Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Caminhos

por Jorge Soares, em 14.08.11

Caminho

Imagem Minha do Momentos e Olhares

 

À porta da minha rua, passam-se passos passajados. É o tráfego das linhas na encruzilhada do peão. De vez em quando, oiço um desvio. É um criança que cresce no desvario do pião.

 

Ai, menino, quem me dera que fosses a certeza deste íngreme caminho!

 

Lídia Silva

 

Setúbal, Abril de 2010

Jorge Soares

publicado às 12:23

25 de Abril sempre

por Jorge Soares, em 23.04.11

A formiga no carreiro

 

 

A formiga no carreiro
Vinha em sentido cantrário
Caiu ao Tejo
Ao pé dum septuagenário
Larpou trepou às tábuas
Que flutuavam nas àguas
E de cima duma delas
Virou-se prò formigueiro
Mudem de rumo
Já lá vem outro carreiro
A formiga no carreiro
Vinha em sentido diferente
Caiu à rua
No meio de toda a gente
Buliu buliu abriu as gâmbias
Para trepar às varandas
E de cima duma delas

Virou-se prò formigueiro
Mudem de rumo
Já lá vem outro carreiro
A formiga no carreiro
Andava a roda da vida
Caiu em cima
Duma espinhela caída
Furou furou à brava
Numa cova que ali estava
E de cima duma delas
Virou-se prò formigueiro
Mudem de rumo
Já lá vem outro carreiro
Zeca Afonso
Setúbal, Abril de 2010
25 de Abril sempre
Jorge Soares

publicado às 17:19

Sim, talvez tenham razão.

por Jorge Soares, em 22.04.11

A pequena papoila

Imagem minha do Momentos e Olhares

 

 

Sim, talvez tenham razão.
Talvez em cada coisa uma coisa oculta more,
Mas essa coisa oculta é a mesma
Que a coisa sem ser oculta.

Na planta, na árvore, na flor
(Em tudo que vive sem fala
E é uma consciência e não o com que se faz uma consciência),
No bosque que não é árvores mas bosque,
Total das árvores sem soma,
Mora uma ninfa, a vida exterior por dentro
Que lhes dá a vida;
Que floresce com o florescer deles
E é verde no seu verdor.

No animal e no homem entra.
Vive por fora por dentro
É um já dentro por fora,
Dizem os filósofos que isto é a alma
Mas não é a alma: é o próprio animal ou homem
Da maneira como existe.

E penso que talvez haja entes
Em que as duas coisas coincidam
E tenham o mesmo tamanho.

E que estes entes serão os deuses,
Que existem porque assim é que completamente se existe,
Que não morrem porque são iguais a si mesmos,
Que podem mentir porque não têm divisão [?]
Entre quem são e quem são,
E talvez não nos amem, nem nos queiram, nem nos apareçam
Porque o que é perfeito não precisa de nada.

 

Alberto Caeiro

 

Pequena papoila que cresceu entre as pedras da calçada portuguesa

Setúbal Abril de 2010

Jorge Soares

publicado às 21:16

A minha papoila

Imagem minha do Momentos e Olhares

 

Lembram-se deste post?, eu não vi o debate de ontem entre Fernando Nobre e Francisco Lopes,  há pouco estava a ouvir na Antena 1 um programa sobre o assunto e as opiniões de todos os participantes foram unânimes, Fernando Nobre é de uma arrogância extrema.

 

Jorge Soares

publicado às 14:59

Sim, talvez tenham razão

por Jorge Soares, em 19.08.10

Pequena Papoila nas pedras da calçada

 

Imagem minha do Momentos e olhares

 

 

Sim, talvez tenham razão.
Talvez em cada coisa uma coisa oculta more,
Mas essa coisa oculta é a mesma
Que a coisa sem ser oculta.

Na planta, na árvore, na flor
(Em tudo que vive sem fala
E é uma consciência e não o com que se faz uma consciência),
No bosque que não é árvores mas bosque,
Total das árvores sem soma,
Mora uma ninfa, a vida exterior por dentro
Que lhes dá a vida;
Que floresce com o florescer deles
E é verde no seu verdor.

No animal e no homem entra.
Vive por fora por dentro
É um já dentro por fora,
Dizem os filósofos que isto é a alma
Mas não é a alma: é o próprio animal ou homem
Da maneira como existe.

E penso que talvez haja entes
Em que as duas coisas coincidam
E tenham o mesmo tamanho.

E que estes entes serão os deuses,
Que existem porque assim é que completamente se existe,
Que não morrem porque são iguais a si mesmos,
Que podem mentir porque não têm divisão [?]
Entre quem são e quem são,
E talvez não nos amem, nem nos queiram, nem nos apareçam
Porque o que é perfeito não precisa de nada.

 

Alberto Caeiro

 

Pequena papoila que cresceu entre as pedras da calçada portuguesa

Setúbal Abril de 2010

Jorge Soares

publicado às 19:57

Coisas pequenas.... belas!

por Jorge Soares, em 09.05.10

Hoje não me apetece pensar muito.. deixo a palavra às imagens.

 

O mundo é feito de coisas pequenas, coisas belas e pequenas

 

 

 

 

 

Imagems do Momentos e olhares

 

A natureza é maravilhosa... mesmo....

 

Jorge Soares

publicado às 22:13

Já tenho idade para deixar de ser inocente II

por Jorge Soares, em 14.04.10

Plágio é crime

 

Retirado de http://www.blogdicas.com.br/fotos/2007/08/o-plagio-de-textos-dos-blogs.jpg

 

Foi há mais de um ano que a Cigana escreveu um post que tinha como titulo Plágio é Crime, um post em que se falava de  plágio na blogosfera e na internet, na altura achei aquilo um exagero e os comentários deram para uma saudável troca de ideias em que escrevi coisas como estas:

 

Na verdade é coisa que não me preocupa .. também não sei quem haveria de me querer plagiar! ou "Eu tenho um blog de fotografias.... de vez em quando olho para os logs e vejo que me chegam pessoas de blogs que eu nem sabia que existiam... vou lá e é alguém que utilizou uma das minhas fotografias e colocou o link .... devo ficar chateado ou orgulhoso?"

 

Quando contei à Cigana o que se estava a passar, ela não perdeu tempo a atirar-me com o post e os meus comentários da altura, hoje a Rita Tomás  nos comentários ao ultimo post fez o mesmo e quanto a mim muito bem... porque eu mereço.

 

Há quem diga que eu tenho mau feitio, que por vezes tenho, mas se há algo que sei reconhecer é que não sou dono da verdade e que a vida me pode ensinar que há mais formas de olhar para ela para além da minha... e desta vez, eu reconheço... se calhar não sou assim tão mau fotógrafo... e por vezes, o facto de alguém nos plagiar ou abusar da nossa boa vontade, pode ser motivo de raiva.... mesmo que como o António e a Sofia repetiram, esta não tenha sido bem uma situação de plágio.... foi mesmo inocência minha... ou como dizia a Flor... é a consequência de sermos bonzinhos.

 

Eu já disse isto nos comentários, mas vou repetir aqui para quem não leu, acreditem ou não, eu passei dois dias a remoer esta situação... e até dormi mal. No topo do blog há uma frase lapidar  "Viver é uma das coisas mais difíceis do mundo, a maioria das pessoas limita-se a existir!", limitar-me a existir teria sido deixar que utilizassem a fotografia depois daquele mail deles que considerei arrogante, seria passar o próximo ano a ver a minha fotografia em tudo quanto era sitio e em lugar de orgulho, sentir raiva pela arrogância deles... um ano é muito tempo..e eu gosto de sentir orgulho das coisas que faço... se dão raiva, é porque estão erradas... só me restava viver..e viver teria que ser dizer o que me ia na alma.. e foi isso que fiz.

 

Não vou discutir aqui quem tem razão ou não, quem leu o post de ontem percebeu que deixei a porta aberta a autorizar a utilização da fotografia, bastava que falassem comigo e discutissem as condições.. e cedia-a de forma gratuita... sim, eu sei, sou lírico e não aprendo nada... mas sou eu.

 

Consequência imediata de tudo isto... como dizia a minha meia laranja esta tarde, estou a fazer que paguem justos por pecadores, mas não só alterei o disclaimer do Blog, como coloquei código que vai dificultar a copia das fotografias.. não quero voltar a passar por isto... continuarei a ceder as fotografias a quem mas pedir ... mas definitivamente, a verdade é que vivemos num mundo em que quem dá a mão fica sem o braço...e está na altura de eu deixar de ser bonzinho.

 

Não quero deixar de referir  o Post do Shark sobre este assunto e estas suas palavras que subscrevo na totalidade:

 

E é mais um exemplo de como nós, autores que blogam, temos mesmo que nos pôr a pau com as utilizações (aproveitamentos?) possíveis do trabalho que publicamos de borla e, na maioria, sem a redoma do estatuto de figura pública, acautelando o necessário enquadramento de tudo quanto publicamos numa legislação que evite os abusos ou, como parece ser o caso, a simples falta de cortesia.

 

A blogosfera é feita de muitas coisas, e há pessoas que todos os dias criam coisas válidas... coisas que merecem o respeito de todos.

 

E sim, eu mereço mesmo que me atirem as minhas palavras naquele post da cigana pela cabeça abaixo.

 

Jorge Soares

 

PS:Para quem gosta de papoilas... vejam só estas belezas

publicado às 21:37

A minha Papoila e a candidatura do Fernando Nobre

 

O que tem de comum um livro brasileiro sobre espiritualidade e a candidatura do Fernando Nobre à presidência da República? ambas utilizam uma fotografia minha que foi escolhida do meu blog Momentos e Olhares,  o que tem de diferente? de certeza que muitíssimas coisas, mas além de todas as outras tem de diferente que o autor do livro, antes de o publicar teve a delicadeza de me enviar um mail em que me perguntava se poderia utilizar a fotografia.... a comissão executiva da candidatura do senhor Fernando Nobre, pegou na fotografia, colocou-a online na página do facebook e depois enviou-me um mail a informar.

 

É verdade que eu tinha no blog um disclaimer onde autorizava a utilização das fotografias sempre que fosse referenciado o autor e o blog... mas vamos lá ver. Eu acho que existe alguma diferença entre utilizar uma fotografia para ilustrar um post num blog ou num trabalho escolar, e acreditem, já houve estudantes que me contactaram a pedir autorização, e utilizar a fotografia como símbolo de uma campanha para a presidência da república com tudo o que isso significa.

 

Para mais quando existe uma enorme diferença entre ceder a imagem e ceder os direitos de autor, será que o disclaimer que estava no blog lhes permite por exemplo fazer e vender merchandasing da campanha com a imagem?

 

Ainda para mais, quando eu enviei um mail a indicar que achava que me deveriam ter contactado antes e a perguntar onde estão as referências ao autor, eles respondem assim:

 

"A referência ao seu blog está feita desde o momento em que foi editada a NOTA  onde se define os símbolos da candidatura. Veja por favor na pagina da candidatura no separador NOTAS.
Não o contactámos previamente dado informar no seu blog que as fotos eram livres de serem utilizadas agradecendo-se no entanto referência à origem da foto. Não havia qualquer pedido de contacto prévio.Se houvesse, teria sido escrupulosamente  respeitado. Cumprimos na íntegra o seu legítimo pedido.

cumprimentos

C.Executiva da Candidatura de Fernando Nobre"


Sou eu que estou de pé atrás, ou há aqui alguma falta de humildade e até arrogância?

 

Li algures que a campanha deste senhor é a primeira verdadeiramente democrática desde o 25 de Abril.. pois, para amostra, muito democráticos com esta atitude.

 

Pois meus senhores, lamento muito, mas a fotografia é minha e nas condições actuais e a menos que decidam falar comigo sobre a forma como poderei ceder os direitos, não podem utilizar a minha fotografia na campanha.

 

Deixo também o aviso a todos os apoiantes do senhor e mesmo aos meios de comunicação social, não autorizo a utilização da imagem a ninguém, e tomarei todas as medidas necessárias para fazer valer os meus direitos.

 

E não é de dinheiro que estou a falar, eu não quero vender os direitos da fotografia, também não se trata de politica, não sou nem nunca fui filiado em partido algum, nunca apoiei nenhum candidato a cargo algum,  nem está em causa a pessoa do Sr Fernando Nobre. Bastava terem tido a humildade de reconhecer o erro e admitirem que sim, que me deveriam ter contactado antes, e eu teria esquecido o assunto, para mim a fotografia é um Hobbi, não vivo nem pretendo viver disso, trata-se de dignidade e respeito pelo trabalhos dos outros.

 

Update: Conforme foi publicado na página do Facebook da campanha, retiraram a fotografia e não a vão utilizar,  este é portanto um assunto encerrado

 

Jorge Soares

publicado às 21:27


Ó pra mim!

foto do autor



Queres falar comigo?

Mail: jfreitas.soares@gmail.com






Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D