Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Somos um atraso de vida!

por Jorge Soares, em 22.10.18

atrasodevida.jpg

 

Hoje de manhã numa das crónicas da  Antena 1 alguém contava que recebeu este mês uma multa de transito do dia 15 de Outubro de 2017, tinha sido apanhado em excesso de velocidade quando ia algures a tentar fugir do fogo numa estrada rodeada de incêndios por todos lados... vá lá a gente perceber porque é que a GNR estava a medir velocidades no meio da maior catástrofe que aconteceu em Portugal no século XXI.

 

Bom, eu em Agosto estive de férias em França, aluguei um carro e andei a visitar pequenas cidades algures entre Poitiers e Bordéus. Munido de GPS dei por mim a percorrer kms e kms de estradas rurais, estradas onde tão depressa temos limites de 90, como de 70 porque há um cruzamento, como de 50 porque há uma casa de cada lado, como voltamos aos 90... 

 

Quem me conhece sabe que na estrada eu não abuso, cumpro os limites e pronto, algures numa terça-feira às 15:35 não devo ter visto um sinal de 70 e continuei a 90 precisamente onde havia um radar. Na quarta às 14 eu tinha um mail da companhia de aluguer a avisar-me que tinha uma multa e que me iam identificar às autoridades francesas. 

 

Na segunda-feira seguinte quando estava no aeroporto de Bordéus à espera de entrar para o avião para voltar para casa, decidi ir ver o mail. Lá estava o mail das autoridades de trânsito francesas com os avisos e as instruções todas para carregar num link e caso o pretendesse, pagar a multa. 

 

Reparem, eu fui multado na terça às 15:35, na quarta às 14 já a companhia de aluguer tinha sido avisada, na segunda seguinte, menos de uma semana depois, já eu tinha sido notificado e tinha as instruções para pagar a multa... que era mais barata se eu carregasse no link no prazo de 7 dias. Tinha uma semana para o fazer , caso contrário o link deixava de ser válido e a coisa seguia o procedimento normal e claro, pagava o máximo.

 

França é muito maior que Portugal, a julgar pelos que eu vi, deve haver milhares e milhares de radares, milhões de multas .... eles demoraram uma semana a tratar da burocracia com a companhia de aluguer e a enviar-me a multa por mail com tudo pronto para eu entrar no link, escolher o modo de pagamento, colocar os dados e pagar. ... cá demoram meses e meses para enviar a multa e há milhares de multas que prescrevem porque não são tratadas a tempo.

 

Se os franceses conseguem, porque é que nós não conseguimos? Porque somos um atraso de vida!

 

Não é que interesse muito para o caso, durante uns segundos ainda pensei se carregava no link ou não, decidi que sim, se eles demoraram  menos de uma semana a tratar da papelada toda.. .de certeza que a multa me ia chegar a casa. Paguei 45 Euros, eles aceitam cartões de crédito, paypal, transferências, o que preferires.

 

Jorge Soares

 

PS:Hoje não caminhei ... mas escrevi um post.  

publicado às 22:49

Este senhor não estava na lista VIP...

por Jorge Soares, em 24.03.15

josevalente.jpg

 

Imagem do DN

 

O senhor ali da fotografia chama-se José Valente, tem 56 anos, está desempregado e agora ficou também sem casa.

 

José devia 800 Euros ao estado, como está desempregado não conseguiu pagar o IMI e portanto foi penhorado e a sua casa foi vendida em hasta pública.

 

É curioso, há umas semanas todos ouvimos falar das dívidas do senhor primeiro ministro à segurança social, que eram de uns milhares de Euros e não só prescreveram como nem sequer tiveram direito a aviso para o devedor. José não teve tanta sorte, no seu caso bastaram oitocentos euros para que a agora cega máquina do estado, levasse o pouco que restava da sua vida.

 

É claro que eu me congratulo com a eficiência do estado, sempre achei que um dos maiores problemas do país é a enorme quantidade de gente que apesar de poder, insiste em não cumprir com os seus deveres. Mas não percebo como é que o mesmo estado que parece ser  tão eficiente a cobrar a quem não tem (ver este outro caso), deixa depois passar fugas de milhões que terminam em contas da Suíça , ou como vimos no caso do primeiro ministro, deixa prescrever dívidas de milhares de Euros a políticos e representantes do estado que claramente podem pagar porque  gozam de todas as ajudas e prerrogativas inerentes aos cargos que ocupam ou ocuparam no passado.

 

A imagem com que ficamos de tudo isto é que cada vez mais somos um país de listas VIP de privilegiados  e dois pesos e duas medidas, um estado leve e suave para quem mais pode, um estado cego, pesado e implacável para quem menos pode.

 

A isto tudo devemos ainda juntar o ridículo de o estado, depois de pagar ao Banco o que faltava da casa, cobrar O IMI, as multas e as custas,  ter feito um lucro de mais de 17 000 Euros com a venda, lucro  que não se sabe muito bem para quem vai, sendo que pelos vistos para o seu legitimo dono não parece ir.

 

Será que um estado com os cofres cheios não será capaz de arranjar forma de evitar que se destruam vidas de pessoas por umas poucas centenas de Euros? 

 

Alguém me explica o que penhoraram aos senhores do BPN ou do BES que lesaram o estado em milhares de milhões de Euros.

 

Jorge Soares

publicado às 22:28

Bacalhau fresco

Imagem do Público 

 

Um dos pratos que costuma haver no refeitório onde almoço é peixe à Braz, um prato com o aspecto exacto do bacalhau à Braz mas que é confeccionado com outro peixe qualquer. Por vezes também há cogumelos à Braz, ou vegetais à Braz... é uma maneira diferente de comer batata palha... ideal para que não gosta de bacalhau... 

 

Parece que alguém copiou a ideia, em vez de à Braz fez com natas, colocou numa embalagem, congelou e pôs à venda no Jumbo... só que na embalagem estava escrito Bacalhau com natas, não peixe com natas.

 

Hoje era noticia no DN, o bacalhau com natas com marca branca do Jumbo era afinal, peixe Caracol com natas... não percebo como é que não se tinham lembrado de analisar os preparados congelados de bacalhau, se há quem venda cavalo ou porco por vaca, era mais que evidente que haveria quem vendesse peixe com sal por bacalhau...

 

Na mesma reportagem do DN dizia também que temos um dos melhores sistemas de fiscalização do mundo... pois, deve ser por isso que quem encontrou o peixe caracol foi o DN e não a fiscalização.

 

Já agora, alguém sabe quais foram as  multas aplicadas a quem vendia carne de Cavalo em vez de vaca? Ou porque é que continuamos a ver carne picada aos montes nas montras dos talhos das grandes superfícies mesmo depois daquela história dos nitrofuranos e contaminações fecais na carne picada dos talhos? Ou porque que é que talhos e grandes superfícies não são obrigadas a ter a máquina de picar a carne à vista dos clientes?

 

Há uns tempos compramos carne numa grande superficie e mandamos picar, a funcionaria pesou a carne,  pegou nela e foi para dentro das instalações, demorou imenso tempo... no dia a seguir uma parte da carne estava com a cor e o aspecto do fiambre... porquê?

 

Não era interessante que as autoridades publicassem as coimas que são aplicadas a quem comete estas fraudes contra a economia e a saúde pública?.. O que será que vai acontecer ao Jumbo depois desta historia do peixe caracol em lugar do bacalhau? Eu não consigo deixar de pensar que a ideia de impunidade em que fica tudo isto é um incentivo para quem quer fazer dinheiro à custa do bolso e mesmo da saúde dos portugueses.

 

Jorge Soares

publicado às 22:20

Ascendi OM - Organização Mafiosa

por Jorge Soares, em 31.03.12
Ascendi roubo à mão armada

 

 

O seguinte texto que é da autoria de Susana Varela, foi retirado do Facebook, vinha acompanhado pela imagem acima.... leiam com atenção, a maioria de nós tinha pago 117 Euros quando o valor real, multa incluída, é de 18.

 

Gostaria de esclarecer alguns pormenores, tendo em conta comentários que li, aqui e em shares que fizeram:

1) Não concordo com o pagamento das Scut, mas o meu objectivo aqui não é sequer contestar a legitimidade do mesmo. Pretendo apenas expôr o abuso por parte da Ascendi na cobrança de portagens e sucessivas multas.

2) Estes 3,5€ iniciais tentei pagá-los numa payshop, como habitualmente faço em tempo útil, (leia-se 5 dias úteis). Acontece que por várias vezes não estão disponíveis no sistema as passagens realizadas.

3) Quando se paga numa payshop, não aparece o registo das passagens, ou seja não há correspondência ao dia e hora sobre as passagens cobradas. É utilizado um sistema arcaico e ineficiente tipo a minha matricula é esta, veja aí quanto é que devo.

4) Um mês depois destas passagens recebi uma multa de cerca de 18€ via carta registada, com 15 dias úteis para pagar via multibanco, foi o que tentei fazer para evitar problemas (embora contactasse a Deco posteriormente, para apresentar queixa deste comportamento abusivo). Ao fazer o pagamento via internet, este foi recusado, tendo ainda 8 dias úteis pela frente.

5) Após este episódio contactei a Ascendi sucessivas vezes via telefónica, nunca tendo conseguido falar com um operador, mas sempre com uma gravação que informa que não é possivel atender e pede para deixar o nº de telefone, para o qual entrarão em contacto num prazo de 48 horas. Depois de dezenas de tentativas e euros gastos, nunca me telefonaram de volta.

6) Eis que passados 6 meses recebo esta multa, por não ter pago!!! Relembro que tentei pagar dentro do tempo útil quer o valor inicial, quer a primeira multa.

7) Dirigi-me à Ascendi para tratar do assunto pessoalmente, levando a factura do telefone para comprovar os telefonemas e um print da tentativa de pagamento multibanco via internet que foi recusado. Recebi hoje uma carta da Ascendi, a dizer que afinal “só” tenho de pagar os 18,13€ da primeira multa e que o pagamento via multibanco não foi possível devido a uma anomalia. Se eu não tivesse reclamado tinha pago o valor mencionado na factura acima.

8) O funcionário da Ascendi informou-me que era melhor pagar nos CTT e que à Sexta-feira era o melhor dia pois havia menos probablidade de haver falhas. 

Se as payshops são falíveis, então porque é que são consideradas como uma forma de pagamento? 
Desde quando é que há um dia mais favorável para o pagamento e onde é que essa informação é oficial ou tem alguma lógica? 
Porque é que só estão disponiveis 5 dias para pagar, sendo que nos 2 primeiros nunca está disponível? 
Porque é que existem custos administrativos de 0,31€ por pórtico e não por pagamento? 
Porque é que não são enviadas facturas mensalmente à semelhança de outros serviços?

9) A única “lógica” que encontro nisto tudo é obrigar os utilizadores das SCUT a adquirirem a Via Verde ou o DEM para evitarem “chatices”, e a isto eu dou outro nome – Chantagem. Relembro que foram as providências cautelares que atrasaram a início da cobrança nas SCUT, devido às dúvidas na legalidade do sistema de chips no que diz respeito à protecção de dados. Foram depois criadas as alternativas de pagar via payshop ou CTT.

10) Mais, tenho mais 2 facturas com multas que não consegui pagar, mas como utilizei uma ATM, nao tenho como provar que o pagamento foi recusado (estou a tentar que o banco forneça essa informação). Nestas reclamações a Ascendi diz que tenho de pagar, (é a minha palavra contra a deles)

11) Como este caso há muitos que pude comprovar através da ida à Ascendi e de pessoas conhecidas.

12) O carteiro da minha zona costumava entregar as cartas numa moto, agora leva uma carrinha dado o volume das cartas da Ascendi. (Não é anedota, foi o que o carteiro me disse, que entrega entre 100 a 200 cartas da Ascendi por dia).

13) Já sei que podemos ir a correr tirar a Via Verde ou o Dem, para não termos problemas. A isso eu chamo ceder à chantagem implícita nestes processos. Independentemente dos utilizadores decidirem por esta opção, é injusto o que se está a passar, um abuso e deve ser denunciado. Nada justifica que 3,5€ se transformem em 205€ em 6 meses - são 1680% de acréscimo!!

14) Se agirmos isoladamente e pagarmos estas multas absurdas, estamos a ceder e a deixar que esta situação injusta se instale com a maior das naturalidades. Estes casos têm de ser denunciados, pois ainda por cima têm o aval do estado que ameaça com penhoras da viatura a quem não pagar as portagens/multas.

15) Por último, não quero fazer disto um caso pessoal, mas sim apelar à comunidade que se una contra o que considero ser uma tirania.

 

Susana Varela.

publicado às 09:40

Noticias do país real...

por Jorge Soares, em 01.02.12

20000 Euros de multa por tapar um buraco

 

 

Há noticias que valem por si só, dispensam comentários, esta é uma delas:

 

A Inspecção Geral do Ambiente e do Ordenamento do Território aplicou uma coima de 20 mil euros a um homem por tapar, com material de obras, um buraco com um metro quadrado num caminho em terra batida. ... Tratavam-se de "pequenos fragmentos de betão, tijolo, rochas, ladrilhos e materiais cerâmicos" colocados num buraco de um metro quadrado localizado num caminho agrícola em terra batida de acesso a várias propriedades situadas em Cortes Cavalos - Lezírias, freguesia de Azambuja. 

 

A sério? 20 mil Euros?...

 

Se tapar um buraco dá direito a multa de 20000 euros, quanto tem que pagar os senhores das suiniculturas da zona de Leiria que converteram a Ribeira dos milagres e o rio Lis nos maiores esgotos a céu aberto do país? E os todos os senhores das industrias que converteram o Ave no rio mais poluído da Europa? Pois.. é verdade, esses não pagam nada... por incrível que apreça nunca conseguem encontrar a fonte da poluição...devem andar ocupados à cata de quem tapa os buracos nas estradas esburacadas.

 

Outra que também não merece comentário:

 

Sem-abrigo condenado a multa de 250 euros pelo furto de polvo e champô


É claro que a esta altura há muito que ninguém põe a vista em cima ao senhor em questão.. afinal, é um sem abrigo... é bom recordar que o este  tentou levar de um daqueles supermercados que mudou a sede para a Holanda, artigos no valor de 25 Euros e que foi apanhado na tentativa, pelo que não levou nada.

 

Resta saber, quanto mais dinheiro dos nossos impostos vai gastar a justiça a tentar encontrar o senhor para que este pague.... e o que vai fazer quando se confrontar com a realidade de que um sem abrigo não tem posses para pagar uma multa de 250 Euros... se tivesse não tentava levar comida do supermercado sem pagar.

 

E pronto, é este o (triste) país real em que vivemos

 

Jorge Soares


publicado às 22:53


Ó pra mim!

foto do autor



Queres falar comigo?

Mail: jfreitas.soares@gmail.com






Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D