Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Podemos confiar nos construtores de automóveis?

por Jorge Soares, em 28.09.15

teste.jpeg

 

Imagem de aqui 

 

O escândalo começou pela Volkswagen e pelas suas várias marcas, mas este agitar de águas já começou a salpicar outros construtores, hoje já se fala da BMW, Opel, Mercedes, Peugeot...  e já há quem diga que não vai haver inocentes.

 

Todos ficamos escandalizados com este caso das emissões dos gases de escape, mas se nos pusermos a pensar, o que é que isto tem de novo? Antes de comprar um carro, para além do preço uma das coisas à que a maioria está atenta é aos consumos, pensem lá, alguma vez conseguiram fazer as médias que vem escritas nos folhetos publicitários? Eu não, mesmo sendo eu um daqueles condutores que raramente excede os limites de velocidade... 

 

Em todos os carros que já tive, e já foram alguns de pelo menos 4 marcas, as médias andam sempre pelo menos um litro acima do que era anunciado. Se nos pusermos a pensar isto é claramente publicidade enganosa, mas alguma vez alguém se queixou? No melhor dos casos diziam logo que a culpa era do pé pesado do consutor, não era de certeza das condições ideiais em que eles testam os consumos.

 

Há uns anos o meu irmão comprou um carro novo, por acaso era Volkswagen, com menos de 3000 kms os pneus da frente estavam gastos por dentro, o carro vinha com a direcção desalinhada, eles alinharam e aceitaram que o carro tinha vindo assim da fábrica, mas negavam-se a trocar os pneus... segundo eles era material de desgaste, e não trocam material de desgaste, mesmo que a culpa seja deles.. depois de muita discussão e de ameaças, lá aceitaram pagar... metade do valor dos pneus.

 

Porque é que a Volkswagen inventou este software para aldrabar o mundo? Porque os dispositivos anti-poluição tem efeitos na potência e nos consumos do carro, e a malta gosta de carros potentes e que gastem o menos possível, ou seja, se não aldrabam nos níveis de poluição, aldrabam na potência e nos consumos.... mas aldrabam sempre.

 

Jorge Soares

publicado às 22:50

Onde anda o rigor alemão?

por Jorge Soares, em 22.09.15

volksvagen1.jpg

 

Imagem de aqui

 

Tudo começou com  um estudo que pretendia mostrar que os carros a gasóleo podem ser menos poluentes que os a gasolina, não se sabe muito bem como vai terminar, mas para já ficou bem à vista que o famoso rigor e seriedade alemães são se não um mito, pelo menos coisa do passado

 

O estudo descobriu que a Volkswagen, a jóia principal e destacada ponta de lança da indústria e economia alemãs, planeou e executou uma fraude de proporções gigantescas para vender como ecológicos carros que não só não o são como em alguns casos, segundo as noticias,  ultrapassam em mais de 40 vezes os limites americanos para emissões permitidas.

 

Em lugar de desenvolver motores realmente ecológicos e com baixas emissões, a empresa alemã desenvolveu um software capaz de manipular as emissões de modo a que nas medições o carro esteja dentro dos limites.

 

Os responsáveis alemães já admitiram que esta gigantesca fraude afecta não só os carros vendidos nos Estados Unidos, mas também muitos outros vendidos por todo o mundo, serão ao todo perto de 11 milhões de carros.

 

É difícil perceber como irá terminar tudo isto, não estou a ver que seja possível substituir o motor a 11 milhões de carros, que seria a medida lógica a tomar no caso de outra peça qualquer, mas é caso para perguntar: O que aconteceu com o tão famoso rigor e seriedade alemãs?

 

Entretanto a empresa perdeu mais de um terço do seu valor em bolsa nos últimos dois dias, pelo menos nos Estados Unidos vai ser muito complicado que alguma vez volte a recuperar o nível de vendas e por todo o mundo vai demorar anos a recuperar o prestigio que tinha até agora.

 

As primeira noticias diziam que os carros fabricados na Autoeuropa não estariam entre os afectados pela fraude, mas isso foi antes da noticia dos 11 milhões de veículos em todo o mundo. Quer-me parecer que não há forma de passar ao lado, mesmo que os carros fabricados cá não tenham os motores em causa, não há forma de fugir ao desprestigio da marca e À baixa de vendas que tudo isto irá causar.... A Autoeuropa é a empresa que mais exporta em Portugal, são muito más noticias para a economia portuguesa que tanto depende das exportações.

 

Nos últimos 4 anos ouvimos e sentimos muitas vezes o desprezo e a sobranceria com que alguns alemães olham para os outros povos, especialmente para os do sul da Europa, talvez tudo isto lhes ensine que afinal não são assim tão melhores que os outros. Quem sabe e agora percebem  que pessoas desonestas e pouco rigorosas há em todos os lados, até na Alemanha.

 

Jorge Soares

publicado às 22:14


Ó pra mim!

foto do autor


Queres falar comigo?

Mail: jfreitas.soares@gmail.com






Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D