a oposição aproveitou os últimos dias de funcionamento da assembleia da república para num claro acto de atirar areia para os olhos do povo, chegar finalmente a acordo para deitar abaixo normas e decretos do governo.  

 

O governo não soube tomar as medidas em tempo útil, estas  foram sempre tomadas com pelo menos um ano de atraso, mais que resolver foi tapando buracos.. até que o buraco era maior que ele.

 

O que se segue será muito duro, a chegada de dinheiro ao pais terá contrapartidas que irão incidir sobre todos nós, basta ver a crise social que se instalou na Grécia após a chegada da ajuda.... virá dinheiro sim, mas ninguém dá nada a ninguém. Estamos há dois anos sobre medidas de austeridade... mas virão mais, muitas mais.

 

Entretanto há coisas que são difíceis de perceber, no mesmo dia que pede ajuda exterior, o governo anuncia que suspende portagens nas SCUTS, não sei quantos milhões representa isto nas contas do estado, mas é mais uma medida eleitoral. Estas portagens foram uma exigência do PSD, o governo quis sacudir a água do capote... quanto a mim de forma completamente irresponsável..  porque em época de crise, todos os milhões contam.

 

Entretanto parece que a maioria da população ainda não percebeu a verdadeira situação do país, dizia-se hoje de manhã na Antena 1 que as viagens para as Caraíbas, Brasil e Cabo Verde, estão esgotadas para a época da Páscoa, e que os hotéis no Algarve prevêem reservas de quase 100%.... pois é, crise!

 

Jorge Soares

 

publicado às 21:41

João Jardim e os roubos d eigreja

 

Imagem do Público

 

É uma medida que no seu conjunto irá poupar ao estado umas poucas centenas de milhar de Euros.. umas gotas no grande oceano das contas nacionais.. mas que para nós, que temos todos os dias que apertar o cinto porque os impostos não param de aumentar, enquanto os salários na melhor das hipóteses não diminuem.. tem um enorme significado moral.

 

Porque é da mais elementar justiça que alguém que serve o estado porque quer, não receba a duplicar ou em casos como o de Cavaco Silva a triplicar. Era uma medida que já pecava por tardia.. assim como peca por muito tardia o facto de não haver um limite máximo para  o valor das reformas.

 

O estado decidiu que a partir de e Janeiro, não vai ser possível acumular salários do estado e reformas, como disse antes, uma medida da mais elementar justiça. Só vai para a politica quem quer, as pessoas devem encarar os lugares de governo como uma missão e não como mais uma forma de ter mais uma remuneração.. quem não está de acordo com esta medida tem uma saída muito simples, abandonar os cargos e passar a viver da reforma dourada que a maioria tem. Haverá de certeza muita gente capaz que estará disposta a ocupar os seus lugares.

 

Mas basta uma medida destas para saber o que faz correr as pessoas, como podemos ler nesta noticia do Público, há quem ache mal...Alberto João Jardim acumula uma reforma de 4400 Euros por mês com o salário de presidente de governo... e quem sabe com quanto mais em ajudas de custo... e acha que esta medida é um acto de gatunos. O estado está-se a preparar para roubar os pobres reformados que ocupam os cargos politicos.

 

Dr Alberto João, na minha terra costuma-se dizer que quem está mal, muda-se...  faça lá um favor à Madeira, ao País e a todos nós... não se deixe roubar ..  deixe lá o lugar a alguém que não  o queira pelo valor do salário.. alguém que queira governar pelo bem da Madeira e do país... pode ser? olhe que já vai tarde.

 

Jorge Soares

publicado às 22:01

Este senhor recebe 12000 Euros por mês... à nossa custa

Acumulação de pensões. Cavaco fora das medidas de austeridade

"O executivo de Sócrates vai apenas aplicar a medida para o futuro, ou seja, para os novos pensionistas e não para aqueles que já acumulam os vencimentos com pensões de reforma."

 

Medidas de austeridade a Lá carte era mesmo o que o país precisava nesta altura... o Sr presidente só recebe 5000 Euros de reformas mais 7000 de salário.. mais todos os gastos pagos... crise?, qual crise? ... a crise é só para os pobres.

 

Alguém me explica como é que uma medida que só vai afectar os novos pensionistas vai ter algum efeito no corte da despesa de que precisamos imediatamente? E aquela de cortar nos carros (Governo compra Mercedes de 131 mil Euros) ? Ora e se fossem todos à me....?

 

Jorge Soares

publicado às 12:58


Ó pra mim!

foto do autor



Queres falar comigo?

Mail: jfreitas.soares@gmail.com






Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D