Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



marcelo.jpg

 

Imagem de aqui 

 

“Agora temos o homem certo no local certo”

 

Segundo o Expresso, terá sido esta a frase utilizada por Jean-Claude Juncker, Presidente da União Europeia, ao referir-se a Marcelo Rebelo de Sousa no final de um encontro entre ambos.

 

Gosto do detalhe do "agora temos", pelos vistos não sou eu o único a embirrar com o ex morador do Palácio de Belém, pelos vistos lá para os lados de Bruxelas também não gostam muito dele.... vá lá a gente a perceber porquê...

 

Mas será mesmo Marcelo o homem certo no lugar certo? À primeira vista nota-se a vontade de marcar a diferença, de arejar e tentar desanuviar o ambiente... gostei muito do detalhe de mandar o carro com o motorista para cumprir o protocolo e chegar a pé, descontraidamente e sem aparato, pelo lado contrário... uma coisa mesmo à Marcelo e que nunca seria possivel com o senhor de Boliqueime... Imagino a cara dos seguranças quando ele disse que ia descer até ao parlamento, a pé!

 

Como sabe quem costuma cá passar, não votei nele, a minha candidata nas presidenciais era a Marisa Matias, mas confesso que gostei  deste primeiro dia, do discurso conciliador, sem ressabiamentos nem recados nas entrelinhas, um discurso positivo, cheio de esperança. Em suma, louva-se  que vá haver em Belém uma nova forma de estar, leve e descontraída... .

 

Só o tempo e as condições sociais e políticas do país dirão se Juncker tem razão e ele é ou não o homem certo no local certo, para bem do país e de todos nós, esperemos que o saiba ser, o país agradece.

 

Jorge Soares

publicado às 21:26

Cavaco Silva falou ao País

Imagem do Público

 

"O Banco de Portugal tem sido peremptório e categórico a afirmar que os portugueses podem confiar no Banco Espírito Santo dado que as folgas de capital são mais que suficientes para cumprir a exposição que o banco tem à parte não financeira, mesmo na situação mais adversa"

 

Cavaco Silva à TSF no dia 21 de Julho de 2014

 

A noticia da TSF inclui a gravação das palavras de Cavaco Silva, o Banco de Portugal pelos vistos não era capaz de cumprir o seu papel de vigilância e ignorava tudo o que se passava, mas hoje sabemos que Cavaco Silva, Passos Coelho e o governo sabiam que havia no GES um buraco de mais de sete mil milhões de Euros.

 

Nem Cavaco, nem Passos Coelho, nem ninguém do governo, negou as informações contidas na carta de Ricardo Salgado à comissão de inquérito, ou seja, ainda que tacitamente, todos admitem que tinham conhecimento da verdadeira situação do grupo Espírito Santo.

 

Agora podem vir brincar com as palavras e dizer que se basearam nas informações do Banco de Portugal, mas a verdade é que não há como negar nem o que está nas carta de Salgado nem o que se pode ouvir nas gravações de então e o que se ouve é o Presidente da República a dizer que os portugueses podem confiar no BES.... hoje o BES é o banco mau e está à vista no que os portugueses podem confiar... uma coisa é certa, a julgar por este caso, não será de certeza em Cavaco e no governo que podemos confiar....

 

Todos nós ouvimos estes senhores e alguns outros com responsabilidades já seja no governo ou no Banco de Portugal dizer que o BES tinha fundos mais que suficientes para cobrir o buraco, também os ouvimos dizer que havia interessados com dinheiro para investir no banco, depois foi o que se viu e quem sabe quanto irá tudo isto custar ao país.

 

Não percebo porque é que quem naquela altura falava tanto e com tanta certeza bem do BES, agora se nega a esclarecer as duvidas de quem está mandatado pela assembleia da república e pelos portugueses para investigar o que se passou. O presidente da república e o primeiro ministro não estão acima da lei e tem o dever de esclarecer os portugueses

 

Como português eu exijo que estes senhores vão à comissão e expliquem porque é que não avisaram o país e o Banco de Portugal o que se estava a passar, ou as reuniões de que fala o Salgado eram só reuniões de amigos? Salgado era um amigo de Passos Coelho que pedia uma ajuda de sete mil milhões à Caixa Geral de depósitos? O Facto do GES necessitar de tanto dinheiro não seria um sinal de alarme para o que aí vinha?

 

Jorge Soares

Update, entretanto alguém colocou online o vídeo onde se pode ver o presidente da república dizer que está tudo bem com o BES... cada um que tire as suas conclusões

 

publicado às 22:44

Devemos votar sim

 

Quanto a mim, esta foi a campanha eleitoral mais pobre de que me lembro, achava eu que nas últimas legislativas tínhamos chegado ao nível zero e que agora só podia melhorar, está mais que visto que estava enganado... o nível pode sempre descer mais... Eu sei que o presidente da república representa pouco mais que uma mera figura decorativa, não estava à espera de grandes ideias, nem de programas para governar... mas o que aconteceu foi mau de mais.

 

Continuo a achar que em lugar de votar no melhor candidato, estas eleições servem para eleger o menos mau, mas algo de bom saiu de tudo isto, esta campanha serviu para trazer à luz o verdadeiro carácter do cidadão Cavaco Silva.. a áurea de seriedade que para os seus seguidores o elevava quase ao nível de santo caiu por terra.Hoje ficámos a saber que o senhor é tão chico esperto como qualquer outro português, e que na hora dos negócios, tenta fugir às suas obrigações e a pagar os impostos como qualquer outro...

 

Depois de tudo o que veio a público, das suas ligações aos responsáveis do caso BPN, da história das acções, de toda a trapalhada da troca dos terrenos,  nas obras e escritura da casa, se este fosse um país a sério, o senhor não só não era elegido, como deveria ser chamado a tribunal para dar contas de tudo isto e pagar os seus impostos.... Como não somos um país a sério... o senhor continuará no seu pedestal e a pairar sobre todo nós com a sua arrogância habitual.

 

Há muito quem se pergunte se vale a pena ir votar... votar é um direito e um dever, votar é ter uma palavra a dizer no nosso futuro e no do nosso país,  não ir votar é deixar a decisão aos outros, é aceitar a escolha dos outros e é abdicar do direito a pedir contas quando os governantes fazem mal o seu trabalho.

 

Vou voltar a copiar algumas das palavras da Sandra:

 

Quem não se interessa por política, não se interessa pela própria vida. Porque a política, quer queiramos quer não, é intrínseca à vida. A idade a que podes casar, se podes abortar ou não, as bebidas e os filmes e as marcas que tens ou não disponíveis no teu país, os cursos que podes tirar, as escolas que podes frequentar ou não, os cuidados de saúde a que podes aceder, a liberdade de expressão que possas ou não ter, o poderes ou não casar com quem quiseres e bem entenderes. Tudo, tudo isto é política. Descartar a política, é descartar a vida. É descartar, principalmente o pouco que ainda nos resta de comandarmos a nossa própria vida.

 

Se as pessoas julgam que são mais livres afastando-se da política e não participando, enganam-se. A liberdade vem da possibilidade de escolha. E quem não escolhe, quem cruza os braços, deixa que os outros decidam e escolham por si. A sua vida e a dos seus filhos. O seu futuro. Eu não aceito que escolham por mim. Nunca! E até podes supor e mesmo acreditar que os políticos são todos iguais. Mas o facto de acreditar não faz disso um facto. Os que lá estiveram (durante estes 36 anos!!) já podes avaliar se são iguais ou não. Os outros, só podes adivinhar. Não podes dizer que não gostas da sopa antes de a teres provado. Isso é coisa dos putos."

 

Portanto, devemos ir votar sim, todos, eu sei em quem não vou votar, porque acho que o país deve ser governado por pessoas dialogantes e coerentes, não por arrogantes e mentirosos... agora que sabemos que o senhor perdeu a seriedade e a vergonha, está na hora de lhe mostrar que já basta...  e não, não são todos iguais.. ainda há pessoas sérias e honestas neste país.

 

Jorge Soares

publicado às 22:24


Ó pra mim!

foto do autor



Queres falar comigo?

Mail: jfreitas.soares@gmail.com






Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2010
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2009
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2008
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2007
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D