Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Paulo Bento

 

Fim da linha para Paulo Bento, sinceramente não entendo o porquê desta decisão agora, se era para trocar de treinador devia ter sido logo após o mundial. Assim o que parece é que os dirigentes federativos que tinha prolongado o contrato ao seleccionador, não tiveram valor para o despedir logo após o fracasso do mundial e estavam à espera do primeiro tropeção para o empurrar.

 

Foi Paulo Bento que conseguiu classificar a selecção para o Euro 2012 quando já poucos acreditavam que seria possível, foi Paulo Bento que levou a selecção ao terceiro Lugar nesse Europeu e que só foi eliminado nos penalties pela selecção que era campeã do Mundo e da Europa, foi Paulo Bento que levou a selecção ao mundial.... não me parece que um jogo menos conseguido seja motivo para despedir um treinador que já mostrou mais que uma vez que é competente e que consegue bons resultados.

 

Como já disse aqui, não me parece que o problema da selecção esteja no treinador, parece-me sim que o problema está nas expectativas demasiado elevadas dos portugueses e principalmente na falta de um leque de jogadores com a qualidade suficiente para levar a que a selecção Portuguesa seja mais que uma boa equipa.

 

Com um Cristiano Ronaldo em forma a selecção portuguesa é capaz de atingir patamares de qualidade acima da média, sem o melhor do mundo não passa de uma boa equipa mas que dificilmente será capaz de grandes feitos, é essa a realidade e dado o estado das coisas nos clubes portugueses, dificilmente isso irá mudar nos próximos tempos.

 

Como era de esperar, já começou a dança dos nomes, Fernando Santos, Jesualdo Ferreira, Victor Pereira, de quem sou um admirador confesso... aposto que nos próximos dias irão parecer muitos mais, ... para mim qualquer destes três seria um bom treinador, mas se me perguntassem eu apontaria Rui Vitória, especialista em fazer em Guimarães grandes equipas só com jogadores jovens e a prata da casa.

 

Jorge Soares

publicado às 22:00

Paulo Bento

 

Imagem de A Bola 

 

É verdade que a derrota contra a Albânia foi um balde de água fria para muita gente, quem vinha criticando a selecção, Paulo Bento e a federação desde a eliminação precoce do mundial,  ganhou agora motivos para deitar cá para fora tudo o que lhe vai na alma e pelos vistos há muita gente com muita coisa para dizer.

 

A selecção portuguesa vale mais do que aquilo que se viu ontem, tem jogadores e qualidade para bater esta Albânia e atrevo-me a dizer que em dez jogos ganharia sempre sete ou oito, mas também é verdade que não tem o valor que tem conseguido mostrar nos últimos 15 anos, do meu ponto de vista o anormal não é acontecerem estas derrotas, o anormal é uma selecção com a base de recrutamento que há em Portugal e com um campeonato em que fim de semana sim, fim de semana também, 80% dos clubes tem mais estrangeiros que portugueses a jogar, possa ter chegado por várias vezes a estar entre as cinco primeiras do mundo.

 

A verdade nua e crua é que para além dos 25 ou 30 que tem sido chamados por Paulo Bento não há mais por onde escolher e apesar de haver quase sempre nas selecções mais jovens jogadores que prometem ter um futuro risonho, na altura em que deveriam chegar às equipas principais,  há sempre um brasileiro, um uruguaio, um argentino, um croata, um sérvio, um colombiano...., que apesar de ter a mesma idade e muitas vezes ter provado bem menos que o português,  é o estrangeiro  o escolhido e a jovem promessa que até tem largas dezenas de internacionalizações pelas selecções jovens portuguesas, termina emprestado a um clube grego ou turco qualquer, onde deixa de ser acompanhado e formado  e raramente se volta a ouvir falar dele.

 

Há muito que clame por uma renovação, quem peça a entrada de jogadores novos, mas eu pergunto, quais jogadores novos? onde jogam? Podem despedir o Paulo Bento e colocar lá quem quiserem mas a verdade é que no futebol como na vida não se fazem omeletas sem ovos nem equipas competitivas sem jogadores com tarimba.

 

Eu sei que é impossível porque existe uma coisa chamada união europeia e tratados internacionais com o Brasil e com meio mundo, mas Portugal só voltará a ter uma equipa competitiva quando limitarem no clubes portugueses, os grandes e os pequenos, o número de estrangeiros permitidos nas suas equipas desde a formação até aos seniores, até lá vamos voltar a ser uma selecção que de vez em quando até faz uns brilharetes, mas que irá perder algumas vezes com a Albânia ou com Malta e muitas vezes com as equipas de topo da Europa.

 

Estamos mal habituados é o que é.

 

Jorge Soares

publicado às 23:00

Cristiano Ronaldo no jogo contra a alemanha

 

Imagem do Público

 

O futebol são onze contra onze,  e no fim ganha a Alemanha... bom, as vezes são onze contra 10... vá lá, onze e meio se contarmos com um árbitro com inclinações....

 

O jogo do dia era mesmo o Portugal-Alemanha, a estreia do melhor do mundo no mundial do Brasil, a desforra da derrota do jogo inaugural do último europeu... o tal jogo em que a estatística estava contra nós.... 

 

Hoje a Alemanha provou que é uma muito seria candidata á vitória no mundial, em poucos minutos fez gato sapato da selecção portuguesa, pôs a nu todas as falhas e debilidades da nossa selecção e reduziu ao mínimo o melhor jogador do mundo. Foram 4 golos mas ficou sempre a sensação que bastava acelerar um bocadinho para ir por ali fora e passar pela defesa portuguesa como se de uma equipa amadora se tratasse.

 

Hoje a selecção portuguesa que jogou com 10 dos 11 que jogaram contra a Alemanha em 2012, e se calhar isso explica algumas coisas, foi uma pálida imagem daquilo que já mostrou e do que sabemos que ela é capaz. Cristiano Ronaldo faz o que pode, mas está à vista tanto ele como a maioria dos restantes colegas de equipa estão muito longe das condições físicas ideais.

 

É verdade que o árbitro não foi nosso amigo, o penaltie é forçado, há uma bola na mão de um alemão antes do terceiro golo, há um penaltie contra a Alemanha mais claro que o anterior e  que ficou por marcar, mas não é pelo árbitro que perdemos o jogo.

 

Perdemos o jogo porque faltou sorte, faltou guarda redes, faltou cabeça fria e esperteza ao Pepe, faltou segurança no centro da defesa, faltou garra no meio campo e sobrou muito azar... Logo hoje que Paulo Bento fez a vontade ao mundo e deixou de fora o Helder Postiga, o Hugo Almeida lesionou-se ainda na primeira parte, Pepe foi expulso de forma infantil, Coentrão lesionou-se.

 

Tudo isto resultou num enorme balde de água fria para milhões de portugueses pelo mundo inteiro e numa derrota humilhante.

 

Não é a primeira vez que Portugal perde o primeiro jogo de uma grande competição, mas nunca tinha perdido desta forma, aliás, exceptuando um amistoso contra o Brasil, não me lembro de uma derrota como esta.

 

O próximo jogo é no próximo domingo, não há tempo para melhorar muito a forma física, esperemos que sobre tempo para mudar a mentalidade, para mudar o chip para um com pensamento positivo e crer e para mudar algumas coisas, como o Guarda Redes, e para dar consistência ao meio campo.....

 

E ao quinto dia surgiu o primeiro empate, o Irão de Carlos Queiroz empatou com a Nigéria naquele que terá sido o pior jogo deste mundial.

 

Do outro jogo do dia falo amanhã.

 

Jorge Soares

 

publicado às 22:17

Orgulho por portugal

 

Imagem do Ainanas.com 

 

Não foi um grande jogo, mas foi sem dúvida o jogo mais difícil da Espanha neste Euro de 2012, ao contrário de todas as outras equipas que jogaram contra eles, nós não mudámos nada, jogamos o nosso jogo com o nosso esquema habitual, de olhos nos olhos, com respeito pela equipa que é campeã da Europa e do mundo, mas sem medo.

 

Antes do inicio do Europeu havia muita gente a torcer o nariz a este grupo e este treinador, havia inclusivamente quem dissesse que era Ronaldo, Nani e uma mão cheia de jogadores medianos, que era a pior equipa dos últimos tempos. Com o decorrer dos jogos viu-se que nada disso é verdade, esta equipa é tão digna e tem tanto ou mais valor que qualquer uma das que nos representaram do Euro 2000  para cá. Não, não é Cristiano Ronaldo e mais 10, é uma equipa recheada de excelentes jogadores que conta com um dos dois melhores jogadores do mundo.

 

Hoje caímos de pé, não me lembro de termos perdido alguma vez nos penalties, acho que nos meus 44 anos de vida isso nunca aconteceu, os penalties são sempre uma lotaria em que a sorte pode cair para cada um dos lados, hoje a sorte caiu para o lado espanhol, alguma vez tinha que ser.

 

Devemos ter orgulho nesta selecção, nestes jogadores,  neste treinador, caímos de pé e com muita honra, não é vergonha nenhuma, mas custa tanto!

 

Jorge Soares

publicado às 22:56

Selecção nacional, Quo vadis Portugal?

por Jorge Soares, em 02.06.12

Cristiano Ronaldo

Imagem do Público

 

Lembro-me que em 1984, antes daquele Euro Fantástico em que só fomos eliminados pela França de Platini, Tigana e Giresse, o último jogo amistoso foi contra o Luxemburgo, uma equipa de futebolistas amadores que  normalmente tem o papel de bombo da festa no futebol Europeu. O jogo terminou com uma vitória por 2-1, mas foi um daqueles jogos muito fracos e muita gente torceu o nariz ao que seria a caminhada da selecção... depois foi o que se viu.

 

Hoje Portugal perdeu com a Turquia, uma selecção que está uns degraus acima da do Luxemburgo, o jogo terminou 3-1, a exibição não foi por aí além, mas, não foi exactamente um descalabro... mas somando a exibição do Sábado passado no empate com a Macedónia, com a derrota de hoje, de novo há muita gente a torcer o nariz ao que poderá ser o caminho desta equipa no Euro que se inicia no próximo fim de semana na Polónia.

 

A grande maioria dos jogadores portugueses joga nos principais clubes da Europa, depois de uma época ao mais alto nível, a grande maioria tem umas largas dezenas de jogos. Além disso, há jogadores de sete ou oito campeonatos diferentes,  com os mais variados estilos e culturas de jogos, de Portugal à Rússia, passando por Itália e a Turquia. Juntar tudo isto e construir uma equipa com um estilo de jogo sólido e convincente, não é nada fácil.

 

Nesta altura há muita gente a torcer o nariz a Paulo Bento e às suas escolhas, eu tenho algumas dúvidas que nestas condições alguém conseguisse fazer melhor, a base de escolha é muito restrita e não dá para muito mais.

 

Dito isto, onde chegará a nossa selecção?, tendo em conta que vamos enfrentar a Alemanha e a Holanda, duas das melhores equipas da Europa, tanto podemos chegar muito longe como voltar para casa ao fim dos três primeiros jogos.. Na minha opinião, vamos ganhar à Alemanha e vamos chegar longe.... mesmo

 

Jorge Soares

publicado às 22:15

Paulo Bento e os espectadores com pés de barro

por Jorge Soares, em 16.11.11

Paulo Bento e os espectadores com pés de barro

 

Imagem do Público 

 

Em tempo em que muito poucas coisas correm bem neste país, ontem o futebol correu bem, quer dizer, correu como pode correr em condições normais, porque quem percebe um bocadinho de futebol sabe que temos equipa e condições mais que suficientes para bater uns Bósnios que terão o seu valor mas que neste momento estão uns furos abaixo daquilo que vale a nossa selecção.

 

Haverá que explicar o que são as condições normais, ora, as condições normais são aquelas em que temos disponíveis e com vontade de correr e jogar aquilo que realmente sabem, todos os jogadores portugueses que actuam em algumas das melhores equipas do mundo. E bastou que nos dois últimos jogos da fase de grupos faltassem dois ou 3 dos habituais para que as coisas descambassem. O lote de escolha é muito limitado.

 

Onde nos leva tudo isto?, às declarações de Paulo Bento no fim do jogo sobre Bosingwa e Ricardo Carvalho, que disse que ambos podem sim senhor ao Europeu do verão próximo... como espectadores.

 

Por muita pena que eu tenha de ver fora da selecção dois excelentes jogadores, dos melhores do mundo nas suas posições, eu concordo plenamente com o nosso treinador, e nem discordo do momento em que o disse. Há que recordar que o Bosingwa deu uma entrevista em que fez uma serie de acusações ao treinador nas vésperas de um play-off que iria definir em dois jogos muito do futuro da nossa selecção. Quando alguém faz uma coisa destas está à procura de quê? fazer amigos e dar tranquilidade a quem joga não será de certeza.

 

Era até agora um segredo a gritos, Bosingwa simulou uma lesão para não representar o seu país, Ricardo Carvalho abandonou a selecção na véspera de um jogo importante porque se armou em prima-dona e fez birrinha porque ia ser suplente, com todo o respeito que nos possam merecer ambos os jogadores, e eu era admirador de ambos, depois disto mostraram que não passam de ídolos com pés de barro, que efectivamente não merecem a honra de representar o seu país, Paulo Bento não fez mais que confirmar aquilo que era mais que evidente, para mim, como já tinha dito neste post, nenhum dos dois pode voltar a representar a selecção, com este ou outro treinador qualquer que queira manter algum respeito e autoridade.

 

Quanto ao momento escolhido, queriam o quê?, que o Paulo Bento fosse hipócrita e não respondesse às perguntas dos jornalistas? A nossa selecção, o nosso país, deve merecer algum respeito.

 

Jorge Soares

 

publicado às 22:34


Ricardo Carvalho, um ídolo com pés de barro

Imagem do Público

 

"...convém que o Ricardo Carvalho explique a sua versão dos factos, a fazer fé no treinador não se passou nada e a imagem do jogador, da pessoa e do profissional, foi-se pelo esgoto abaixo."

 

Eram estas as minhas palavras no post da passada quinta feira, depois de todo o barulho e discussão à volta da "deserção" do jogador, depois dos quatro a zero ao Chipre naquele que porventura terá sido um dos jogos mais aborrecidos da era Paulo Bento, o Ricardo achou por bem aparecer para tentar dar a sua versão dos factos. 

 

Do que podemos ver na entrevista o que se conclui é que o Ricardo anda um pouco baralhado das ideias, para além de não trazer nada de novo, de confirmar que o seu abandono do estágio não passou de uma birra de puto mimado ao sentir que não iria ser a primeira escolha do treinador, ainda lançou mais achas para uma fogueira que claramente o está a queimar, ao chamar mercenário a Paulo Bento e tecer comentários sobre as respostas deste aos jornalistas. 

 

Eu vi a entrevista de Paulo Bento, acho que este se limitou a responder às questões dos jornalistas com a verdade dos factos, não me parece que ignorar o assunto deixasse o que quer que fosse de positivo naquele momento.

 

O Ricardo acha que o Paulo Bento é um mercenário porque lhe pagam por exercer a sua profissão de treinador, convenientemente ele esquece que como um dos capitães é um dos jogadores que ao inicio de cada novo ciclo se apressam a discutir com a federação o sistema de prémios e contrapartidas pela sua participação nos jogos da selecção. Fala de representar o país por amor à camisola, mas esquece que por exemplo antes do passado mundial, os convocados, ele incluído,  utilizaram a comunicação social para manifestar o seu descontentamento porque ainda não tinham acertado os valores a receber por cada um.

 

Acho que o Ricardo Carvalho é sem dúvida um dos melhores jogadores do mundo no seu lugar, agora ficamos a saber que também é um ídolo com pés de barro. Ao contrário do que eu achava, sofre dos mesmos problemas de muitos dos seus mediáticos colegas de profissão: falta de humildade, de profissionalismo, de respeito pelos colegas e pelo seleccionador, que é quem tem que analisar em cada momento e face a cada adversário, quem serão os jogadores mais adequados para entrar em jogo.

 

Na Quinta feira, ele ou alguém por ele, fez chegar à comunicação social um comunicado em que afirmava não estar mais disponível para jogar pela selecção nacional, agora aparentemente mudou de ideias e já diz que se precisarem ele estará disponível. Eu mantenho o que disse no outro post, do meu ponto de vista este senhor não pode voltar a representar o país.

 

Jorge Soares

publicado às 21:42

Ricardo carvalho abandona selecção nacional

Imagem do Público

 

Sempre vi em Ricardo Carvalho para além de um excelente jogador de futebol, uma pessoa séria e reservada e um excelente profissional, isto porque nas suas passagens por F.C. do Porto, Chelsea e Real Madrid, nunca existiu o menor indicio de problemas de comportamento ou o excesso de vedetismo que se pode detectar em tantos dos seus colegas de profissão.

 

Quando ontem se noticiou que ele abandonou o estágio da selecção porque percebeu que não iria ser titular, não quis acreditar, imaginei que por trás dessa saída haveria de certeza algo mais. Quando ao fim do dia apareceu o comunicado em que ele renuncia à selecção porque se sentiu"desrespeitado e ferido” na sua dignidade" fiquei com a certeza que algo de muito grave se teria passado, porque um jogador de futebol não se pode sentir desrespeitado pelo simples facto de num qualquer jogo, por muito importante que este seja, o treinador escolha outro que ache que naquele momento possa ser mais útil. Se os restantes suplentes fizessem o mesmo que ele as convocatórias tinham de ser sempre só com 11 jogadores e não com os 23 da praxe.

 

Hoje ouvimos Paulo Bento dizer que não se passou nada, que não houve discussões nem explicações, o Ricardo simplesmente foi-se embora.. ou nas palavras do treinador da selecção nacional, desertou.. qual soldado que tem medo da guerra. 

 

O Ricardo Carvalho tem todo o direito do mundo a decidir que não quer jogar mais pela selecção, representar o país ao mais alto nível é uma honra reservada a poucos, mas evidentemente não é um dever que se imponha a ninguém. Convém é que as pessoas sejam honestas para, em primeiro lugar assumir os seus compromissos até ao fim, não é a meio do estágio e por simples birra que se abandona deixando os colegas e o país pendurados.  Em segundo lugar, convém que o Ricardo Carvalho explique a sua versão dos factos, a fazer fé no treinador não se passou nada e a imagem do jogador, da pessoa e do profissional, foi-se pelo esgoto abaixo.

 

Evidentemente concordo com Paulo Bento, depois disto não deveria haver a menor hipótese de Ricardo Carvalho voltar a ser convocado, com este ou outro treinador qualquer.

 

Jorge Soares

publicado às 21:55


Ó pra mim!

foto do autor



Queres falar comigo?

Mail: jfreitas.soares@gmail.com






Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D