Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



 

Vídeo do Observador, carreguem na imagem para ver

Acho que não há palavras para o que vemos aqui, estes senhores foram eleitos para representar o povo  e estão na assembleia da república a denegrir o povo. 

 

Sei que são ambos do PSD, não faço ideia porque distritos foram eleitos mas era engraçado ir perguntar a quem os elegeu, quem votou no partido deles nesses distritos, se foi para isto que os elegeram e se se sentem representados nestes comportamentos.

 

Evidentemente deviam deixar os lugares de deputados de imediato, isto para além de mais é fraude.

 

Triste a imagem destes politicos, depois querem que votemos neles?

 

Jorge Soares

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 07:51

Para que servem os votos dos portugueses?

por Jorge Soares, em 14.10.15

voto.jpgImagem de aqui

 

“Eleitores socialistas não votaram no PS para um Governo com o PCP e o BE”

Durão Barroso

 

Há pouco no telejornal ouvi Durão Barroso a dizer a frase acima e fiquei a pensar: E votaram para que o PS se abstenha na votação do orçamento da maioria? É claro que não!

 

Conheço algumas pessoas que votaram PS, mais que uma que costumava votar PSD  esta vez votou PS porque não queria que continuassem as politicas de austeridade, de saúde e de educação,  que estavam a ser seguidas até agora.

 

O PS é um dos partidos do  chamado arco do poder, quem vota PS é porque quer que seja este o partido que vá para o governo. Acredito que haja quem prefira um acordo com o PSD que com os partidos mais à esquerda, mas não estou a ver que essas pessoas no momento de colocar o voto na urna estivessem a pensar: "Este voto vai servir para viabilizar um governo do Passos Coelho e do Portas"

 

Nos últimos dias tenho ouvido as teorias mais mirabolantes sobre quem deve ou não governar, há muita gente que esquece que as  leis e os orçamentos não dependem só do governo, dependem da assembleia da república e dos deputados e feliz ou infelizmente a soma dos deputados de PSD+CDS não tem maioria.

 

Além de PSD e CDS há mais partidos em Portugal, partidos que tiveram votos para ter deputados, mais deputados que a antiga maioria e não, o facto de não terem ganho as eleições não os obriga a votar nas leis e nos orçamentos com os quais não estão de acordo.

 

Em Portugal a democracia é isto, as pessoas votam  em partidos que elegem deputados e esperam que esses deputados representem as suas ideias.

 

Da última vez houve mais pessoas a eleger deputados de direita que de esquerda  e tivemos que levar com Passos Coelho e com o irrevogável Portas durante quatro anos, esta vez houve mais pessoas a eleger deputados de esquerda que de direita, quer-me parecer que isso significa que há mais pessoas a querer mudar de governo que as que querem que este continue... é claro que podem haver outras formas de entender os resultados... mas a mim parece-me claro.

 

Durão Barroso pode tentar achar que quem votou PS é parvo, espero que o António Costa seja mais esperto e perceba o porque de haver tanta gente a votar PS.

 

Jorge Soares

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:04

Afinal têm vergonha de quê?

por Jorge Soares, em 07.10.15

burros.png

 

Imagem do Facebook de RiseUp Portugal

 

No Domingo logo a seguir às primeiras projecções a imagem acima apareceu-me no Facebook e evidentemente partilhei, basta ler dois ou três posts cá do Blog para se perceber que não vou à bola com a direita nem com este governo, não é segredo nenhum e não tenho problema em o mostrar, como não o tiveram outras dezenas de pessoas que partilharam o seu desgosto pelo resultado das eleições através de imagens como esta ou até de frases nos murais.

 

Passado pouco tempo um dos meus contactos publicou um texto no Facebook a pedir respeito por quem votou na Paf e a insurgir-se contra quem "não sabia perder e usava imagens ofensivas de burros"  (SIC).

 

Curiosamente foi o único comentário por parte de quem apoiava a coligação vencedora, se havia gente a festejar fazia-o em silêncio longe das redes sociais... pelo menos longe das que eu costumo frequentar.

 

Mais curioso ainda é que até agora não consegui encontrar uma única pessoa que reconheça que votou em quem ganhou, todas as pessoas com quem falei, já fosse em pessoa ou nas redes sociais, se mostraram chateadas e, segundo elas, votaram nos outros partidos..

 

A coligação esteve perto dos 40%, pela lógica quase metade das pessoas que conheço, e sim, eu conheço pessoas que não são de esquerda,  terá votado no PSD/CDS.

 

Hoje à  hora do almoço comentávamos as eleições e rapidamente cheguei à conclusão de que os meus colegas também tinham reparado no mesmo, ninguém conhecia alguém que tivesse votado na coligação, apesar de haver quem reconhecesse que não tinha ido votar porque "são todos iguais".

 

Como não acredito que tenha havido fraude nas eleições, só posso concluir que há muita gente com vergonha de reconhecer que votou no governo que tanto criticava até agora e por tanto, MENTE COM OS DENTES TODOS.

 

Vamos lá ver, tem vergonha de quê? Eles ganharam, normalmente quem tem vergonha é quem perde, certo? Será vergonha ou consciência pesada por tudo o que gritaram e criticaram no passado? Ou será que sabem que o que vem a seguir é mais do mesmo, mais do que está escrito ao lado do burro, e portanto não querem ficar ligados a isso?

 

Se calhar era bom que reflectissem no que significa essa vergonha, é que vai haver mais eleições no futuro, eu votei num dos partidos que perdeu, mas tenho orgulho nisso, ter vergonha era sinal de que tinha que votar noutros ... ou em branco.

 

Jorge Soares

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:19

Em Oeiras

Imagem do Público

 

Fui votar a meio da tarde, estava a começar a chover em Setúbal, não havia filas e no velho quadro de ardósia estava escrito que até às 15 horas haviam votado 35% dos eleitores inscritos na  mesa...   pouco, muito pouco.

 

Chamou-me a atenção a quantidade de pessoas que à porta da escola e mesmo na mesa de voto, andavam de papel na mão meio perdidas sobre o local onde votar... sendo que muitas estavam mesmo no local errado.

 

Parece que finalmente temos umas eleições em que há quem perca, acho que não restam dúvidas que o PSD perdeu estas eleições, uma derrota a sério que até chegou à Madeira.. apesar de que na RTP o Morais Sarmento se tem esforçado para disfarçar a coisa . 

 

Também não restam duvidas que há alguns vencedores, O PS, a CDU, António Costa, Rui Moreira e .... Rui Rio.... Haverá depois muitas pequenas vitórias e derrotas, e uma meia derrota, a do Bloco de Esquerda.

 

O Bloco não estaria à espera de ganhar autarquias, mas do que vi até agora, eu estava à espera de uma maior percentagem de votos e será uma derrota maior se em Lisboa o coordenador João Semedo não conseguir ser eleito vereador.

 

Do que vi até agora da noite eleitoral, não posso deixar de realçar o facto de termos visto como em Oeiras venceu Isaltino Morais, eu sei  que é um sinal da de democracia em que vivemos, e há até quem diga que o povo em democracia quando vota tem sempre razão... mas que numa noite eleitoral em lugar do nome de quem venceu, se grite o nome de alguém que está preso e que foi condenado .. é no mínimo bizarro.

 

Rezam as estatísticas que Oeiras é o concelho do país com maior literacia... ou seja, não será o populismo que leva as pessoas a votarem. É suposto que as pessoas tenham a educação suficiente para votarem em consciência e para saberem exactamente quem estão a eleger.

 

Não faço ideia quem escolheram os partidos para encabeçar as suas listas em Oeiras, mas custa-me entender que se vote numa lista que tem o nome de alguém que comprovadamente não é honesto e só não está preso há bastante mais tempo porque soube aproveitar todos os buracos da lei para ir deixando cair as acusações.

 

Para mim antes de mais os políticos devem ser sérios, não tenho nada contra o senhor que ganhou em Oeiras, mas é difícil esquecer que o vitoriado não foi ele.. foi Isaltino..resta saber quem irá governar Oeiras... e até que ponto é este o país real.

 

Uma palavra final para os 45% de abstenção, metade dos eleitores continuam a  deixar para outros a decisão de quem os irá governar, há quem ache que abster-se é uma forma de castigar quem está no poder... estão errados, abster-se é concordar com quem lá está, é não fazer nada para mudar a situação..e na realidade, só contam mesmo os votos colocados na urna.. só esses são contados... no limite podia ser só um, era esse que contava.

 

Jorge Soares

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:49

2013, 365 oportunidades de ser feliz

por Jorge Soares, em 31.12.12

365 oportunidades para ser feliz

 

Imagem minha do Momentos e Olhares

 

 

 

 

Todos sabemos que não vai ser fácil, mas não se esqueçam de ser felizes, em 2013 ou em qualquer outro ano

 

Jorge Soares

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:56

O povo saiu à rua... para quê?

por Jorge Soares, em 16.09.12

Sinais de paz em Lisboa

Imagem de aqui 

 

Não, não fui à manifestação, infelizmente antes de sair a convocatória eu tive a infelicidade de marcar algo para o mesmo dia e a mesma hora, e portanto não deu... com muita pena minha, apesar de que neste blog sinto-me mais ou menos em manifestação constante.

 

Rezam as crónicas que estas terão sido as maiores manifestações desde o primeiro de Maio de 1974, mais de 600 mil pessoas na rua, é obra. 600 mil portugueses que de forma firme mas ordeira fizeram questão de mostrar a Passos Coelho, à troika, ao governo, à assembleia da República e ao presidente da República que afinal não vale tudo....

 

Será sem dúvida um dia para recordar por muita gente, mas será que os visados entenderam a mensagem? E sobretudo, será que todo aquele mar de gente que encheu as ruas de muitas cidades pelo país fora, entendeu a sua mensagem?

 

A questão é, imaginemos que amanhã se dissolvia a assembleia da República e que eram convocadas eleições para daqui a dois ou três meses, em quem votaria aquele mar de gente? 

 

É bom que o povo tome consciência de que estas medidas não podem ser a solução, é bom que todos tomemos consciência que este caminho não nos leva a lado nenhum.... mas também era bom que todo aquele mar de gente entendesse que a solução também está em nós e era muito bom que todos entendêssemos que para além de manifestações como a de ontem, onde realmente podemos fazer a diferença é no momento de votar.

 

Está mais que visto que estes senhores não vão mudar de rumo e dos que lá estiveram antes estamos conversados, a questão é, será que toda aquela gente está preparada para de verdade mudar o rumo do país e votar noutros, ou como tantas vezes ouvi durante esta semana vencerá de novo o "eles são todos iguais"?

 

Será que aprendemos mesmo alguma coisa com o que aconteceu neste país nas últimas duas ou três décadas ou estas manifestações são só fogo de vista como foi a da geração á rasca? ... que é bom recordar foi antes das eleições que levaram estes senhores ao governo.

 

Jorge Soares

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:30

Era o único candidato e perdeu

 

Imagem do Público 

 

Foi na Colombia, podia ter sido noutro sitio qualquer, vivemos num mundo em que a Democracia, os seus defeitos e as suas virtudes, são cada vez mais a forma de governo, o governo do povo e para o povo.

 

Após algumas peripécias o senhor da fotografia, German Antonio Londoño Roldan, conseguiu ser o único nome nos boletins de voto das eleições municipais de Bello, uma cidade dos arredores de Medellin. Numas eleições com um único candidato não é difícil adivinhar o vencedor, a menos que a lei eleitoral preveja outra coisa e o povo tenha consciência disso.

 

Na Colômbia a lei prevê que para se ganhar as eleições, qualquer candidato deve ter pelo menos 50% dos votos depositados nas urnas.  Durante a campanha eleitoral a oposição uniu-se e conseguiu passar  a mensagem, em lugar de ficar em casa os votantes deveriam ir às urnas e depositar o voto em branco ou nulo, após a contagem, o único candidato contava com 43% dos votos, ou seja, ganharam os brancos e nulos e o senhor não foi eleito.

 

E não, isto não se passou numa cidadezinha pequena com meia duzia de eleitores, Bello tem mais de 350 mil habitantes.

 

A Colômbia é muito longe, mas convinha que todos nós olhássemos para este caso com olhos de ver, por cá são cada vez menos os votantes, a abstenção ganha sempre por larga maioria, casos como estes mostram-nos como todas as opiniões e todos os votos contam... se a população de Bello tivesse decidido ficar em casa, a esta hora o senhor teria sido elegido e as coisas teriam continuado como sempre...

 

Este caso é o exemplo de como cada um de nós pode fazer a diferença, mas só se decidirmos ter opinião e utilizar o nosso voto em consciência.

 

Jorge Soares

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:30

Bloco de esquerda e Partido comunista fogem ao diálogo

Imgem do Henricartoon

 

Um quinto dos eleitores não se fez ouvir. Bloco de Esquerda e PCP decidiram  não comparecer. Porque não se encontram com o inimigo?

 

Retirei estas frases do Arrastão de um post do Daniel Oliveira,  a mim faz-me alguma confusão, o inimigo?, inimigo de quem?

 

Nas últimas eleições a soma dos votos do Bloco mais os do Partido comunista andou muito perto dos 20%, como diz o Daniel, para bem ou para mal, eles representam um quinto da população, entendo que não queiram fazer parte de uma solução com a que não estão de acordo, mas por aquilo que entendi, estas reuniões eram para troca de ideias, para ouvir e ser ouvido. Se eles acham que têm soluções válidas e melhores que as que previsivelmente irão ser tomadas, porque não irem apresentar essas soluções, quem sabe e alguém os ouvia?

 

A mim não me parece que quem votou nestes partidos, se queira sentir à margem do que vai acontecer,  aliás, não estou a ver como poderá alguém ficar à margem de um pacote de medidas que de uma forma ou outra nos irá afectar a todos. 

 

Pessoalmente o que me parece é que ambos os partidos decidiram que será mais lucrativo a nível eleitoral manter-se à margem, já todos percebemos que da direita à esquerda neste momento ninguém faz nada que não seja com um objectivo claro, o maior número de votos possíveis no dia 5 de Junho.

 

Quanto a mim a imagem que deixaram com isto é muito triste, é a de que os votos e o número de eleitos estão antes das ideias do diálogo e das soluções, num momento em que todos deveríamos pensar no melhor para o país, em que todos deveríamos trocar e partilhar ideias para o bem de todos, eles decidem esconder-se atrás de palavras... é triste.

 

Entretanto aqui o blog vai entrar em reflexão... vou ali até ao Alentejo ver se chove... volto no Domingo, boa Páscoa a todos, não comam muitas amêndoas que não há dinheiro para dentistas

 

Jorge Soares

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:41

A abstenção e a lógica da batata

por Jorge Soares, em 24.01.11

A abstenção e a lógica da batata

 

Imagem do Público

 

No post de ontem deixei uma pergunta, graças ao pessoal do SAPO que colocou o post em destaque, não só tive uma avalanche de visitas, mais de 7000, como tive uma avalanche de respostas, mais de 100 comentários.

 

Depois de tudo lido, a conclusão é no mínimo estranha, as pessoas não vão votar porque os políticos que temos são todos iguais e acham que a melhor maneira de os castigar é não votando.... Curioso, porque eu diria que o efeito é mesmo o contrário, os politicos estão-se a marimbar para quem não vai lá e só lhes interessa mesmo quem vota... neles de preferência. No fim fiquei com uma dúvida ainda maior, há uma solução para tudo isto, ou simplesmente não votar vai resolver tudo?

 

Estou cada vez mais convencido que o voto deveria ser obrigatório, se não temos um povo com consciência do dever cívico então a solução é arrebanhar tipo cordeirinhos e levar às mesas de votação.

 

Jorge Soares

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:41

Setúbal desde o rio

 

 

E pronto. é outra vez altura de votar, da última vez tinha muito claro em quem não ia votar, estava mais ou menos convicto sobre em quem votar, esta vez não sei mesmo.

 

No Domingo passado estávamos reunidos à volta de uma mesa um grupo de pessoas, todas de esquerda...acho eu,  todos pais e todos com filhos adoptados. A conversa versava sobre o facto de irmos votar ou não, sendo que entre umas 10 pessoas, havia uma que não votava e 9 que o tentávamos convencer que o deveria fazer.

 

Hoje nos meus 45 minutos de solidão na volta para casa, dei por mim a pensar naquela conversa, para as eleições do próximo Domingo não faço a mínima ideia em quem vou votar. Se a escolha fosse entre Rui Rio e Elisa Ferreira, eu saberia, se fosse entre Ana Gomes e Fernando Seabra, eu saberia, se fosse entre Santana e António Costa, saberia. Passei a semana a ouvir falar de debates nas grandes cidades, mas não ouvi nada sobre o que se passa e promete em Setúbal. Para dizer verdade mal sei os nomes dos candidatos à câmara... já para não falar na Junta de freguesia, da que não faço a menor ideia quem serão os candidatos..e ainda por cima, depois da mudança de casa, moro numa freguesia e voto noutra... vou lá para quê?

 

Eu sou uma pessoa minimamente informada, leio os jornais, vejo as noticias, sigo a blogosfera, o que falhou aqui?, não será dada importância demais aos grandes centros e muito pouca, para não dizer nenhuma ao resto do país?, que me importa a mim se Rui Rio vende os terrenos do Aleixo ou a Elisa Ferreira faz mais parque urbano?, se o Santana faz mais túneis ou o Costa apoia o TGV? é porque foi disso que ouvi falar nos últimos 15 dias.

 

Eu gostava mesmo era de saber se as Obras da Polis de Setúbal vão continuar ou não?, se alguém resolve de uma vez por todas terminar a variante da Mitrena até à auto-estrada, se resolvem o caos que é a entrada na cidade, se alguém faz algo para evitar as cheias na baixa, se a Etar que vai despoluir o rio vai funcionar ou não, se alguém promete devolver Tróia ao povo, se as escolas vão ter melhores condições, se..... tantas coisas. Mas disso, eu não ouvi nada...

 

Há algo de muito errado nas nossas campanhas eleitorais... sem dúvida.

 

Jorge Soares

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:15


Ó pra mim!

foto do autor



Queres falar comigo?

Mail: jfreitas.soares@gmail.com






Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2007
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D