Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Duodécimos

Imagem dio Público

 

 

A lei dos duodécimos  foi publicada hoje, entre outras coisas diz o claramente que quem quiser continuar a receber os subsídios por junto sem ser em duodécimos, tem 5 dias úteis após a publicação para avisar por escrito a entidade patronal. Quem não o fizer receberá metade de cada subsídio em duodécimos e a outra metade antes de ir de férias e no natal.

 

Entretanto mal a lei saiu descobriu-se que há um erro e que tal como está escrita não poderá aplicar-se ao subsidio de férias... mas eu já ouvi o senhor ministro Álvaro a dizer que não senhor, não há erro nenhum e é para aplicar.

 

Imagino que cada um terá as suas ideias e a forma de ver estas coisas, eu tenho a minha e depois de cá em casa fazermos  contas e se estudar prós e contras, decidimos que queremos os subsídios por inteiro, nada de duodécimos.

 

Para quem quiser fazer as contas e ver o que mais lhe convém, pode ir ao site do Público fazer download do simulador, aqui

 

Jorge Soares

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:26

Portugal aguenta mais austeridade?, aguenta, claro que aguenta!

Imagem do Pontos de Vista 

 

A imagem acima é elucidativa do efeito que terá o orçamento que agora se discute tão acaloradamente  na Assembleia da República, discussão que para além de zangar as comadres, não serve para nada, todos já sabemos as linhas com que a maioria que nos (des)governa se cose e que à partida o orçamento está aprovado e até benzido pelo presidente da República ,sua nulidade Cavaco Silva.

 

Basicamente este é um orçamento que vai deixar a maioria da população mais pobre e uma grande parte a roçar a miséria absoluta, mas incrivelmente há quem ache que isto ainda não é suficiente.

 

Segundo Fernando Ulrich, o país aguenta isto e muito mais,  é claro que para ele e os amigos dele, o país aguenta sempre mais,  afinal ele faz parte de uma classe social que é imune à crise, porque austeridade ou não, os bancos tem sempre lucro... e só para precaver algum deslize, o estado até está a pagar Juros dos 7000 milhões de Euros que estão guardados só para eles.

 

Mas não é só este senhor que acha que aguentamos mais, hoje ficamos a saber pela boca do Primeiro Ministro Passos Coelho, que no caso das coisas correrem mal, ou seja, se alguém se enganou a fazer as contas ou se afinal não lhes apetecer cortar nas gordurase mordomias,  já há um plano B que irá cortar mais 800 milhões nas despesas.... onde diz despesas leia-se salários e subsídios da função Pública.

 

Ora, como todo o mundo sabe que estes senhores não são lá grande espingarda a fazer contas, está mais que visto que lá para Março ou Abril, vamos mexer o boneco despido para a esquerda da imagem acima e colocar no lugar dele um esqueleto... é porque com mais cortes, é nisso que nos vamos converter todos os portugueses, em esqueletos ambulantes... bom, todos não, que os Ulrich e passos Coelho desta vida vão continuar a viver a sua vidinha na maior... como se não fosse nada com eles.

 

Ó senhor Primeiro Ministro, e em lugar de depenar mais este povo que já não tem por onde espremer, não dá para ir buscar os 800 Milhões aos 7000 que estão guardados para a Banca?... olhe que ainda sobram mais de 6000.

 

Jorge Soares

 

PS: por motivos que já lhes contarei lá para o inicio da semana que vem, desde hoje e até Domingo o Blog entra em modo automático... portem-se mal e arejem-me a casa.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:49

O que significa inconstitucional?

por Jorge Soares, em 05.07.12

O que significa inconstitucional?

Imagem do Público

 

 

inconstitucional 

adj. 2 g.

1. Não constitucional.

2. Contrário às praxes constitucionais.

Retirado do Priberam 

 

Diz o tribunal constitucional que os cortes dos subsídios são inconstitucionais, ou seja, à luz da constituição pela que nos tentamos reger, estes cortes são ilegais.

 

No entanto, o mesmo tribunal diz que: ... os efeitos desta declaração de inconstitucionalidade não se apliquem à suspensão do pagamento dos subsídios de férias e de Natal, ou quaisquer prestações correspondentes aos 13.º e, ou, 14.º meses, relativos ao ano de 2012 .. porque  tal poderia pôr em risco a meta do défice acordada no memorando de entendimento. 

 

Ou seja, como temos o memorando com a Troika, que se lixem os nossos direitos e a nossa constituição, o que interessa é ficarmos bem na fotografia.

 

Será que à luz deste raciocínio dos senhores juizes do constitucional, alguém que não tem dinheiro suficiente para pagar a mensalidade ou a renda da casa pode ir assaltar um banco e utilizar os contratos com o senhorio ou o banco como desculpa para que não lhe aconteça nada e não tenha que devolver o roubado?

 

Jorge Soares

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:02

Não devolvemos os subsídios porque queremos ficar bem na fotografia

 

O primeiro-ministro argumentou nesta terça-feira que o Governo poderia dar uma “imagem precipitada” de Portugal se repusesse os subsídios de férias e de Natal no final de 2014

 

 

E eu que pensei que era porque não ia haver dinheiro suficiente para tal coisa, afinal, é só porque o senhor primeiro Ministro não quer que a malta fique mal na fotografia.

 

Ó senhor primeiro ministro, ouça lá uma coisa, se o senhor tem assim tanta certeza que está a correr tudo bem e que não vamos precisar de voltar a estender a mão para pedir mais carcanhol, devolva lá os subsidios à malta, é que sabe, o povo tem mais com que se preocupar, com as contas para pagar por exemplo, queremos lá saber se ficamos bem ou mal na fotografia.

 

Jorge Soares

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:41

Mais subsidios só para quem podeA semana passada era na educação, num despacho de 11 de Janeiro que entretanto foi corrigido a 19, curiosamente o mesmo dia em que a senhora ministra de justiça Teixeira da Cruz assina este outro despacho onde de novo se pode ler: "acrescida de subsídios de férias e natal".

 

Acredito que depois do barulho que isto está a gerar no Facebook e agora até nos jornais,  mais tarde ou mais cedo apareça um novo despacho a explicar que não há lugar aos ditos subsídios  enquanto se mantiverem as regras de excepção, mas fica-nos sempre a dúvida, será que sem o barulho nas redes sociais e as noticias de jornais haveria lugar a revogação?

 

Mais grave, os membros do governo não falam entre si?, como é que se assina um despacho destes depois da bronca que tinham dado os despachos dos secretários de estado da área da educação? 

 

Acho tudo isto vergonhoso, o estado, os ministros, os secretários de estado, os membros dos gabinetes deveriam ser os primeiros a dar o exemplo, a imagem que passa de todas estas trapalhadas é que a austeridade é mesmo só para os outros, porque eles tentam de todas as formas possíveis manter privilégios e regalias... é verdade que tudo isto não passa de migalhas, mas só mostra que afinal o único que mudou com a mudança de governo, foi a cor, de resto, o cheiro é o mesmo... e não cheira  nada bem.

 

Jorge Soares

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:13

O governo tira com uma mão ao povo e dá com a outra aos amigos

 

Não há subsídios de férias e natal?... não faz mal, a malta  inventa um abono suplementar igual ao valor do salário, pago em duas prestações, uma em Junho e outra em Novembro.

 

O despacho que saiu publicado em Diário da República é assinado não por um mas por dois secretários de estado da área da educação,.... ou seja, o mesmo governo que com uma mão tira ao povo, com a outra dá alegremente aos boys.... é justo.

 

Entretanto, na última reunião de pais a que fui no ciclo de Setúbal, a directora de turma do meu filho dizia que já não há dinheiro na escola para mandar reparar vidros partidos, os projectores que haviam sido instalados nas salas de aula foram retirados pela empresa que os montou por falta de pagamento, há instruções da direcção da escola para utilizar o mínimo de papel, ali ainda não faltou o papel higiénico, mas já há escolas onde se pede aos alunos que levem rolos de papel de casa....

 

Quanto papel higiénico se compraria com o valor destes dois subsídios encapotados?..e quantos casos mais como este haverá nos diversos ministérios e secretarias de estado?e quantos vidros se reparariam?

 

Podemos discutir da justiça e legalidade de se retirar os subsídios aos funcionários públicos, mas não pode o mesmo governo que por decreto rouba dois salários a milhares de pessoas, ser o primeiro a inventar esquemas para contornar as suas próprias medidas... qual é a credibilidade desta gente depois de algo como isto? E porque nos deixamos nós roubar e enganar assim?

 

Update: Entretanto a consciência de alguém deve ter acordado e o assunto foi corrigido, ver aqui.

 

 

Jorge Soares

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:14

Entretanto na Madeira a vida segue .....

por Jorge Soares, em 26.10.11

Jardim continua a acumular salário com pensão

Imagem do Público

 

... como se nada se estivesse a passar.

 

Ainda há quatro políticos no activo que acumulam pensões de reforma com o vencimento dos cargos que ocupam, e todos na Madeira: os presidentes do Governo e da Assembleia Regionais, Alberto João Jardim e Miguel Mendonça, e os secretários regionais Brasão de Castro e Santos Costa. Mas os ex-políticos madeirenses vão deixar de poder acumular as subvenções vitalícias com rendimentos do sector privado, caso o Governo da República decida avançar com tal proibição. 

 

Sabem uma coisa, eu até estou admirado, primeiro porque não voltei a ouvir o homem depois do dia das eleições, estará algures de lua de mel a festejar a nova maioria absoluta?

 

Segundo, porque depois das medidas anunciadas pelo governo, eu estava à espera de o ouvir a chamar caloteiros aos gajos de Lisboa  e a dizer que na Madeira não havia cortes de subsídios de férias e de natal para ninguém.... deve estar para breve.

 

Cerro certo é que o homem continua a acumular o salário com os 4400 Euros de reforma, o resto é conversa....por certo, já alguém ouviu falar das famosas medidas a que a Madeira ia ser sujeita para pagar os mais de 8 mil milhões do buraco?.... não, pois, como sempre quem vai pagar são os nossos impostos... parvos somos nós que os elegemos e admitimos que estas coisas continuem a acontecer.

 

Jorge Soares

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:07

Braga de Macedo recebe 1400 Euros por mês

Imagem do Público

 

O ministro da Administração Interna, Miguel Macedo, recebe todos os meses cerca de 1400 euros por subsídio de alojamento apesar de ter um apartamento seu na área de Lisboa onde reside durante toda a semana. A assessoria de imprensa do Ministério da Administração Interna (MAI) afirma que o subsídio é legal, uma vez que o governante tem a sua residência permanente em Braga.

 

 

Haveria que explicar ao MAI que há uma enorme diferença entre ser legal e ser moral, poderá ser legal, mas a verdade é que ante a situação actual do país, ante todos os sacrifícios que se pedem a todos os portugueses, isto é uma enorme imoralidade. O facto de o senhor se ter candidatado ao subsidio é de uma falta de vergonha que nem tem nome.

 

Com que lata é que depois estes senhores nos vem pedir sacrifícios quando eles aproveitam todas as oportunidades para chularem o estado? Quantos portugueses poderíam ter direito aos subsídios de natal e/ou de férias com os quase 16 mil Euros que o senhor recebe por ano à custa disto? E que tal ao menos terem um bocadinho de vergonha?

 

Jorge Soares

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:47

A luz ao fundo do abismo

Imagem de Henricartoon

 

Ao cuidado dos senhores ministros da saúde, das finanças e já agora do senhor Pedro Passos Coelho.

 

Supostamente há uma lei qualquer que diz que as médicas com filhos pequenos estão isentas de fazer os bancos no hospital onde trabalham. Em linguagem hospitalar, fazer banco é fazer um turno de 24 horas seguidas.. ou coisa pelo estilo. Evidentemente a maioria das médicas do serviço nacional de saúde aproveita este seu direito e não faz os bancos.

 

Hoje durante a hora do almoço alguém contava o seguinte: Há uma médica de um hospital algures a norte que tem filhos pequenos e portanto não faz os bancos, mas como na sua zona há falta de médicos nos hospitais, ela aproveita estes tempos livres para em lugar de estar com os seus filhos, fazer bancos em outros hospitais próximos, sendo que por cada turno recebe a módica quantia de 600 Euros.

 

Ou seja, a senhora recebe o seu ordenado do estado,  usa a lei para se furtar ao trabalho e depois recebe extra do mesmo estado mais 600 euros por turno para fazer o mesmo para que lhe pagam o salário. Com um bocado de imaginação, conseguimos ver uma médica do outro hospital onde ela vai receber os 600 Euros a  utilizar a mesma lei e vir receber os mesmos 600 euros para fazer os turnos dela... ou seja, o estado pode estar a pagar dois salários e mais 1200 Euros por cada turno para que as pessoas façam o trabalho que deveriam fazer com o seu salário.... E depois ainda nos admiramos pelo estado ao que o país chegou.. por cada banco que a senhora faz por fora, é um subsidio de férias ou de natal que se pagava... quantos casos destes existirão por aí?

 

Jorge Soares

PS:Tem mais histórias destas?, conte, a malta quer saber para onde foi o dinheiro

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:38

Somos um país à rasca

por Jorge Soares, em 13.10.11

15 de Outubro, Manifestação

 

15 de Outubro 2011 –  A Democracia sai à rua!

 

PROTESTO APARTIDÁRIO, LAICO E PACÍFICO

-        Pela Democracia participativa.

-        Pela transparência nas decisões políticas.

-        Pelo fim da precariedade de vida.

 

Lisboa - Marquês de Pombal | Porto - Praça da Batalha | Angra do Heroísmo - Praça Velha | Braga - Avenida Central | Coimbra - Praça da República | Évora - Praça do Sertório | Faro - Jardim Manuel Bivar | Resto do Mundo

 

 

Assim de repente ficamos a perceber que não há uma geração à rasca, há um país à rasca e com governantes que não conhecem mais alternativas que aumento de impostos e cortes nos salários. As medidas apresentadas há pouco pelo primeiro ministro vão implicar um corte brutal no poder de compra de todos nós. Custa-me a perceber como é que diminuir o poder de compra da população vai contribuir para o crescimento da economia, como é que uma economia pode crescer se não vai haver dinheiro para férias?, se não vai haver natal? Cá em casa conseguíamos poupar os subsídios, sem eles vamos poupar como?

 

Achei piada à meia hora mais de trabalho por dia. Eu desde há 15 anos que tenho um horário de 39 horas por semana, que na realidade é de 40, e que na prática resulta nas que forem necessárias, e eu nem sou dos que me posso queixar muito, a maioria das pessoas que conheço trabalha as horas que forem necessárias ao desenvolvimentos dos projectos em que estão inseridos...e são sempre muito mais de 40 por semana... 

 

Os senhores que estão no governo na actualidade estavam na oposição até há muito pouco tempo, fartaram-se de criticar o governo anterior porque os portugueses não aguentavam mais sacrifícios, os portugueses não aguentavam mais impostos, a austeridade tinha ido longe de mais, o governo só ia pela via da receita, etc, etc, etc. Agora estão no governo e fizeram o Sócrates e os seus compinchas parecer uns meninos de coro na hora de entrar pelo bolso do povo... Cortes nas despesas só mesmo a diminuição de salários e subsídios.. porque o resto dá muito trabalho.

 

Somos um país à rasca e muito perto do abismo, está na hora de percebermos que não os podemos deixar dar um passo em frente.

 

Jorge Soares

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:36


Ó pra mim!

foto do autor



Queres falar comigo?

Mail: jfreitas.soares@gmail.com






Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D