Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



A estupidez não é deficiência

 

Imagem de As coisas do mundo 

 

É uma daquelas coisas que me deixa irritado, mesmo, tanto que andava à espera da oportunidade para falar aqui do assunto... foi hoje.

 

Foi por volta da hora do Almoço no Pingo Doce da Luísa Tody em Setúbal, feitas as compras e arrumadas na mala do carro, enquanto esperava que a minha meia laranja arrumasse o carrinho vazio, reparei como uma senhora após alguma indecisão e troca de ideias com quem ia ao lado, decide estacionar o carro no lugar reservado a deficientes que fica mesmo ao lado da entrada na loja.

 

Puxei do telemóvel e preparei-me para tirar uma fotografia para ilustrar o post, entre o pegar no telemóvel, desbloquear e encontrar o botão certo para disparar, já ela não estava ao lado do carro e até terminei por não tirar a fotografia. Entretanto a senhora e a sua acompanhante, que evidentemente não mostravam sinais de qualquer deficiência física e que até já tinham entrado na loja, foram avisadas por alguém do que eu estava a fazer.

 

Ela voltou para trás e o diálogo que se seguiu foi mais ou menos assim:

 

- O senhor estava a tirar uma fotografia ao meu carro?

- Por acaso estava.

- Então espere aí que eu vou tirar o carro dali e já conversamos.

 

Reparem, havia montes de lugares vagos no parque e ela sabia isso e também sabia que não podia estacionar ali, resta saber se teria retirado o carro se eu tivesse dito que não tinha tirado a fotografia. Foi estacionar a cinco metros dali e voltou cheia de genica.

 

- O senhor estava a tirar fotografias ao meu carro, tem que as apagar, se elas aparecerem em algum lugar eu meto-lhe um processo.

- A senhora é deficiente?

- Não, não sou, mas o senhor não pode tirar fotografias ao meu carro.

- Se não é deficiente sabe que não pode estacionar ali, além de uma questão legal, é uma questão de civismo.

- Eu meto-lhe um processo!

- Minha senhora, chame a policia que a gente resolve já o assunto da denuncia.

- O senhor não tem nada de fazer isso!

- E a senhora sabe perfeitamente que não pode estacionar ali!

- Olhe, o seu problema é falta de sexo, vá dar uma volta que isso passa!

{#emotions_dlg.amazed}

- Pois, falta de sexo, arranje mulher que isso passa!

- No seu caso é falta de civismo mesmo, ou isso ou a senhora é deficiente mental e por isso estaciona ali.

 

Entretanto a senhora voltou para dentro da loja e eu continuei à espera da minha meia laranja.

 

Passado um minuto voltou, acompanhada do segurança da loja... achei aquilo tão surreal que passei a cancela do parque e parei, só para ouvir o que me ia dizer o segurança.

 

- Está aqui o segurança da loja, ele quer falar consigo.

- Então diga lá??!!

- O parque tem câmaras de vigilância e o senhor tirou fotografias

- Sim tirei, porque a senhora estacionou no lugar de deficientes e isso além de ilegal é uma enorme falta de civismo, o senhor quer o quê de mim?

- Eu nada, só vim porque a senhora me chamou 

 

Entretanto a senhora não se calava e continuava com a ladainha de que eu não podia tirar fotografias...  o vigilante ameaçou com chamar o gerente da loja e eu pedi que chamasse também a policia, como aquilo não nos ia levar a lado nenhum, meti-me no carro e vim-me embora, mas depois fiquei a pensar que devia ter esperado pelo gerente da loja, sempre ficava a saber qual era a posição do Pingo Doce sobre clientes que estacionam nos lugares reservados a deficientes mesmo quando há muitos lugares vagos no resto do parque de estacionamento.

 

Infelizmente em centros comerciais ou em qualquer outro parque de estacionamento, os lugares reservados a deficientes raramente estão livres, há muita gente que prefere estacionar ali que caminhar mais meia dúzia de metros, mesmo quando o parque é pequeno como acontece no Pingo Doce de Setúbal.

 

A senhora do caso que conto, para além de uma enorme falta de civismo tinha muita falta de educação e a julgar pela quantidade de vezes que ela repetiu a palavra sexo, das duas uma, ou se estava a oferecer, ou estava ela com muitíssima fome.

 

Evidentemente não podemos todos ser policias uns dos outros, mas há coisas que puxam pelo meu mau feitio,  tal como no caso dos cãezinhos  de que já aqui falei (ver aqui), se calhar se todos reagíssemos aos abusos viveríamos num mundo muito melhor e com mais civismo.

 

Jorge Soares

publicado às 21:38

Nelson Arraiolos

 

Imagem do Público

 

Nelson Arraiolos está desempregado, já escreveu a Cavaco Silva a informar que não vai pagar mais impostos, já andou de autocarro sem pagar, com isso conseguiu ser noticia e de algum modo chamar a atenção para as suas dificuldades e para as dificuldades que passam todos os desempregados deste país.


Agora Nelson anunciou que vai dar um novo passo:


“Ao meio-dia, nesta quarta feira, 4 de Dezembro, Nelson Arraiolos irá deslocar-se ao Pingo Doce do Rossio, Rua 1.º Dezembro, 67-83, 1200-358 Lisboa, entrará no supermercado, pegará num quilo de arroz e sairá sem pagar.”


Anunciado assim com a morada completa, o dia e a hora certa, tem algumas coisas garantidas, a presença de muita gente que o irá aplaudir, da comunicação social que irá narrar tudo como se de um derby de futebol se tratasse e de certeza absoluta a presença da polícia, que evidentemente evitará a subtracção do arroz, levantará o correspondente auto e espera-se, deixará o Nelson ir à sua vida, com mais uns problemas para resolver.

 

Basta ler as noticias online para se perceber que há muita gente a aplaudir a atitude do Nelson, lamento, mas eu não vou por aí, percebo que o Nelson não consiga pagar os impostos e portanto deicida adiar esses pagamentos, entendo que decida não comprar o passe, mas já não entendo esta ideia de ir buscar comida ao supermercado sem pagar, isso chama-se roubar.

 

O desemprego em Portugal anda perto dos 20%, imaginemos que de repente todos os desempregados passavam a ir aos supermercados, enchiam os carrinhos e saiam sem pagar? O que acontecia à economia se de repente 20 das população deixasse de pagar o que compra? Quantos supermercados teriam que encerrar as suas portas e em quanto contribuiria isso para o desemprego?

 

É suposto isto ser um acto simbólico? Concordo, mas convém que o Nélson explique isso bem, pedir a desobediência pode ser um pau de dois bicos, pode  ser que haja quem se ache no direito de fazer o mesmo e  a coisa corra mal...

 

Há duas ou três semanas na Venezuela, Nicolás Maduro o presidente da República,  decidiu vender mais baratos os electrodomésticos de uma loja.. nos dois dias seguintes a maioria das lojas de electrodomésticos do país  foram saqueadas, muita gente encheu as casas de televisões, ipads, computadores  e torradeiras e agora vai demorar muito até que alguém volte a abrir uma loja em Caracas, entretanto milhares de pessoas ficaram desempregadas e o país ficou mais pobre... tudo em nome do populismo bolivariano e presidencial.

 

Já agora uma questão, acabo de ler que o Nelson vive no Bombarral, porque vir fazer isto a Lisboa? sempre poupava o dinheiro da viagem... não?

 

E será que o Pingo Doce não patrocina uns kilos de arroz ao Nelson, é que olhe-se por onde se olhe, não tem por onde ficar bem na fotografia, deixar o Nelson sair sem pagar o arroz é incitar a que outros façam o mesmo, obrigar a que ele pague, vai gerar o ódio de muita gente.... a esta altura deve haver alguns gerentes com os cabelos em pé... será que a loja vai estar aberta?

 

Jorge Soares

publicado às 21:32

o que tem de mal as promoções?

Imagem do Público

 

 

Desculpem lá a insistência, mas depois de passar o dia a ver comentários no Facebook, nos blogs, nos jornais, na televisão, eu juro que ainda não percebi que raio se está aqui a passar.

 

As milhentas criticas que se fizeram ao Pingo Doce tem só a ver com o facto de ter sido no dia em que foi, ou há algo mesmo errado com as promoções?

 

A sério, porque é que as mesmas pessoas que há uns dias atrás batiam palmas e promoviam a caridade de se dar os restos de comida para os pobres, agora estão entre os  que atacam mais ferozmente o Pingo Doce porque se atreveu a oferecer 50% do valor das compras? só é permitido dar aos pobres?, é isso?

 

Há pouco vinha no carro e um anuncio do Dia promovia uma campanha de leve 3 pague dois...ou seja, 33 % de desconto, não é 50, mas não anda longe, há muito que recebo os SMS dos Continente com os dias em que há 50% de desconto em cartão,... exactamente o mesmo que no Pingo doce só que o dinheiro vai parar ao Cartão e servir para outras compras em lugar de ir parar ao bolso. Porque é que nestes casos nunca ouvimos falar de Dumping e de investigações da ASAE?

 

Eu pensava que as promoções eram fruto da concorrência, que eram práticas comerciais que servem para chamar a  atenção dos clientes e como forma de publicidade, afinal parece que agora são coisas más, dignas de investigação por parte da ASAE, e até o governo já fala em criar leis contra elas... eu já não percebo nada disto... mas afinal as promoções não são boas para quem paga menos? 

 

Será que toda esta gente que se fartou de falar de dumping, de margens, de lucros, e de um monte de coisas mais sobre as que não percebem nada mas das que falam como se fossem experts, na próxima vez que forem às compras só vão comprar coisas que não estejam em promoção e vão exigir pagar o preço completo?

 

A sério, esqueçam lá a parte de ser dia do trabalhador, expliquem-me lá como se eu fosse muito burro, o que é que tem de mal os 50% do Pingo Doce?

 

Jorge Soares

PS:Por certo, desde ontem o Continente passou de 50 para 75%.. é aproveitar meus senhores antes que a ASAE descubra e vá lá terminar com a promoção.

publicado às 22:12

Pingo doce oferece 50% do valor das compras

 

Imagem do Público 

 

Antes de mais um esclarecimento, não, eu hoje não fui às compras, soube da promoção por volta da hora do almoço, o primeiro que pensei foi,... 50 Euros é dinheiro (a oferta era a partir dos 100 Euros de compras) ... dava para amanhã atestar o depósito... é claro que quando soube da loucura que se tinha instalado, esqueci o assunto... 

 

Há uns 20 anos, quando ainda era estudante, trabalhei numa empresa que tinha um supermercado, lembro-me de um sorteio de um carro e de ver passar todos os fornecedores pelo gajo das compras, um por um foram deixando uma parte... no fim, os fornecedores pagaram dois carros, um foi sorteado, o outro foi lucro para a empresa.

 

Ou seja, para quem acha que o Pingo Doce deu hoje uma parte dos seus lucros, desengane-se, quem pagou tudo isto foram os fornecedores, e não, eles não tem margens para fazer isto todos os dias, nem o Pingo Doce nem os fornecedores.

 

Sobre a loucura que se instalou em todas as lojas, acho que se entende perfeitamente que numa situação como a que vivemos tenha havido muita gente a aproveitar, o dinheiro está caro e não há muitas oportunidades destas. Não sei até que ponto não terá havido muita gente a deitar dinheiro fora comprando coisas que não necessita e que de outra forma nunca compraria, mas isso são contas de outro rosário..

 

É claro que as guerras pelos carrinhos, as agressões pelos produtos e por entrar na loja primeiro e as restantes faltas de civismo estão sempre demais, mas onde está a novidade?

 

Sobre o facto de isto ter sido precisamente no dia 1 de Maio, que a julgar pelo meu Facebook irritou tanta gente, acho que é um dia como outro qualquer para se fazer uma campanha de Marketing, não é o primeiro ano que estas lojas abrem neste feriado, não será o último de certeza... de resto, só vai às compras quem quer e não é por se ir às compras que se deixa de festejar o dia, afinal, qual é a diferença de se ir às compras ou ir para a praia?, a malta não vai mesmo às manifestações.

 

Jorge Soares 

publicado às 21:35

Os ratos a fugir do porão

 

Imagem do Henricartoon 

 

Assim de repente era fácil seguir a ideia do cartoon e deixar fugir o tema para a piada fácil, afinal foi o primeiro ministro e o governo quem sugeriram aos portugueses que o melhor a fazer era emigrar... a verdade é que o assunto é muito sério.

 

No outro dia a seguir ao fogo de artifício, no caminho da baixa de Setúbal até cá a casa, a Sandra, que costuma passar por cá pelo blog, dizia-me que era mais que certo que lá para o inicio da Primavera seremos expulsos do Euro, primeiro a Grécia e a seguir nós.. na altura achei que ela estava a exagerar, a nossa saída do Euro seria o descalabro para a banca europeia, principalmente para os bancos alemães..e  não me parecia que a coisa já estivesse nesse ponto.

 

Hoje a Grécia anunciou que ou chega mais dinheiro ou sai do Euro e por cá os ratos começam a abandonar o barco..., sinal de tempestade pela certa.. vai dai e a Sandra é que sabe.

 

Não é preciso pensar muito para se perceber o que levou os senhores do Pingo Doce a mudarem a sede da empresa para outras paragens, nem das consequências que de aí advém, o fim de qualquer empresa é dar lucro para os seus accionistas...e menos impostos significam mais lucro. Também não é difícil de concluir que isto também é resultado das politicas económicas que a mando da Troika tem sido implementadas por quem nos tem governado... por algum motivo a Irlanda se recusou a aumentar os impostos às empresas para além dos 12% que nas últimas décadas converteram o pais num paraiso para a industria mundial.... alguém ouviu falar da possibilidade da Irlanda sair do Euro?

 

Por fim, convém recordar que há uns tempos atrás o Patrão do Pingo Doce numa entrevista com a Fátima Campos Ferreira, disse na televisão que havia empregados seus a roubar nos supermercados porque havia fome nas suas casas... ainda hoje estou para perceber porque é que a Fátima não lhe perguntou se essa fome não seria resultado dos salários e condições de miséria que eles dão aos empregados... pois é, o que importa é o lucro, o resto é conversa.

 

Uma coisa é certa, não é assim que vamos sair da crise.

 

Jorge Soares

publicado às 21:57


Ó pra mim!

foto do autor



Queres falar comigo?

Mail: jfreitas.soares@gmail.com






Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D