Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



queixa.jpg

 

 

Foi no início de Fevereiro que no Post  "A MEO e a falta de respeito pelos clientes" relatei a insólita situação que me aconteceu quando tentei retirar o terceiro telemóvel do pacote M4O de que sou cliente na MEO.

 

Na manhã do dia  em que escrevi o post tinha sido contactado por alguém da MEO em resposta a uma reclamação, nesse telefonema, que foi mais ou menos surreal e que me deixou ao borde de um ataque de nervos, foi-me explicado que ao contrário do que me tinha sido dito e prometido em três ocasiões diferentes, não era possível retirar o número e que utilizasse ou não, teria que continuar a pagar os sete euros e meio para sempre.... ou até que o período de fidelização terminasse e eu me mudasse com os serviços todos para outro operador.

 

Evidentemente não era uma conversa telefónica de surdos que me iria fazer desistir de reclamar, decidi dar-me um tempo para acalmar a raiva. A seguir ia ir  ir com o meu mau feitio a uma loja da PT  pedir o livro de reclamações e esta vez fazer a reclamação por escrito, não é um telefonema parvo que me derrota.

 

No início da semana passada chegou-me uma carta da MEO, para minha grande surpresa, afinal, pelo menos quando o cliente reclama, parece que por vezes o impossível se torna possível. A carta era para me informar que conforme o meu pedido, o número tinha sido retirado do contrato e seriam feitos os acertos financeiros na seguinte factura. 

 

Como já estou na fase ver para crer, decidi esperar a dita factura antes de ir reclamar, que chegou no fim da semana passada e onde efectivamente não constava o número em causa e constavam acertos relativos a períodos facturados indevidamente com anterioridade....

 

Está visto que ter mau feitio compensa, reclamar compensa, juro que quando me lembro da conversa telefónica com a senhora que me respondeu à queixa, ainda fico nervoso... Dá trabalho e cabelos brancos, mas pelo menos com a MEO, ainda conseguimos fazer com que o impossível se torne possível.

 

Uma das coisas que fiz foi pegar no post e colá-lo na página do Facebook da MEO, passados dez minutos alguém da gestão da página, não vou divulgar aqui o nome da pessoa em causa mas o comentário ainda lá está, respondeu ao  meu post lamentando o facto de eu estar insatisfeito e pedindo mais dados para irem averiguar a situação, com a garantia de que me contactariam para dar novidades à posteriori. Dados que eu facultei de imediato. Ainda estou à espera desse contacto.... antes de receber a carta tinha lá passado a perguntar se sempre me iriam responder... até hoje.

 

Percebo que fique bonito no Facebook responder aos clientes, mas convém que depois cumpram com o que lá escrevem, não é pelo facto de o post desaparecer da primeira página do mural que os clientes se esquecem do que lá foi escrito.... o que mostram com isto é mais falta de profissionalismo e de respeito pelos clientes.

 

Evidentemente a carta era do estilo curo e grosso, continuo sem perceber como é que em três ocasiões me foi garantido que o número tinha sido retirado do contrato, me foi enviada uma nota de crédito e depois há alguém que me diz que isso não é possível e que os funcionários do atendimento telefónico andam a mentir aos clientes... mas pronto, o que interessa é que está resolvido.

 

Jorge Soares

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:28

A MEO e a falta de respeito pelos clientes

por Jorge Soares, em 07.02.16

queixa.jpg

 

Imagem de aqui 

 

Sou cliente da MEO com o pacote M40, com um telemóvel extra pelo que pago 7.5 Euros por mês. No dia 23 de Dezembro roubaram o telemóvel ao meu filho, como tínhamos decidido passar o número dele para pré-pago, aproveitei a ligação para bloquear o número e pedi para retirarem o número do pacote. A pessoa que me atendeu garantiu-me que tinha bloqueado o número e a retirada do mesmo do pacote, inclusivamente ofereceu-se para o passar de imediato para um pacote de pré-pago, coisa que não aceitei (parvo!)

 

No inicio de Janeiro a minha meia laranja foi à loja da Meo no Alegro de Setúbal para tratar de um pré-pago para o miúdo, para nosso grande espanto na loja informam que o numero estava bloqueado mas que continuava ligado ao pacote e que teria que ser eu (o titular do contrato) a lá ir para passar o número para pré pago.

 

Fui à loja e ouvi o mesmo, como é habitual naquela loja, ali não tratam de nada que não sejam vendas, pelo que a menina que me atendeu ligou para o 19200 e passou-me o telefone, lá me voltei a explicar, e de novo me garantiram que tinham retirado o número. Como eu não ia pagar os sete Euros e meio por algo que tinha pedido no mês anterior, foi apresentada uma reclamação e foi-me garantido por quem me atendeu, que esta vez o assunto iria ser resolvido.

 

Passados dois ou três dias e como resposta à reclamação, recebo um telefonema em que me explicaram que tinha havido um erro informático e que efectivamente o número estaria retirado, que não me iriam cobrar os sete Euros e meio na factura de Janeiro e que me seria enviada uma nota de crédito pela diferença dos dias que já estavam facturados do mês de Dezembro. Nota de crédito que eu recebi em casa por correio.

 

Ontem liguei para a linha de apoio a pedir um esclarecimento sobre a factura e para meu grande espanto verifico que o número continua associado ao pacote, isto depois de 3 pessoas diferentes, uma delas em resposta à reclamação, me terem garantido que o número teria sido retirado do pacote.

 

De novo pedi que retirassem o número e de novo a menina do outro lado do telefone garantiu que estava feito, evidentemente fiz uma nova reclamação já que não quero pagar os sete euros e meio de algo que pedi para retirarem em Dezembro.

 

Hoje tive a resposta à reclamação, afinal tudo o que me tinham dito desde 23 de Dezembro para cá é mentira, porque supostamente não é possível retirar o número do pacote e queira ou não queira, vou ter que continuar a pagar os sete euros e meio para sempre.

 

Evidentemente o meu mau feitio veio ao de cima e fartei-me de barafustar, para nada, porque a senhora que me ligou não quer saber do que aconteceu antes ou do que me tinham dito as outra pessoas, ela só me ligou para dizer aquilo, o resto não era com ela... Também não me dá a resposta por escrito... eu é que tenho que voltar a reclamar por escrito. Quanto à resposta à reclamação e à nota de crédito que me enviaram, ela não sabe nada nem é da sua responsabilidade... 

 

Evidentemente a conversa descambou e ela chegou a pôr em causa que me tivessem dito o que quer que fosse, mesmo quando eu lhe lembrei que todas as chamadas são gravadas... é claro que eles não tem nada que ir ouvir, se me disseram que era possível o que agora não é é porque se enganaram.... quer dizer, me enganaram a mim.

 

Há muito que não me sentia tão enganado e até roubado, nunca ninguém me disse que não podia retirar o número extra, mas várias vezes me disseram que era possível e que o iam fazer, inclusivamente na resposta á primeira queixa foi-me garantido que o número já estaria retirado.

 

Se não podem retirar o número como é que me enviaram a nota de crédito do valor dos dias que eu teria pago a mais? É um mistério que evidentemente a senhora que me ligou hoje não tinha porque saber nem estava para averiguar.

 

Se isto não é uma enorme falta de respeito o que é?

 

Demais está dizer que se não for antes, quando terminar a fidelização vou passar para o que na altura for mais barato, afinal se na atenção ao cliente são todos iguais, pelo menos vou ficar a pagar o menos possível.

 

Jorge Soares

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:00

Chamadas ilimitadas... até ao limite???!!!!

por Jorge Soares, em 07.11.13

Ilimitado

Imagem do Pontos de Vista

 

adjectivo

1. Sem limites.

2. Extensíssimo.

3. Infinito.


Do Priberam

 

 

Em Portugal até o infinito tem limites...e pelos vistos no que toca a chamadas telefónicas, o infinito está limitado a uma hora diária.... por isso, se tem mesmo muito para dizer a alguém, não telefone, vá!.. assim pelo menos não corre o risco de ter supresas na factura telefónica.

 

A reportagem é da SIC e chama a atenção para o que eu acho que é um enorme embuste, e não é só pelas chamadas ilimitadas, nem sequer é de agora, em Portugal as empresas de telecomunicações parece que tem um estatuto qualquer especial, porque a publicidade promete sempre coisas que depois raramente se concretizam na realidade.

 

Raramente os clientes tem a velocidade da internet que lhes é vendida, ou o número de canais no cabo que aparece nas promoções, agora são as pretensas chamadas ilimitadas para todas as redes que depois se resumem a uma hora por dia. Para já não falar nos famosos planos de fidelização que nunca ninguém conseguiu perceber se são ou não legais mas que servem para nos manter durante anos presos a serviços que funcionam mal ou que muitas vezes nem funcionam de todo.

 

Há também aqueles vendedores que nos juram a pés juntos que não nos temos que preocupar com os planos de fidelização das outras empresas, que eles resolvem tudo, depois do contrato assinado simplesmente desaparecem (aconteceu comigo) e a pessoa descobre que não só está ligado a um contrato de fidelização, como passou a estar ligado a dois e que tem que pagar os dois até ao fim, mesmo que depois ninguém lhe preste o serviço que contratou.

 

Imagino que deverá haver autoridades e organismos que zelem para que estas coisas não aconteçam, na maioria dos casos tudo isto andará muito próximo de ser uma burla quase generalizada, dia a dia somos bombardeados com publicidade que é claramente enganosa e que é pensada para enganar os incautos, parece que vivemos no reino do vale tudo para enganar o consumidor, porque é que não há ninguém que ponha cobro a tudo isto?

 

De há muitos anos que as empresas de telecomunicações são de longe quem tem mais processos nos tribunais, uma enorme percentagem desses processos terá a ver com tudo isto, porque é que o estado olha para o lado e finge que não vê?

 

O pior é que pelos vistos não há mesmo alternativa, porque como em muitas outras coisas, parece que todas a empresas se puseram de acordo para nos oferecer as mesmas coisas, aos msmos preços e com os mesmos logros.

 

Reportagem da SIC do programa Contas Poupança

 

Jorge Soares

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:18


Ó pra mim!

foto do autor



Queres falar comigo?

Mail: jfreitas.soares@gmail.com






Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D