Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



 

Noticia da RTP

 

Este é um daqueles casos em que as imagens falam por si, há coisas que temos que ver para acreditar, por incrível que pareça havia uma professora dentro da sala... é difícil de acreditar, mas é verdade.

 

Na noticia da RTP não conseguimos ver as caras, mas no vídeo original que foi parar ao Youtube, todas estavam à vista, alguém me explica como é que depois disto há só um aluno suspenso?, o que filmou, então e os outros? o que praticamente se despe dentro da sala?, e todos os outros que se comportam como animais dentro de uma escola?  Será que é mais grave filmar que comportar-se como um energúmeno e não mostrar o menor respeito pela escola, a professora ou os colegas?

 

É esta a educação que estamos a dar aos nossos filhos?, são estes energúmenos que representam o futuro do nosso país?

 

Jorge Soares

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:17

Teatro:Fatias de cá na Quinta da Regaleira

por Jorge Soares, em 19.10.09

O poço da Quinta da Regaleira

Imagem minha de Momentos e olhares

 

 

Já aqui falei do grupo Fatias de cá a propósito do Nome da Rosa no convento de Cristo em Tomar, e de a Voz dos Deuses  no Castelo de Almourol, duas peças fantásticas que aconselho a todos. É uma maneira diferente de ver teatro e de conhecer lugares e monumentos fantásticos, nunca esquecerei os Kms que andei no Convento de Cristo, nem aquele fim de tarde junto ao Tejo no castelo de Almourol.

 

O Anel Quebrado, Fatías de cá

Na passada Sexta feira fui com a P. ver a peça O Anel Quebrado  na quinta da Regaleira em Sintra. Tínhamos passado uma tarde  na Quinta da Regaleira  há 15 dias, como expliquei neste post, na sexta estivemos lá durante a noite e não há duvida que é um lugar mágico e  propicio a representações como esta.

 

Como todas as peças deste grupo, o preço do bilhete inclui jantar, um arroz de frango que estava delicioso servido por pessoas simpáticas e bem dispostas,  representação e kms a andar atrás dos actores.

 

Não conhecia o livro em que foi baseado esta peça, e ao contrario das outras vezes, achei simples demais, nada que ver  com a representação grandiosa de O Nome da Rosa ou a atmosfera magnifica junto ao Tejo de A voz dos Deuses, mas não deixa de ser uma peça interessante que nos leva por túneis e passagens através de toda a quinta.

 

A noite vale pela simpatia das pessoas, pelo ambiente sempre fantástico de Sintra e da quinta e claro, pelas indispensáveis e deliciosas fatias Fatias de Tomar.

 

Se puderem não deixem de  ir, a esta ou à O Nome da Rosa, que está em cena em Tomar.

 

Jorge Soares

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:30

Setúbal desde o rio

 

 

E pronto. é outra vez altura de votar, da última vez tinha muito claro em quem não ia votar, estava mais ou menos convicto sobre em quem votar, esta vez não sei mesmo.

 

No Domingo passado estávamos reunidos à volta de uma mesa um grupo de pessoas, todas de esquerda...acho eu,  todos pais e todos com filhos adoptados. A conversa versava sobre o facto de irmos votar ou não, sendo que entre umas 10 pessoas, havia uma que não votava e 9 que o tentávamos convencer que o deveria fazer.

 

Hoje nos meus 45 minutos de solidão na volta para casa, dei por mim a pensar naquela conversa, para as eleições do próximo Domingo não faço a mínima ideia em quem vou votar. Se a escolha fosse entre Rui Rio e Elisa Ferreira, eu saberia, se fosse entre Ana Gomes e Fernando Seabra, eu saberia, se fosse entre Santana e António Costa, saberia. Passei a semana a ouvir falar de debates nas grandes cidades, mas não ouvi nada sobre o que se passa e promete em Setúbal. Para dizer verdade mal sei os nomes dos candidatos à câmara... já para não falar na Junta de freguesia, da que não faço a menor ideia quem serão os candidatos..e ainda por cima, depois da mudança de casa, moro numa freguesia e voto noutra... vou lá para quê?

 

Eu sou uma pessoa minimamente informada, leio os jornais, vejo as noticias, sigo a blogosfera, o que falhou aqui?, não será dada importância demais aos grandes centros e muito pouca, para não dizer nenhuma ao resto do país?, que me importa a mim se Rui Rio vende os terrenos do Aleixo ou a Elisa Ferreira faz mais parque urbano?, se o Santana faz mais túneis ou o Costa apoia o TGV? é porque foi disso que ouvi falar nos últimos 15 dias.

 

Eu gostava mesmo era de saber se as Obras da Polis de Setúbal vão continuar ou não?, se alguém resolve de uma vez por todas terminar a variante da Mitrena até à auto-estrada, se resolvem o caos que é a entrada na cidade, se alguém faz algo para evitar as cheias na baixa, se a Etar que vai despoluir o rio vai funcionar ou não, se alguém promete devolver Tróia ao povo, se as escolas vão ter melhores condições, se..... tantas coisas. Mas disso, eu não ouvi nada...

 

Há algo de muito errado nas nossas campanhas eleitorais... sem dúvida.

 

Jorge Soares

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:15

Quinta da regaleira

Imagem da Internet

 

 

Um destes dias a Jonas neste seu post em jeito de dúvida existencial perguntava quanto pode valer na vida, fazer aquilo de que gostamos. É uma pergunta pertinente, fazer aquilo que realmente gostamos e ainda por cima receber o dinheiro justo por isso... não está mesmo ao alcance de todos... e eu diria que não tem preço.

 

Hoje lembrei-me da Jonas e do seu post. Decidimos aproveitar o feriado para ir a Sintra e visitar a Quinta da Regaleira com os miúdos. Podíamos ter escolhido um dia mais seco, 90% da visita é ao ar livre pelos jardins do palácio e choveu a maior parte do tempo, mas não é disso que quero falar.

 

Já lá tínhamos estado há uns 10 anos atrás e na altura a visita correu muito bem, a guia era  uma pessoa muito simpática e toda a visita foi uma agradável lição de história. Hoje o guia chamava-se Ricardo e claramente estava ali a fazer um frete. 

 

Havia no grupo umas 4 ou 5 crianças, umas mais irrequietas que outras, mas quase todas muito curiosas. Num lugar como aquele, envolto em algum mistério, em que a visita vive muito desse mistério, o mais natural é que as crianças perguntem e queiram saber.  Ora, o senhor não estava para isso, porque não gostava de ser interrompido, porque não gostava que as crianças se chegassem a ele, porque não gostava quando alguém não percebia bem o que ele dizia e perguntava qualquer coisa, bom, enfim, um sem-fim de situações que chegavam a roçar o ridículo. 

 

Eu sei que nem todos temos a mesma paciência, nem sempre estamos bem dispostos, mas se estamos num sitio publico, se temos que lidar com pessoas, se ainda por cima aquilo que fazemos tem a ver com comunicar com as pessoas, devemos ter um mínimo de profissionalismo. Se não temos paciência para as pessoas, se não gostamos de crianças, se não gostamos de ser questionados, se não estamos para ouvir as perguntas e esclarecer... porque é que simplesmente não vamos fazer outra coisa qualquer? Que culpa tem os visitantes, que até pagaram para o ouvir, da falta de paciência do senhor? Que culpa temos nós que o senhor não goste daquilo que faz?

 

Eu não sei quanto ganhará um guia turístico, de certeza que a que nos calhou da outra vez, ganhava muito pouco para a forma como nos conseguiu interessar pela história e os mistérios da quinta, e de certeza que este senhor Ricardo, ganha muito para a forma como não consegue transmitir nada disto.

 

Jorge Soares

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:05

Sintra sem fotografias!

por Jorge Soares, em 10.02.08

Mafalda

 

Estou chateado, hoje fomos a Sintra, sugestão da R. ela viu o guia e achou que era um bom sítio para passear.... Nós também. Eu achei que era uma óptima oportunidade de tirar umas boas fotografias para o meu blog de fotografias... por certo, já viram que eu criei um blog de fotografias? é aqui,... onde é que ia?.... ha, a Sintra. Bom, antes de sair de casa troquei as pilhas da máquina,  estavam quase gastas. Tentando ser ecológico, comprei umas pilhas recarregáveis e um carregador.... coloquei as pilhas novas na máquina e lá fomos para Sintra.

 

SintraPrimeira paragem, Palácio da Pena, pagamos os 20 Euros do bilhete familiar (carote não acham?) entramos e comecei a tirar fotografias.... 1, 2, 3, 4.... na quinta a máquina começa a dizer que as pilhas estavam gastas.... grrrrrrr...  é o que dá querermos ser ecológicos...eu quem nem vou muito à bola com os ecologistas..... Ok, no palácio há uma loja e um café.....deve haver pilhas certo?....ERRADO!, mas para que é que haviam de vender pilhas num sitio onde há centenas de turistas por dia com máquinas fotográficas? haaa  não, não vendem pilhas...vendem galões daqueles das máquinas de café que há nos escritórios das empresas a dois euros, mas pilhas não vendem...só no centro da vila disse a menina..... grrrrrrrrrrrrrrrrrrrrr.

 

Bom, lá pedi a máquina emprestada à R. e tirei fotografias..... achei um bocado estranho que não conseguíamos ver as fotografias...mas a máquina é daquelas mais baratas e nunca funcionou lá grande coisa.

 

Visitamos o palácio, passeio pelos jardins, piquenique na serra, com convidado felino e tudo... não sei de donde saiu um gato no meio da serra de Sintra...mas mal começamos a comer ele apareceu!... gostou muito dos bolos de bacalhau..... dos rissóis nem tanto!..nem do pão alentejano..... gatos finos na serra..só em Sintra.

 

Segunda paragem na Periquita para os inevitáveis travesseiros, e por fim Museu da ciência viva...engraçado...principalmente o espelho que me conseguiu tirar uns 40 quilos só de olhar para ele.

 

Regresso a casa, pego na máquina para passar as fotografias para o PC, estive perto de uma hora a rogar pragas ao computador que não reconhecia a máquina e à máquina que não queria nada com o computador..até que tiro o cartão da máquina e volto a colocar...e cartão vazio..nem uma fotografia para amostra....... a R.ainda não sabe..... ela vai ficar muito triste, ela tem imenso jeito para a fotografia..mais que eu!

 

Definitivamente eu e Sintra é sem fotografias, no dia do passeio da serra, a P. preparou tão bem a surpresa que se esqueceu da máquina em casa.. e hoje foi isto.

 

Lá mais para a primavera...eu vou lá voltar, com duas máquinas e um carregamento de pilhas...das normais!

 

Jorge

PS:Imagems retiradas da Internet.

PS2.Definitivamente o domingo vai ser o dia do Post esquisito!

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:22

À conquista da Pedra amarela

por Jorge Soares, em 25.11.07

Já não ia a Sintra há uns largos anos, era um passeio habitual nos meus tempos de estudante deslocado em Lisboa, de comboio do Rossio até Sintra, prova de travesseiros na Periquita, passeio a pé até ao castelo dos Mouros, ou a Monserrate, ou ao palácio da pena, beijos furtivos entre o arvoredo, diz a minha meia laranja que era o nosso passeio romântico.

 

Este fim de semana voltei  lá, nada de comboio, de carro pelas filas do IC19, passeio a pé pela vila, um belo bacalhau com broa para o jantar, passeio nocturno pelas ruelas, enganar o gelo do microclima com um Irish cofee num bar, enfim, um sábado suave, que a surpresa a sério estava reservada para o Domingo.

 

No domingo os planos são simples, conquista da Pedra amarela, passeio organizado pela SAL, que percorre a serra para um lado e para o outro e sobretudo.....para cima e para baixo. Não, este não é um daqueles passeios para apreciar as vistas, também há algumas claro, este é um passeio para conhecer alguns lugares recônditos da serra, e sobretudo para colocar à prova a resistência física da maioria dos participantes.....que no meu caso e apesar do recente regresso ao Karate, está em baixo, conclusão, estou de rastos...... Mas de certeza absoluta que queimei todas as calorias dos muitos travesseiros e o excesso de azeite do saboroso bacalhau de ontem.........não sei é se amanhã me vou conseguir mexer.

 

Em resumo, um fim-de-semana diferente, romântico  e muito agradável.

Jorge

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:04


Ó pra mim!

foto do autor



Queres falar comigo?

Mail: jfreitas.soares@gmail.com






Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D